Amhaj

Para que possais trilhar a senda luminosa é preciso responder ao Chamado. Isso significa vencerdes provas, nas quais terão confirmado o vosso elo com a verdade e com a luz. Todos os seres, um dia, penetram essa senda e alcançam a Morada Celestial. Porém, eons se passam até que o ciclo se consume. Não vos intimideis frente ao mal. Não desafieis o inimigo. Não retardeis vosso caminhar pelo clamor do passado. A poeira dos tempos será lavada do vosso ser; novas vestes trajareis, e grande será o júbilo da libertação. Porém, nessa senda pisareis sobre rosas e espinhos, e devereis aprender o mistério do Bem. É tempo de justiça. É tempo de graças. Magnífico poder, o Irmão Maior se aproxima. Silenciai vosso coração e acolhei o grande amor. Tendes a Nossa paz.

Hierarquia

sábado, 10 de dezembro de 2011

A partir de Agosto.Boom de Autenticidade.Grupos de Evolução


Em Agosto deste ano começa o ciclo da revelação direta sobre a Humanidade e termina o ciclo de revelação indireta. Até agora tem existido uma cortina que separa o consciente, que é composto por toda a Humanidade, e o super consciente deste planeta que é composto pelas nossas realidades internas e pela Hierarquia da Terra. 

A partir de Agosto, inicia-se o ciclo em que terminam as etapas de ouvir, ver e entra-se na etapa de tocar. A realidade interna deste planeta, a partir de Agosto, passa para uma etapa em que toca, falando em termos ocultos, a realidade exterior. Por isso os Irmãos têm vindo a recolher na maior parte de nós, as visões, as clariaudiências, as percepções intuitivas e os processos de instrução interna direta, porque a partir de Agosto, o processo torna-se direto. Sempre que existe uma visão, uma percepção subtil, uma intuição, está a acontecer um transporte entre uma realidade de um nível e uma realidade de outro nível através dos filmes etéricos que fazem a passagem, e isso corresponde às etapas de instrução por visão, por audição, não no sentido apenas da clariaudiência e da clarividência, mas mais profundo ainda, que é a capacidade de quem, com o equivalente subtil desses sentidos, reconhece o som sem som, a supra cor, a super presença, essa etapa em que certos éteres eram utilizados para intermediar a aproximação do fogo cósmico à Terra, termina em Agosto e começa a etapa do toque, o que significa que a relação com a Terra, enquanto projecto cósmico, passa a ser uma relação de experiência, de calor e de total e sólida participação nessa realidade. 

A fé que é um mecanismo de delegação entre dimensões, irá ser cada vez menos necessária, porque os espaços entre essas dimensões vão começar a tocar-se, e o transporte do fogo será de tal forma intenso, que a experiência humana é uma experiência de divisão entre os que estão vivendo o processo ascendente da Terra, os que estão ainda observando e os que estão ainda consumindo e vivendo o processo superficial comum. 

A divisão vai-se dar por desfasamento energético para além de toda a linguagem e para além de todos os protocolos aurículos, cármicos e simpáticos. A partir de Agosto dá-se a fundação na Humanidade da Hierarquia. Isto significa que o contingente da Humanidade encarnada que tem estado mantendo acesa, custe o que custar (com os pés banhados no sangue do seu próprio coração, para usar a expressão do Mestre Tibetano), a tocha da consciência supra física, estes seres serão, completa e definitivamente fundidos na aura hierárquica. 

O poder do verbo, do sol interior, desses 12 ambientes da separação espiritual que são os Ashams, destas agências cósmicas da Terra, irá aumentar vertiginosamente após esse mês. A Hierarquia a partir deste ano sobe um patamar, efetivamente. Parte da hierarquia que até agora tem estado ligada ao planeta Terra, abandona a Terra e segue para planetas superiores, ou para sistemas não físicos ou não subtis de evolução, e de entre os seres encarnados, está previsto o seguinte: todos os aspirantes terão acesso ao convívio com um discípulo firme; uma parte desses aspirantes torna-se efetivamente discípulo, isto é, o elemento vacilação, curiosidade, experimentação, vamos a ver o que isto dá, é definitivamente expulso das suas auras e o 1º Raio da filiação ao núcleo emerge e implanta-se definitivamente nas consciências destes seres. Isto é o problema dos aspirantes; os discípulos estão passando, em meses, por processos iniciáticos em massa, o que significa que aqueles que agora são discípulos, irão receber a primeira iniciação, os que têm a 1ª iniciação irão receber a 2ª ou 3ª iniciação, os que têm a 2ª iniciação, irão, em grande parte, fundar ou manifestar novas expressões, novos epicentros de serviço, isto é, adquirem a 3ª iniciação e com a 3ª iniciação, um dos problemas é que o discípulo não se consegue manter equilibrado no plano material da 3ª iniciação, se não prestar imediatamente o serviço em torno dele, faz parte do processo. 

