Amhaj

Para que possais trilhar a senda luminosa é preciso responder ao Chamado. Isso significa vencerdes provas, nas quais terão confirmado o vosso elo com a verdade e com a luz. Todos os seres, um dia, penetram essa senda e alcançam a Morada Celestial. Porém, eons se passam até que o ciclo se consume. Não vos intimideis frente ao mal. Não desafieis o inimigo. Não retardeis vosso caminhar pelo clamor do passado. A poeira dos tempos será lavada do vosso ser; novas vestes trajareis, e grande será o júbilo da libertação. Porém, nessa senda pisareis sobre rosas e espinhos, e devereis aprender o mistério do Bem. É tempo de justiça. É tempo de graças. Magnífico poder, o Irmão Maior se aproxima. Silenciai vosso coração e acolhei o grande amor. Tendes a Nossa paz.

Hierarquia

domingo, 13 de novembro de 2011

Vida Maior

Aquilo que nos faz avançar não é uma ideia, não é um corpo de conhecimentos, não são as circunstância e não são as trocas, estes processos faziam parte da antiga instrução neste planeta. Neste momento aquilo que nos faz avançar é força magnética, energia de colisão, força de síntese, energia de aglutinação dos elementos que constituem os nossos veículos em torno do eixo central do ser. Uma vida maior busca penetrar um estádio receptáculo enorme. Daí estar-se insistindo em plasticidade, maleabilidade, receptividade, aquiescência, obediência lúcida à voz central.

Durante milénios os homens moveram-se pela força das ideias, das situações, dos acontecimentos, do meio ambiente, das trocas. O método através do qual a organização exterior da vida, o impacto do meio ambiente sobre a consciência que contém a grande instrução do ser, terminou, está desactivado pelo veio de instrução neste planeta. Isso não significa que quando um ser não consegue ouvir a voz interna e não consegue estabelecer o protocolo hermético através do qual essa voz interna se anuncia e torna clara, necessariamente, a voz interna passará a actuar a partir do exterior. O que está activo, de uma forma cada vez mais intensa, é a capacidade de a tela de alta sensibilidade que vem sendo instalada no ser humano, receber o estímulo da força magnética de gravitação espiritual, de força de vida monádica, de energia de colisão.

Uma vida maior prepara-se para entrar nos circuitos da Terra. Cada um de nós é um nódulo, um sensor e um estabilizador dos receptáculos da humanidade.

A força de síntese que se prepara para descer nos seres que estão pré codificados, pré instruídos, nos seres que receberam a contemplação crística para o final do processo histórico tal como o conhecemos, forma uma entidade esférica. Ela está-se preparando para descer em todos os quadrantes da Humanidade, em todas as regiões geográficas, em todos os estratos culturais, em todas as coordenadas possíveis, e ela busca aninhar-se no centro do coração. Esta experiência de não conseguir reter os objectos de desejo, ou a mesma intensidade com que a vida afectiva e psicológica acontecia antes, é a preparação do esvaziamento das camadas em torno do íman do coração. Este íman não pode ser desligado. Eternamente nós amaremos, atrairemos, eternamente nós nos estamos preparando para graus e intensidades de fusão com a realidade última. Esta realidade central em torno da qual toda a nossa vida psicológica se organiza está sendo purificada. Tudo o que somos capazes de reter, de trocar obsessivamente está perdendo o contacto connosco e nós com isso.

Acontecem em nós diariamente operações transcendentes, que na sua maior parte não são possíveis ainda de se apresentar ao nível consciente do ser. A câmara do coração é por definição a residência do Divino. O aprendizado central actualmente é estabelecer um princípio de contacto, identidade, polarização, identificação com o facto divino dentro de nós.

O ser humano comum tem dificuldade em sentir a sustentação, a alegria, a leveza e o princípio de cura oculto que reside no centro do seu coração. Cada vez que tentamos estabelecer um contacto estável com esse hiper estabilizador dimensional, observamos que somos atraídos e repelidos simultaneamente, porque o teu coração é um centro iniciático. Ele é o último centro iniciático disponível, tudo o que fica entre estas duas realidades é instrução, porém, não iniciação.

A iniciação é um ritual de participação sem retorno. Do ponto de vista da evolução animal, a nossa coluna vertebral é de alto iniciado, porque nós não temos cauda.

