Amhaj

Para que possais trilhar a senda luminosa é preciso responder ao Chamado. Isso significa vencerdes provas, nas quais terão confirmado o vosso elo com a verdade e com a luz. Todos os seres, um dia, penetram essa senda e alcançam a Morada Celestial. Porém, eons se passam até que o ciclo se consume. Não vos intimideis frente ao mal. Não desafieis o inimigo. Não retardeis vosso caminhar pelo clamor do passado. A poeira dos tempos será lavada do vosso ser; novas vestes trajareis, e grande será o júbilo da libertação. Porém, nessa senda pisareis sobre rosas e espinhos, e devereis aprender o mistério do Bem. É tempo de justiça. É tempo de graças. Magnífico poder, o Irmão Maior se aproxima. Silenciai vosso coração e acolhei o grande amor. Tendes a Nossa paz.

Hierarquia

sábado, 5 de novembro de 2011

Livro - O Campanário Cósmico

Enquanto houver luta por interesses meramente materiais, a vida sobre a Terra será imperfeita. Cuida-se do que é temporal, físico, social, e são ignoradas as dimensões mais sutis e as verdadeiras raízes das situações individuais ou coletivas. Mas as perspectivas se ampliarão quando a natureza do homem se desenvolver além de si mesma.

Trechos extraídos deste livro:



páginas.14 a 21, 35, 36, 37, 47, 67, 68 e 70.

A humanidade que habita a superfície da Terra não está só. Existem outros mundos, civilizações intraterrenas e extraterrestres, como tantos sabem. Muitas histórias há sobre Shamballa, na parte etérica do deserto de Gobi, sobre Erks, no mítico Vale argentino, e sobre o mistério das regiões amazônicas. Dizem que povos habitam áreas do interior do planeta, áreas no níveis sutis das Honduras, da Venezuela, do Equador, do Peru, de parte do Brasil e de muitos outros lugares. Segundo afirmam, há na selva amazônica passagens subterrâneas para essas civilizações intraterrenas, guardadas por tribos indígenas, como a dos Tíbaros, no Peru, e pela própria selva, que com seus perigos limita o movimento de eventuais curiosos e malfeitores.

Essas passagens conduzem a um mundo quase inexplorado, de que se tem noticia não apenas por achados significativos de viajantes de coletaram tabuinhas gravadas em ouro numa língua enigmática, em Honduras, nas bocas de entrada para as regiões intraterrenas. Sabe-se também a respeito desse mundo novo por intermédio daqueles que o visitaram em momentos de contemplação ou quando transportados de algum modo para lá. Trata-se de Miz Tli Tlan.

Como estado de consciência, Miz Tli Tlan reúne três raças: a cósmica (extraterrestre), a intraterrena e a da superfície da Terra, raças que de maneira similar também estão presentes em todos os planetas que tenham um plano evolutivo semelhante ao deste. Os seres extraterrestres que já conseguiram atingir a evolução cósmica encontram-se nos níveis mais elevados de consciência nos planetas subordinados à lei evolutiva, e o mesmo se pode dizer dos seres das raças correspondentes às intraterrenas que chegaram a certos estados sublimes de uma evolução maior e vivem em várias dimensões.

Já os seres das raças de superfície, por sua vez, existem só em alguns planetas físicos que estão sob a lei que rege o mundo tridimensional. Pode-se dizer que sua vida é limitada, se considerarmos a infinita diversidade de dimensões e planos por eles ignorados. Há planetas que evoluíram a ponto de não ter raça de superfície, que se caracteriza por não conhecer o lado interior da vida, mas tão-somente seu aspecto superficial e externo.

A cidade de Miz Tli Tlan está encravada nos Andes e chega até o território asteca, ocupando a área interior de toda aquela zona montanhosa, isto é, a outrora habitada pelos maias, astecas e toltecas. Em Miz Tli Tlan atravessam-se formas sólidas se necessário, como se elas não existissem. Vive-se conscientemente em vários planos e passa-se, à vontade, de um para outro, fato difícil de conceber para a mente concreta e para o hemisfério esquerdo do cérebro da maioria dos homens de hoje. O sábio indiano Sri Aurobindo se referiu a essa limitação do homem comum quando disse que a mente concreta é naturalmente voltada para acontecimentos e objetos físicos, só pode compreender e ver o que é físico, e lida com isso conforme a sua própria natureza, restrita.

A mente concreta não pode responder a mundos mais elevados. Segundo Aurobindo, quando deixada a si própria, à sua evolução natural, mostra-se cética diante dos fatos suprafísicos, do quais não consegue ter experiência direta, e os quais tampouco pode pressentir. Da mesma forma e segundo esse mesmo filosofo, quando a mente concreta tem uma experiência espiritual, logo se esquece, ou logo tem a impressão de que essa experiência terminou para, em seguida não acreditar mais nela.

As descrições da civilização de Miz Tli Tlan poderiam ser tidas como ficção cientifica, mas na realidade não são produtos da imaginação humana. Em parte correspondem ao plano físico, e em parte não.

As fronteiras entre os planos em que a cidade intraterrena existe não serão aqui reveladas, para que cada leitor possa descobri-las livre de quaisquer influências.

As viagens para Miz Tli Tlan são consideradas curtas. Em algumas delas os seres são transportados por naves extraterrestres aparelhadas para trajetos de superfície. Quando, ainda que tenham sido escolhidos para isso, não estão preparados para transitar em outros planos, o seu corpo é coberto antes do percurso com uma película protetora muito fina, para não sofrer alterações com a mudança.