Toda a Hierarquia da Terra translada-se um patamar. Cada um de vós tem de manter a tocha acesa em função de portais deste tipo, é muito importante a forma como cada um destes seres está passando este portal. De facto a Terra, enquanto uma massa psíquica, entra em intercepção efetiva com o campo psíquico da estrela local do Sol e transporte do fogo através de véus, termina rapidamente e muitos seres humanos irão ter a erupção espontânea do amor divino. 

O tempo que temos neste momento é o de alinhar os corpos 24 h/dia, de manter a sua vida emocional consciente de um amor maior, de manter a sua vida física consciente de uma super matéria ainda desconhecida na Terra mas em formação, de manter a sua vida mental consciente da grande mente que sustenta todas as frotas, todos os comércios mentais da Terra, estar oceanicamente ativo e alinhado de forma que aqueles que podem preparar um campo de vibração simpático ao choque térmico do tipo de fogo que se prepara para descer, possam fazê-lo em serviço. 

Muitos de nós irão sentir uma necessidade muito forte de durante esse mês, organizar com aqueles que estão mais diretamente ligados com eles, etapas de retiro, de silêncio, de oração grupal e períodos de recolhimento. 

O tipo de esteira em que a Terra desliza neste momento, pede àqueles seres que são parte da Hierarquia, não mais continuem visualizando-se a si mesmos como ligados à Terra. Quando se fala em elemento terra, ancorar, estar na Terra, não tem nada a ver com a terra psicológica que as pessoas julgam. O “estar na Terra sem ser da Terra” é a Terra como projecto cósmico, como grande escola de estabilização dos elementos, é o mistério do quadrado que guarda o processo de ancoragem e não esta contínua filiação a elementais mais pesados e a forças mais densas que dão às pessoas a sensação de pertencer ou de estar na Terra, o que é apenas uma sugestão neural, uma sugestão dos sentidos. Ninguém está na Terra. O que está na Terra é o nosso corpo de astronauta, esta organização de ácidos nucleicos, tudo o mais busca o céu, o deleite da comunhão com o Divino. Então o que é que é estar na Terra? Obviamente que o nosso corpo físico também busca uma super matéria e uma experiência de suspensão do envelhecimento celular, até que alguma coisa aconteça com o corpo físico em sub raças posteriores a esta. 

É pedido que estes seres entrem ritmicamente em ativação das suas memórias pré natais. Existe uma zona no córtex que contém estável a memória pré natal, não quem tu eras nas vidas anteriores, mas quem tu és, sem vidas anteriores, e nem com vidas anteriores, é quem tu és quando não pertences à encarnação física, aquilo que é o teu templo interior e onde são processadas as sínteses e as fusões de conhecimento de encarnação em encarnação. Ali existe uma memória e nessa memória estão os registos de consciência que cada um de nós se comprometeu a altivar do lado de cá do véu de Maia. 

Não é só ser atraído para baixo, tem um método, um ritmo, uma forma de vir a estar aqui, uma forma de encarnar, tem uma metodologia de adquirir encarnação, e a maior parte dos seres que têm estado em preparação acelerada neste planeta nos últimos 50 anos, são seres que estão filiados a conselhos, eles trazem ao longo da sua coluna vertebral uma responsabilidade hierárquica, têm programado para se ativarem em momentos chave do planeta, é pedido que eles ativem, invertam o circuito da memória do passado e comecem a praticar a memória do futuro e a memória da vida pré natal, antes de adquirir a encarnação presente. Eles trazem um compromisso perante a sua mónada e perante os conselhos do cosmos em manter acesa a chama da consciência, do serviço, da doação integral ao plano divino. Num certo nível de vibração cada um de nós é um processador de voltagem, é um nódulo da consciência do Cristo, um estabilizador de campo responsável por acontecimentos cruciais neste planeta. Vocês são asas e coração. A ativação desta memória tem uma facilitação ao longo do mês de Agosto. Certas injeções de luz irão ser aceleradas e potencializadas durante esse mês, e muitos irão ter consciência do seu compromisso cósmico, não uma consciência por decalque moral, isto é, quando nós temos consciência que o bem deve ser provavelmente para cima e o mal deve ser provavelmente para baixo, não, trata-se da experiência, na consciência, de um diálogo consigo mesmo e de um diálogo com um Mestre ou um representante de um conselho que lhes passou o estímulo e a bateria equivalente ao compromisso assumido. 

