Amhaj

Para que possais trilhar a senda luminosa é preciso responder ao Chamado. Isso significa vencerdes provas, nas quais terão confirmado o vosso elo com a verdade e com a luz. Todos os seres, um dia, penetram essa senda e alcançam a Morada Celestial. Porém, eons se passam até que o ciclo se consume. Não vos intimideis frente ao mal. Não desafieis o inimigo. Não retardeis vosso caminhar pelo clamor do passado. A poeira dos tempos será lavada do vosso ser; novas vestes trajareis, e grande será o júbilo da libertação. Porém, nessa senda pisareis sobre rosas e espinhos, e devereis aprender o mistério do Bem. É tempo de justiça. É tempo de graças. Magnífico poder, o Irmão Maior se aproxima. Silenciai vosso coração e acolhei o grande amor. Tendes a Nossa paz.

Hierarquia

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Interação com Mundos Sutis

Há uma sintonia estabelecida entre a consciência terrestre e a de outros mundos. Essa sintonia permite que seres humanos em ascensão espiritual interajam com faixas vibratórias portadoras de qualidades de amor e sabedoria, faixas isentas das deturpações que as forças do egoísmo imprimiram na órbita da Terra. Alcançando certo estágio de desenvolvimento, eles contatam estados de consciência extraterrestre específicos, que servirão de base para sua instrução e serviço.

Períodos de transição planetária como o atual possibilitam avanços significativos, e mesmo quem ainda se encontra em estágios iniciais do caminho espiritual pode ser agraciado com a atuação de energias sublimes. Havendo no ser receptividade para tanto e instalando-se nele uma condição de pureza suficiente para que alcance níveis profundos, podem ocorrer transformações inesperadas. Em que verdadeiras setas flamejantes lhe penetram a consciência, queimam obstáculos, o iluminam e lhe indicam a meta a atingir.

Um estudante sentou-se alguns minutos em recolhimento. Havia desarmonia em seus corpos, trazendo-lhe incômodos e dores. Usando a energia da vontade, entregou-se à luz dos níveis profundos do seu ser e permaneceu em silêncio. Pouco a pouco, a presença de um infinito amor foi se revelando a ele. Esse amor não vinha de alguém, mas era um estado de consciência unificado, que sintetizava a meta a aspiração e a vontade interna e real de inúmeras vidas e energias.

O que advêm de um contato desse tipo permeia os corpos, os órgãos, as células e os átomos de quem experimenta. Por sua natureza, esse amor acolhe tudo o que é oferecido pelo ser, estimulando-o a uma entrega ainda maior. Acolhe também suas resistências humanas, a fim de dissolvê-las. Conhecendo suas condições, indica-lhe o passo a ser dado para a ascensão. Sabe que grau de tensão os corpos podem suportar, e o ajusta à mais elevada sintonia possível.

Essa energia de amor transcendente fez emergir no estudante uma serenidade só vivida diante d´Aquele que tudo sabe, tudo conhece, tudo rege e tudo conduz pelo caminho da evolução. Porém, revelou-lhe que tal estado só poderia perdurar quando ele, perdido para si próprio, nela se achasse.

Imbuído nesse amor, o estudante passou por uma experiência inusitada: viu um imenso vale, cercado de montanhas pontiagudas, sem vegetação perceptível. Sabia ser algo não pertencente à superfície da Terra. Ao longe, nesse vale, brilhava um conjunto de luzes, um núcleo semelhante a uma cidade que, porém, parecia estar alguns meros acima do solo.

Ele não via seu corpo material, mas dispunha de um corpo feito de luz para viver ali o que lhe estava reservado. Avançou então rumo àquele núcleo, seguindo por corredores de energia que não eram físicos nem podiam ser vistos em toda a sua extensão. Eram caminhos que se construíam à medida que a vibração da sua consciência se ajustava à vibração do destino que o aguardava.

Enquanto prosseguia por essas trilhas invisíveis, algumas luzes se desprendiam do conjunto distante e vinham ao seu encontro. Quanto mais luzes se desprendiam, mais o conjunto ganhava em radiância e fulgor. O deslocamento das luzes geravam uma torrente de impulsos vitalizadores e curadores que vertia naquele universo.

O contínuo fluxo das luzes ia realizando transformações que não chegaram a ser compreendidas pelo estudante; porém, foi-se instalando nele um estado de paz, de vazio e de equanimidade raramente alcançado na vida terrestre. Quando por fim a experiência se esvaeceu, ele se deixou mergulhar em um sono de cura para aprofundamento e concretização daquele trabalho interior, pois os corpos densos podem usufruir mais facilmente seus efeitos se estiverem em repouso.

Despertou mais tarde com a impressão de ter estado em uma esfera de consciência extraterrestre. Na verdade, sabia que aquelas luzes não provinham de civilizações intraterrenas, cuja vibração já conhecia. Eram algo diferente, que não lhe era dado avaliar, mas que trazia uma qualidade distinta da vibração de níveis e planos deste planeta.

Por Trigueirinho - Livro O Nascimento da Humanidade Futura, Editora Pensamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares

Sites