Amhaj

Para que possais trilhar a senda luminosa é preciso responder ao Chamado. Isso significa vencerdes provas, nas quais terão confirmado o vosso elo com a verdade e com a luz. Todos os seres, um dia, penetram essa senda e alcançam a Morada Celestial. Porém, eons se passam até que o ciclo se consume. Não vos intimideis frente ao mal. Não desafieis o inimigo. Não retardeis vosso caminhar pelo clamor do passado. A poeira dos tempos será lavada do vosso ser; novas vestes trajareis, e grande será o júbilo da libertação. Porém, nessa senda pisareis sobre rosas e espinhos, e devereis aprender o mistério do Bem. É tempo de justiça. É tempo de graças. Magnífico poder, o Irmão Maior se aproxima. Silenciai vosso coração e acolhei o grande amor. Tendes a Nossa paz.

Hierarquia

sábado, 5 de novembro de 2011

Espelhos - A verdadeira Imagem

Hoje, o chamamento para o ser percorrer a via sagrada desde a superfície até à profundidade de si é geral. O som ecoa na caixa acústica da psique colectiva como nunca soou. O pássaro do Cristo está cantando em toda a parte. Significa que o ruído, a poluição psíquica e psicológica tem que aumentar cada vez mais para que as pessoas não o ouçam.

O potencial de um ser não é do seu domínio a nível consciente. O que parece ser do nível consciente do nosso ser é a permeabilidade, a aceitação do nosso próprio potencial.

Os sonhos que nós não realizamos viram-se contra nós, as flechas que não lançamos acabam por nos ferir nas costas. Todos nós estamos aprendendo a conter aquilo que realmente somos (que tem estado excluído) a incorporar-se, a sincronizar o seu élan vital, o seu prana, a sua afectividade, o seu mental, estão aprendendo a sincronizar isto com a imagem perfeita de si próprios que está cunhada no âmago da consciência, no profundo da alma.

Essa voz dentro de nós vai sofrendo, na relatividade da nossa percepção, diferentes mudanças. Começa por ser uma voz vaga, indirecta, um eco, um jogo de sombras, depois vai sendo uma suspeita, gradualmente vai passando do nível da suspeita para o nível da cumplicidade, depois para o nível do reconhecimento, do abraço com essa ciência, esse facto vai-se transformando num núcleo duro, tão sólido, como um diamante.

A velocidade de instalação desse núcleo diamantino da rede humana é regida por sensores galácticos instalados na Terra. Sensores de sincronização entre o impacto de energia logóica sobre o planeta, a capacidade de ligação da Terra às grandes correntes de energia divina e a capacidade das células do Logos de acompanharem a abertura do Grande Portal.

Existe toda uma ciência de calibragem de um imenso amor e compaixão (as grandes pálpebras descidas da Mãe) que está sincronizando a velocidade de combustão planetária. O planeta vai começar a arder.

Esse arder está relacionado com a qualidade que tantos seres já criaram consciente ou inconscientemente, como um óleo para a chama que está a descer. As nossas personalidades são apenas o óleo para que a chama viva. Mas a velocidade com que o triângulo Humanidade/Hierarquia/Miz Tli Tlan/Shamballa passe de isósceles ou escaleno a um triângulo equilátero é regido por potentes moinhos de vento que existem na Terra e que captam o alento do Universo. O vento galáctico é o resultado do amor logóico de vastas entidades superiores porque aquilo que é o fogo da nossa mónada é a mente dos Logos.

Existe uma necessidade geométrica de sincronizar a abertura da força principal com os 12 moinhos de vento galáctico da Terra que estão a entrar em regime médio/alto. As suas velas estão a ser destravadas: Argentina, Brasil, Hawai, América do Sul, coração da Europa, Austrália, Oceânia, planície atlântica inferior, Antártida, Peru. Cada um destes moinhos interage directamente com a química cerebral e com a química do sangue do nosso ser, com as glândulas, com a velocidade de circulação do prana no corpo, com a quantidade de prana denso necessário por oposição à quantidade de prana subtil que é necessário para o indivíduo se manter vivo. São centrais transformadoras de vida planetária.

À medida que Miz Tli Tlan/Shamballa se vai abrindo, é necessário que a Hierarquia dê, toda ela, um salto evolutivo. É necessário que os próprios Irmãos maiores se abram numa escala nunca vista no planeta. Tem a ver com níveis de precisão na recepção da força, sincronização das mentes dos Mestres ascensos com caudais de força descendente muito mais vastos.

À medida que a grande porta se abre e a Terra tem o seu diamante aproximado (a força divina aproxima-se dos acontecimentos terrenos), a revelação atinge os outros dois pólos – a Hierarquia e a Humanidade. O triângulo sofre um enorme impacto. Há um 4º pólo – a matéria.

À medida que Miz Tli Tlan/Shamballa se expande, o impacto, primeiro, atinge os 12 moinhos de vento galáctico que começam a girar as suas velas receptoras e a emanar para a telepatia de grupo da Hierarquia e depois da Humanidade o seu Faça-se.

A energia crística é uma acção, um Faça-se de cima para baixo para a guindagem final da Terra em relação aos seus carrascos.

Esses 12 moinhos de captação de energia estão expandido a Hierarquia e a Humanidade simultaneamente. Isto implica que os ousados corações dos Mestres estão vendo horizontes que nunca tinham sido vistos na Terra, nem nos níveis internos, nem nos condutos imediatos entre a Terra e a zona local da Árvore da Vida.