Cada um de nós antes de encarnar avaliou o estado vibratório como um todo, a oportunidade que a encarnação oferecia e avaliou o problema planetário, e perante isso, determinou para si uma meta que pode ser a 1ª, 2ª, 3ª e, em raros casos, eventualmente, a 4ª iniciações. 

Após a assunção deste compromisso, o outro lado da Hierarquia passou-te um potencial de vibração, de capacidade de auto superação que se encontra adormecido dentro de nós. Esse potencial, essa força, essa energia de quebra gelos existe em nós e ela é diretamente proporcional ao tipo de compromisso que nós assumimos perante os Irmãos. 

A partir de Agosto, à medida que a Terra entra em intercepção com a frequência solar, começam os translados em massa de seres que não podem suportar a vibração da Terra, isto é, começa o retirar do planeta de grandes quantidades de seres humanos, eventualmente dos planos astral e mental e de planos límbicos, que não têm mais condições de continuar encarnados ou ligados a este planeta. Assim como esses seres contêm dentro deles um potencial de violência, a luz que precisa de se instalar neste planeta é sentida por eles como uma violência, como uma invasão, então, o Universo, na sua misericórdia, leva-os até à órbita que lhes corresponde. 

Enquanto este drenar da Humanidade, que não tem um padrão vibratório da nova Terra, começa em massa, é necessário que estes seres que têm mantido essa tocha acesa, sem saberem até muito bem como, nem porquê, encontrem o seu ponto. O facto é o término do período de oscilação, de vacilação, de coragem intelectual e de necessidade de ingerir grandes quantidades de informação heterogênea, o indivíduo começa a ter a experiência de uma comutação do princípio residente. O princípio residente em nós, até agora, tem sido o fruto de uma civilização, de uma cultura. O novo princípio residente é uma entidade estelar que vai descer e que vem polida, brilhando, não é preciso fazer nada, ela simplesmente encaixa, entra e comuta o princípio residente, isto é, preparemo-nos para sermos neo habitados por um outro ser. É um caso de possessão colectiva, só que desta vez é a pomba que os profetas viam descer sobre a humanidade possível. Então, esse processo de descida da pomba começa em Agosto, efetivamente, com destruição, inclusive, de camadas etéricas e com o aninhar-se das faculdades aladas, de nascido do céu, e não nascido da Terra, respectivamente, no centro da cabeça, no centro do coração com triangulação com as mãos. A vibração residente está presente no centro oculto da cabeça, no centro do coração, o tal coração cósmico que temos vindo a estudar, não o coração psíquico que corresponde ao chacra cardíaco, e obviamente nem o físico, mas esta zona de hiper resposta ao governo central do Universo que se situa ligeiramente à direita do centro do peito, aí o princípio residente começa a fazer-se sentir. A característica de comutação desse princípio residente, é a ausência de vacilação perante o caminho. Vocês sabem que é por ali porque não há alternativa em termos de conhecimento direto. Termina, portanto, a etapa do conhecimento indireto. Começa a ser drenada, anulada, adormecida, aquietada, a etapa dos instrutores passando informação fria, as pessoas vão começar a afastar-se dos espaços teóricos e o mantra da mudança de milênio é: “Eu preciso de actuar”.

Existem três sintomas que irão marcar a década que se aproxima, isto é, se tivermos direito a uma década, os sintomas são: boom de autenticidade; paina do quotidiano; necessidade de ação ígnea em nome do planeta. Vejam o tipo de mudança de escala que está implicado neste processo. 

