Amhaj

Para que possais trilhar a senda luminosa é preciso responder ao Chamado. Isso significa vencerdes provas, nas quais terão confirmado o vosso elo com a verdade e com a luz. Todos os seres, um dia, penetram essa senda e alcançam a Morada Celestial. Porém, eons se passam até que o ciclo se consume. Não vos intimideis frente ao mal. Não desafieis o inimigo. Não retardeis vosso caminhar pelo clamor do passado. A poeira dos tempos será lavada do vosso ser; novas vestes trajareis, e grande será o júbilo da libertação. Porém, nessa senda pisareis sobre rosas e espinhos, e devereis aprender o mistério do Bem. É tempo de justiça. É tempo de graças. Magnífico poder, o Irmão Maior se aproxima. Silenciai vosso coração e acolhei o grande amor. Tendes a Nossa paz.

Hierarquia

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Fraternidade do Mal


A Energia Única, ao refletir-se nos níveis materiais de um universo, pode apresentar-se como se fosse um mal, devido à imperfeição própria desses níveis, do mesmo modo que, ao se projetar uma figura sobre uma tela defeituosa, a imagem se mostra distorcida. Portanto, o mal é relativo. Sob certo ponto de vista, ele é a ilusão em si mesma. Assim, o trabalho de redimir a matéria constitui-se também num aperfeiçoamento do mundo formal, possibilitando-lhe receber espectro de energias mais amplo, sem desvirtuá-las. Neste planeta, as forças caóticas estão inseridas de maneira peculiar na substância dos níveis de consciência mais densos (do nível mental concreto até o físico concreto) e serão em boa parte expurgadas no fechamento da presente etapa de purificação.

Na Terra e no sistema solar, há um conglomerado de forças e de seres refratários ao desenvolvimento da consciência que deliberadamente se fixaram nas vibrações dos patamares da existência material; vivem um anacronismo, uma distorção; organizam-se em escalões hierárquicos e por isso são denominados fraternidade do mal. Estimulam tudo o que há de retrógrado e com isso cerceiam a expressão superior da vida. O domínio que a fraternidade do mal tem sobre a civilização da superfície terrestre é grande. A identificação do ser humano com a matéria aprisiona sua consciência, tornando-o vulnerável ao assédio dessas forças e seres. A rigor, indivíduo que não tenha a consciência enfocada na alma ou em planos mais elevados é influenciado pela fraternidade do mal, pois de algum modo colabora nos jogos dissuasivos presentes na substância dos seus corpos e do planeta. Esses intricados jogos usam como instrumento governos, religiões organizadas e instituições financeiras, bem como a maioria dos meios de comunicação. Muitos se submetem a eles, em alguns casos sem o perceber. O compromisso de certos países com essa fraternidade do mal, seu vínculo direto com magos obscuros, tornou necessária intensa purificação, que englobará até onível físico do planeta.

Iberah e os centros planetários a ele coligados sempre mantiveram o mal sob controle, apesar da aparente preponderância das forças obscuras. A substância material, em si, é livre de forças obscuras, assim é tratada por Iberah e pelas Hierarquias. Portanto, para a Hiearquia o mal não tem conotação semelhante à que tem para a humanidade da superfície da Terra, ainda imersa na ilusão e influenciada pelo desejo. O mistério do mal cósmico, todavia, cuja origem é remotíssima, é por demais amplo para que se possa desvendá-lo com a consciência humana. A afirmação filosófica de que ele não existe ou de que está e sempre esteve sob o controle de energias maiores, da Fraternidade da Luz, deve ser compreendida sob a ótica abrangente da evolução cósmica. Sob essa ótica, mesmo se a Terra fracassasse devido à ação das forças retrógradas, o mal ainda estaria sob controle, pois a evolução nos planos concretos tem valor relativo na trajetória cósmica global.Quando o indivíduo se volta para o próprio ego e suas infindáveis circunvoluções, abre portas para influências dessas forças negativas. Pode fazê-lo com atitudes, tais como a busca de recompensa, em todos os níveis; com o sentido de posse sobre bens materiais e pessoas; com a competição; com a busca de satisfazer desejos, ainda que aparentemente bons ou inofensivos; com o cultivo da vaidade e do orgulho; com a ambição; com a sede de poder; com a inveja; com a intriga. O caminho mais direto para transcender a vulnerabilidade a essas forças é a entrega ao eu interior e a dedicação à tarefa evolutiva que a si tenha sido confiada.

Retirado do Glossário Esotérico de Trigueirinho

p.170-171

Referência para leirura: http://www.4shared.com/document/6D4HxcPx/1992-Segredos_Desvelados__Iber.html?

Download Glossário Esotérico:  http://www.4shared.com/document/Wvfbno3H/Glossario_esoterico.html?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares

Sites