Algo espantosamente novo está a chegar. Algo absolutamente imperial vai ser apresentado à Terra, não é um evangelho, gora é um Império. Um Império da essência, do amor, da abnegação, do silêncio e do sorriso misterioso que dissolve os condutos electromagnéticos do sono e os véus que seccionam o ser do ser. É o Império da Liberdade.

Para que esse elemento seja conduzido no seu poder predatório, na forma como ele vem, numa paz galáctica sólida que se abate sobre toda a ansiedade dos homens – A PAZ DE SANANDA.

À medida que a comporta principal abre e os grandes centros começam a girar as suas velas, a Hierarquia tem o seu coração levado ao nível dos Nirmanacayas (contemplativos divinos. Fazem contemplação ascendente e descendente simultaneamente) que são seres de luz integral que conseguiram desenvolver a capacidade de meditar em duas direcções simultaneamente e superaram o “anel não passa” da Terra e muitos são entidades extraplanetárias. Colocam-se no limite superior do campo planetário a par com o chamado “vigilante silencioso” – (Doutrina Secreta – H. Blavatsky). Todos eles têm uma vibração de nível Melkizedeque, eles contemplam já de uma forma quase automática a chamada “Luz de Glória”.

Os Nirmanacayas meditam para dentro do inconsciente dos povos, para dentro da química oculta da biologia terrestre, para dentro do campo electromagnético que sustenta a formação do ADN, para dentro dos condutos telúricos e vulcânicos até ao âmago do planeta. Ele é um cabo crístico.

Nir-mana-caya – veículo sem mente.

A sincronização entre a potência reveladora, a capacidade de recepção e emissão dos grandes centros ocultos da Terra, a forma como a Hierarquia aprende a lidar com os cabos de alta tensão que são os Nirmanacayas e a capacidade da humanidade se permitir SER, este processo é sincronizado, à molécula. Estes moinhos são os centros espelho da Terra.

Do ponto de vista divino, uma energia é Deus próprio que viaja ao longo de condutos tentando perder, ao mínimo, a sua imagem original. O olho de Kether, a função Órion dispara chamas de regénese que são olhos dentro de olhos. Esses disparos ópticos da própria consciência divina é a seiva da Árvore da Vida, e este orvalho de Deus é Deus e traz a imagem do Pai.

Para que a energia viva possa viajar nas dimensões utiliza os espelhos do Cosmos que captam a imagem divina e a reflectem para um novo plano. As nossas glândulas são espelhos intergalácticos a começar pela pineal. Cada um destes espelhos tem uma função diferente à escala planetária.

Alguns seres descobrem-se irmanados com o processo de revelação destes espelhos à humanidade. A voltagem destes espelhos, sem que a humanidade tenha consciência deles, pode ir até 20%. Para que a força dos espelhos atinja 100% a humanidade tem de estar consciente deles.

Existem espelhos que lidam com o chamamento, existem espelhos que lidam com a cura, com a nova mente, com a consagração do homem (autorização para que o diamante atravesse o véu da consciência), que trabalham com a consagração, com a revelação, com a sincronia entre os planos e existem espelhos que não trabalham com nada. São os espelhos dentro dos espelhos e alguns seres humanos vêem-se chamados para funcionar como comunicadores, como anunciadores, como mensageiros desse código vibracional desses espelhos.

Alguns seres têm os seus processos evolutivos muito acelerados, geralmente por processos de sofrimento, de impacto, de revelação vertiginosa, são quase sempre impactos que não estão muito afim com a necessidade lenta da psique de percorrer longos circuitos gradualmente (ter 7 anos para uma experiência, 3 anos para outra experiência, 10, 8 anos para outra) e são chamados para receberem, em si próprios, fórmulas através das quais as vibrações internas dos espelhos da Terra, dessas civilizações ocultas, acontecem.

Apresentação de Betty (Argentina em trabalho interno em Portugal)

A Betty tem estado a viver dentro do campo vibracional electromagnético de Erks, no coração da Argentina, e a tarefa dela inclui a aglutinação de pessoas que devem ser apresentadas nos planos internos a esse centro intraterreno.

Quando é dito que ela representa os espelhos, isso tem a ver com o facto de que a actividade espelho do centro intraterreno de Erks acontece também na actividade espelho da própria Betty, e essa actividade espelho (ou sacerdotisa) é que recebe o nome de Kuatuma (linguagem Irdin para uma função sacerdotal dentro do conselho de Erks).

Ao mesmo tempo, estes seres vão aprendendo a equilibrar as suas funções cósmicas com a sua natureza psicológica humana. Existe uma escola, provavelmente 4º Raio, que vai estimulando a função do equilíbrio entre funções cósmicas e a proporção, a contenção e a natureza psicológica do ser que tem essas funções.

Não tenho a menor dúvida de que o que está a acontecer internamente naquela região é através e com a Hierarquia cósmica e o contributo da Betty, e que funciona como um receptor e um porteiro para as pessoas que se aproximam desse centro intraterreno.

Hoje está-se numa fase muito mais sintética e límpida. Os Irmãos recorrem cada vez menos a manifestações exteriores que tenham impacto sobre a consciência. Há uns anos atrás havia uma enorme actividade de naves luminosas na zona de Erks. Betty teve contacto com essas realidades e nem sequer fala nisso.

Existe uma relação constante entre actividade intraterrena e extraterrestre. Ambas criam uma esfera electromagnética, mas hoje a actividade da Hierarquia nessas zonas é, cada vez mais, estimular o núcleo crístico e fazer vir ao de cima a verdadeira imagem e o verdadeiro poder espiritual.

Por André Louro de Almeida                  10/06/2005

Transcrição de Alice Jorge

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares

Sites