A reorganização dos aminoácidos a partir dos jardineiros do espaço fez com que não fosse necessário manter-nos na horizontal, a cauda foi desaparecendo, é uma iniciação biológica. Assim como a produção de certas hormonas vai desaparecendo, é uma iniciação neurológica, fisiológica.

O objectivo desta vida maior está criando passagem em nós, planificar-se através de todas as dimensões. A vida maior entra livremente em nós através do portal avatárico que se situa frente à "praia cósmica", e está aberto, vocês recebem constantemente o elan do Divino nessa zona. Este sopro divino constantemente activa o portal avatárico, abaixo disso a mónada funciona como um receptáculo e como um coração pulsante entre a eternidade e o tempo, ele constantemente está adaptando esse alto divino ao problema da substância em ascensão. É uma super hipófise.

A capacidade de dirigir energia devocional para os níveis superiores da nossa consciência é idêntica a uma faca, ela precisa ser constantemente afiada para funcionar bem. Toda a organização psicológica do homem, todo o consenso desta comunidade age no sentido oposto ao afiar desse tipo de direccionamento, então, nós somos multiplamente responsáveis pela nossa espiritualidade. A era do conforto espiritual terminou, começa a era do trabalho árduo espiritual.

A vida maior ainda não desceu, ela paira como um pássaro sagrado sobre este planeta. A vida maior busca aqueles que desde o princípio souberam, no âmago do seu ser, que lhe eram destinados. Todo o sofrimento humano diz respeito ao facto de que a vida maior busca descer e nós estamos alimentando aspectos da vida menor. Existe no Universo mais vida do que aquilo que este planeta pode absorver. Existe sobre nós mais força de síntese, mais energia cósmica do que aquilo que a nossa patologia permite receber.

Quando a Humanidade se prepara para receber a revelação gradual das linhagens monádicas, quando estes 7 veios que caracterizam cada uma das vias cósmicas de cada um de nós, se prepara para ser anunciado, significa que estamos sendo aliviados do nosso passado.

Quando a Hierarquia diz: "esquece o teu passado e caminha em direcção à porta", ela assume o teu passado. Se tu estás perante uma anunciação interior, esquece o teu passado! A anunciação interior contém prolongamento até, e para além dos senhores do carma. Se tu com um mínimo de esforço começas a aprender a arte de inibir o que não diz respeito ao teu ser, donde vem a sustentação para isto? Obviamente que muitos de nós já estão tendo os primeiros prolongamentos das suas asas, quer queiram quer não.

A primeira experiência de tu estares recebendo uma visitação da vida maior, é um vazio profundo no centro do teu peito, é quando tu percebes que algo se retirou e foi para um nível muito profundo. Tu sentes-te bombardeado por um vazio incrivelmente significativo. Este vazio acontece porque há uma alegria suave e intensa no centro do teu ser, na zona muito para além da tua capacidade de decisão.

À medida que a vida maior vai pousando em ti, começas a perceber que é a tua própria personalidade que se recusa a abandonar a experiência. São os próprios veículos que colaboram. A vida maior neste momento é como uma planta que está a começar a brotar em nós. Para que eu possa ter uma experiência de fortalecimento dessa planta, eu preciso fazer um jejum de relacionamentos. Quando o filamento ao qual tu estás ligado começa a agir, tu perdes toda a necessidade de necessidade. Tu sabes que é a vida cósmica a começar a alojar-se em ti, porque todas as necessidades de compensação, de retribuição, de ser compreendido, de pertencer, todos estes cheques que nós passamos subtilmente uns aos outros, desaparecem, e tu ficas completamente liberto para a experiência de uma alegria que é intocada por qualquer mácula psicológica.


Nestes momentos é preciso uma atenção extrema, porque pode-se dar um deslocamento entre a parte da consciência que está tendo a experiência e o conjunto de hábitos que naquele momento ficou retido no exterior.

A vida maior vai entrando em ti com doçura, exactamente como uma mãe, como um facto cósmico nutritivo, curador e balsâmico. Quando esta substituição acontece, o princípio da identidade velha desaparece, tu deixas a zona de consciência na qual tu achas que vives, e entras na zona de consciência em que tu és vivido pela energia cósmica.