Na cidade podem-se ver ruas pavimentadas com pedras semipreciosas, semelhantes às ágatas e aos rubis, e fontes ornamentadas com ouro. Os edifícios são altos, e têm as cores das pedras que cobrem as ruas. Os jardins são amplos e cheios de flores que desconhecemos. Algumas plantas, parecidas com o palmar, irradiam uma energia que é um composto radioativo da energia ono-zone, o qual tem origem estelar e está presente em todos os planetas, para que a vida e a harmonia se manifestem em cada um deles conforme as leis do universo. Esse composto radioativo não é agressivo. Sua existência foi revelada a todas as civilizações mais evoluídas que já houve, e sua potência foi por elas utilizadas.

Não existem hospitais nem médicos em Miz Tli Tlan, pois lá foi desenvolvida uma cibernética que controla a harmonia do corpo. Há câmaras onde os seres se submetem periodicamente a vibrações que harmonizam o sopro vital. Quando o tempo de vida individual nas três dimensões chega ao fim, essas câmaras procedem à “involução” do corpo, isto é, à sua desmaterialização ou passagem para outro plano. Assim não há cemitérios, não há cremações e tampouco usam-se rituais que demonstrem sentimentos de perda.

(...) Em Miz Tli Tlan, entretanto, foi desenvolvido um conhecimento que permite manter a vida por cerca de seiscentos anos em um mesmo corpo, seja ele etérico-físico ou sutil.

Estamos fornecendo esse número; porém quanto menos falarmos de tempo, tanto melhor para a compreensão em nível mental-intelectual dos homens de superfície, para os quais o tempo corre em outro ritmo.

(...) Miz Tli Tlan é a esfera planetária que controlará a evolução da nova raça. É a condição dinâmica da energia ono-zone; é a atividade ou expansão de uma nova existência mental. Esse movimento para dentro dos projetará até o primeiro passo do reino da universalidade. Para ser mais claro, não estareis mais sós como estivestes até agora, limitados à superfície. Apenas poucos de vós conheceram mundos internos e níveis superiores de consciência; de ora em diante, entretanto, as Hierarquias se exteriorizarão, e podereis VÊ-LAS, não estareis mais limitados às fronteiras impostas pela superfície do vosso planeta. Já sabeis da existência das cidades intraterrenas e das suas projeções no infinito cósmico, ou reinos superiores.

Essa nova etapa a ser vivida vós levará, se isso desejais, a esquecer verdadeiramente tanto o real quanto o irreal, para ingressardes em mundos que em integração universal, unem-se em uma mesma força, ou seja, em uma mesma lei, essa que vós chama a uma totalidade divina. Quando o estado evolutivo da raça de superfície estiver em condições de receber esse conhecimento e de participar dele, Miz Tli Tlan começará a materializar-se e a iluminar-se no plano físico, como o faz Erks. Shamballa era mais secreto, e jamais alguém o viu em dimensões físicas, porque Shamballa estava “controlando” e inspirando a evolução da raça. Mas agora, com o advento da nova raça, mas avançada, já não há necessidade de manter-se em segredo a existência do centro Maior do planeta.

O novo SER viverá a união dentro das fronteiras planetárias, desconhecendo o bem e o mal. Viverá na eterna harmonia das leis espirituais do Cosmos, e não mais na lei material do carma. Miz Tli Tlan é o campanário do templo universal em que vós tocará viver. Com o seu despertar, a Obra já começou na Amazônia peruana. Entretanto, nem todos chegarão a ele, como não chegaram a Shamballa.(...) A alma tem um código inteligente, de que se utiliza para ocupar um corpo ou para abandoná-lo agora, vossas almas estão adquirindo um novo código, que desenvolverá uma instrumentação superior e que vós conduzirá sem os erros que hoje cometeis. Nessas afirmações há muita estimulação para vós. Refleti sobre elas e caminhai. (...)

Enquanto a destruição que será trazida pelos próximos cataclismos e pela mudança da inclinação do eixo magnéticoterrestre está a cargo do Regente Solar ( é ele que controla as transformações provocadas por movimentos telúricos, inundações, ventos, estiagens, fogos de raios e outros), há também o que pode chamar de “intenção de destruir”, que provém do centro do mal cósmico, situado no plano astral cósmico. É tarefa de Miz Tli Tlan, por intermédio de suas Hierarquias, proteger a humanidade dessa “intenção de destruir”. Por outro lado, a destruição trazida pelo Regente Solar é sagrada, e fará parte do processo de purificação planetária. A percepção trazida pelo desenvolvimento do consciente direito, desenvolvimento que é atual leva a uma perfeita adesão á lei purificadora, o que possibilitará o surgimento da nova vida. Essa lei não traz, pois castigo, mas, pelo contrário, vem premiar. (...)

(...) Após a purificação do planeta, o Cone Sul será o centro mundial da futura raça. Sendo, de um ponto de vista interior, considerada a progenitora, ou seja, a mãe do novo código genético estabelecido na Terra, a América do sul será o ponto de irradiação dos novos padrões de vida para toda a superfície do planeta.
Essa é uma das razões para o presente livro surgir nessa região do planeta e a partir dela difundir-se e enriquecer-se com outros canais de informação.



Áudios ampliam este tema:

Avançar no caminho: Atividade, Amor e Vontade: http://www.irdin.org.br/acervo/detalhes/4505


Miz Tli Tlan e sua mensagem: http://www.irdin.org.br/acervo/detalhes/3286

Miz Tli Tlan, Samana e consciência-nave: http://www.irdin.org.br/acervo/detalhes/3291

Recordando conhecimentos: Miz Tli Tlan, o Centro do Propósito: http://www.irdin.org.br/acervo/detalhes/3449

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares

Sites