Amhaj

Para que possais trilhar a senda luminosa é preciso responder ao Chamado. Isso significa vencerdes provas, nas quais terão confirmado o vosso elo com a verdade e com a luz. Todos os seres, um dia, penetram essa senda e alcançam a Morada Celestial. Porém, eons se passam até que o ciclo se consume. Não vos intimideis frente ao mal. Não desafieis o inimigo. Não retardeis vosso caminhar pelo clamor do passado. A poeira dos tempos será lavada do vosso ser; novas vestes trajareis, e grande será o júbilo da libertação. Porém, nessa senda pisareis sobre rosas e espinhos, e devereis aprender o mistério do Bem. É tempo de justiça. É tempo de graças. Magnífico poder, o Irmão Maior se aproxima. Silenciai vosso coração e acolhei o grande amor. Tendes a Nossa paz.

Hierarquia

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Afinal, que somos nós, seres humanos?



O ser humano é a união de espírito com matéria, dois extremos da mesma realidade.

Caracteriza-se pela consciência de que existe, de que está vivo. Suas experiências são uma espécie de batalha, até que deixa de se identificar com o mundo das formas e de se iludir com aparências. Começa então a perceber outros lados da realidade, sente em si a presença da energia criadora, desperta para a responsabilidade de transcender padrões estabelecidos e assumir a própria evolução. 

Além do aparato físico, emocional e mental, o ser humano tem alma e, mais profundamente, uma mônada - também chamada de espírito. Depois de tomar consciência de sua mônada, descobre-se unido a outras seis mônadas, todas regidas por uma entidade maior, que é ele mesmo num plano ainda superior. Assim, à medida que expande a consciência, vai se reconhecendo cada vez mais vasto. E todo o seu modo de viver e compreender vai se transformando no decorrer deste trajeto; mudam suas atitudes e seus contatos. Conscientemente vai se deixando governar por esse universo interior.

Como percebemos os sinais desse governo interno?

O governo da alma pode ser logo percebido, porque se reflete na vida diária. Podemos até notar com que diligência procura conduzir-nos. O governo da alma alinha-se com o nosso verdadeiro destino, que ela conhece. A alma organiza os fatos da vida para que cumpramos esse destino a curto, médio ou longo prazo. Ao exercer sobre nós o seu governo, considera a nossa evolução individual e a do grupo de almas a que pertencemos.

 Quanto ao governo da mônada, nós o percebemos depois que a energia da alma flui sobre o nosso corpo mental, o emocional e o físico. O governo da mônada alinha-se com os propósitos mais universais, e não apenas com o destino individual ou grupal. A mônada considera a evolução sua globalidade e, portanto, quem está sob o seu governo tem uma vida bem diferente da de quem se rege pela alma. Já o governo do Regente monádico só é percebido quando ele começa a reunir e absorver em si mesmo as sete mônadas.

O Regente, que temos em nosso interior mais profundo, leva em consideração propósitos cósmicos e não apenas os individuais, grupais e universais. Todo tipo de governo baseia-se fundamentalmente no aspecto da energia divina que chamamos de Vontade-Poder.

A alma, a mônada ou Regente captam essa energia de fontes cósmicas em diferentes graus. Quanto mais elevado o governo, mais trabalha em níveis internos, mais se encontra além da nossa mente pensante. À medida que procuramos transcender o livre-arbítrio pessoal e seguir uma vontade maior, esse nosso governo interno vai nos conduzindo a expansões de consciência.

Isso significa maior controle sobre os apetites e instintos e também nosso reconhecimento de sermos parte do grupo interno de almas e de um Todo. Como conseqüência, tornamo-nos cientes de que a evolução do universo segue linhas determinadas, de que uma Hierarquia espiritual governa o planeta e de que temos uma contribuição a dar para harmonia geral.

Por Trigueirinho

http://www.trigueirinho.org.br/web/php/textos.php

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares

Sites