Uma das qualidades psicológicas desta experiência, é que apetece fazer telefonemas para toda a gente a contar o que está a acontecer, tu ficas com uma intensidade de perdão, de compreensão e aceitação pelos outros, imensa, e tu dizes: “fiquei santo”. Não. Tu estás a deixar que a energia viva através de ti.

Existem neste momento no planeta, dois seres que estão lidando com a purificação do coração humano numa escala muito alta, eles pertencem ao mesmo veio monádico, são ambas hierarquias espelho, isto é, operadores de reflexibilidade. Estes seres foram conhecidos na superfície como Stª. Teresa de Ávila e Stª. Isabel, e eles estão começando a atrair para os seus cones magnéticos, as mónadas espelho que correspondem exactamente à vibração delas. Existem algumas dezenas de mónadas encarnadas, que são espelho de uma energia superior para o exterior, dentro da hierarquia de Isabel. Isto são cones de energia que têm um núcleo crístico no centro e uma cauda de atracção espiritual total.

A outra é Teresa, e estas duas ALTÍSSIMAS senhoras de luz, estão continuando a atrair as mónadas espelho que correspondem ao veio da energia-luz, e estão começando a criar uma imensa molécula - eu estou falando especificamente de Portugal, ainda que isto não seja válido apenas para Portugal, mas sim para toda esta plataforma atlântica - de mónadas que deverão manifestar uma vibração de amor, de compreensão, de perdão, de inclusividade, muito amplas, e alguns de nós sempre soubemos disto.

Estas duas hierarquias - Isabel e Teresa - por sua vez, são mónadas espelho que estão dentro de uma hierarquia maior, à qual a Humanidade se habituou a chamar Maria e que é só a regente dos espelhos da Terra, isto é, a entidade que está formando, seres espelho.

Todos os seres espelho são operadores de reflexividade, eles captam energia que vem dum plano superior, e emanam para o plano seguinte. Existem seres espelho em muitos estratos do Universo. É um tipo de tarefa que é fortemente marcado pela energia feminina, ou seja, pela energia da receptividade cósmica. Tem a ver com receber, ampliar e emitir.

Maria já não pertence à esfera terrestre e contudo jamais a abandonou. Este ser foi admitido à vibração dos conselhos solares, é um ser cuja vibração, neste momento, está em fase com o campo evolutivo do Sol, e é um ser que pertence a um conjunto de hierarquias, todas elas ligadas à evolução solar, cujo nome termina em HUMA. Então, o nome dessa entidade neste sistema, não é obviamente Maria, que é um nome da Palestina, mas Thikuma. Isto significa a vibração com a qual as mónadas espelho estão começando a alinhar-se, é uma vibração acima do plano causal. Ela começa quando nós respondemos à espiritualidade pura, aquela que não tem qualquer intenção secundária, nem mesmo curar, porque é a espiritualidade que não pretende sequer curar, que cura.

Em Portugal está sendo estabelecido, nos planos altos desta zona geográfica, um espelho colectivo. Ele está sendo instalado no 4º éter - o mais alto - e deverá passar para o 1º, 2º, 3º, 4º. Está sendo instalado no 1º éter que é o reflector, até chegar ao éter químico, que é o que produz alterações no comportamento dos elementais, dos anjos, das forças electrónicas e das hostes eléctricas de Deus e da natureza. Este espelho que está sendo implantado nos planos internos, é composto por mónadas espelho encarnadas, e não encarnadas. Alguns de nós já estão participando nesta arquitectura e continuam vivendo a sua vida externa, normalmente, sem precisarem saber demasiado destas coisas, até ao momento em que se dá uma maturação do consciente, o suficiente para que possam ser passadas sem que as pessoas se sintam fora da Terra, demasiado.

Um espelho colectivo é formado por mónadas espelho individuais e a relação entre elas forma um circuito electrónico perfeitamente estável, e por enquanto, não tem a mínima importância onde é que elas estão geograficamente.

A característica essencial é que tu começas a sentir uma sede de vazio, silêncio e estabilização do teu sistema nervoso e a ter necessidade de receber uma outra vibração no sistema nervoso, que não a vibração que pode ser transmitida entre irmãos, ou na meditação no sentido antigo do termo. Tu começas a sentir sede de teres o teu sistema nervoso habitado por uma vibração que vem de um nível de consciência que está por detrás da evolução colectiva, inclusive da evolução deste povo específico.

Por André Louro de Almeida                   21/06/1999

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares

Sites