Boom de autenticidade, é o que acontece quando dois seres se encontram para fazer uma coisa que o ego tinha combinado e não conseguem, é o que acontece quando há uma mesa redonda para falar sobre pintura cubista e de repente, um dos representantes da mesa redonda na televisão ao vivo, diz: “eu não quero falar de nada disto e vocês também não, vamos acabar com esta inércia capricorniana e vamos falar da coisa real, que é, o planeta está a passar ….”. Esta realidade vai-se tornar universal, e os booms de autenticidade significam que a equipe de televisão vai reagir para tirar o programa do ar e pôr outra coisa e de repente, decide não pôr, isto é, o realizador do programa diz: “vamos ver o que é que isto dá”, os telefonemas começam a chegar à “regie” e, sobretudo a outra pessoa que também vinha falar de pintura cubista, começa a dizer: “ainda bem que você falou nisso”, e ela começa a falar também. Preparem-se que isto vai ser à escala mundial, desde o Parlamento Europeu às crianças a brincarem no infantário. Uma das características deste boom de autenticidade, o fogo interno está cansado de ser reprimido nesta humanidade. A nossa bondade, a nossa divindade, a nossa realidade inerente, a nossa presença divina que habita em nós, está cansada, ela está descendo e tornando-se visível. O processo das máscaras termina e a necessidade direta desta realidade cósmica, que está a dois dedos de distância de nós e cujos nossos mecanismos mentais continuam a achar que…, talvez um dia. Talvez um dia uma ilha grega, talvez um dia quando a minha alma gémea aparecer, talvez um dia quando eu fizer um mantra correto, LIXO! A luz está a dois dedos da nossa cabeça! Nós somos uma formação de luz! E esta evidência já esperou tempo suficiente, a partir de agora, a força que estava por detrás das 7 ou 8 agências mundiais, desde o Banco Mundial ao petrodólar, essa força negra está sendo retirada e está a chegar aos limites mínimos (claro que isto não vem no telejornal!). Essa força negra, por potências arcangélicas, está sendo retirada até aos seus limites mínimos, de forma que os Irmãos, para agirem à superfície, primeiro tiraram a força desses fundamentos. A maior parte dessas “coisas” que estão aí, são tigres de papel, elas impressionam enquanto tu não pões lá a mão. Nesse contexto, essa força descendente vai gerar mundos de autenticidade em série. A luz precisa de se exprimir através de nós. A ambição é um mecanismo que vem de uma série de hábitos culturais e instintivos, mas isso é o que está em baixo, e o que está em cima? O que está em cima já interceptou camadas subconscientes do nosso ser que não temos consciência, porque elas estão por detrás. Muitos de nós têm medo de atravessar o túnel que conduz à visão pura do seu ser interior, porque têm medo do que podem encontrar a meio caminho. O preço de ficar do lado de fora do túnel, a partir desta etapa, é muito mais alto do que qualquer demônio que tu encontres a meio caminho! O grande demônio é ficar à superfície neste momento. O ponto é que se os seres que estão destinados a dar o salto neste momento, não derem esse salto, eles vão-se transformar em mortos vivos, isto é, a sua essência fez o máximo, como diz o ritual católico, “bastava-lhes dizer uma só palavra para serem salvos”, e eles não disseram, e a partir daí, a essência retira-se. Esses seres vão começar a passar por etapas de desvitalização profunda. Existe uma elevada energia de Escorpião, de Plutão, de Marte, na próxima etapa, significa que o que tem que degenerar, vai degenerar muito rapidamente, e o que tem que regenerar vai regenerar muito rapidamente. Esse é o poder de Escorpião. Vai-se dar uma agudização das curvas descritivas da consciência planetária. 

Estes seres que têm vindo a ser rodeados de presenças angélicas, que têm vindo a ser apoiados dia e noite por falanges de luz, que têm vindo a ser amados de uma forma mais concentrada por esses transportes de um amor divino, preparem-se para viver choques. Esses choque são: de ver partes do seu quotidiano esboroarem como uma estátua de sal; pessoas do seu quotidiano afastarem-se para conjunturas energéticas completamente off; situações antes tidas como absolutamente sólidas transformarem-se em piscinas líquidas. As pessoas que se preparem para abrir as mãos como um bebé. 

Esta comutação do princípio residente em alguns de nós já aconteceu, ou está-se insinuando duma forma cada vez mais profunda. Vocês começam a perceber, não que estão vivendo a vossa vida, mas que são vividos por uma vida maior. 

À medida que este contingente é tracionado para dentro das portas iniciáticas, e o processo de 1ª iniciação hoje, contém muitos aspectos do antigo processo de 2ª iniciação, assim como o processo de 2ª iniciação, controle do corpo emocional, contém muitos aspectos da 3ª iniciação, nós estamos a ser preparados para entrar nesse corredor e percebermos a substituição do antigo fogo que animava o nosso ser, uma nova identidade, um novo fogo, um novo ser. Por detrás desta identidade superficial, aguarda um deus. 

Quando falamos do portal da transfiguração ardente, que conduz à queima do que nós não somos e à revelação do que nós somos, estamo-nos todos preparando à escala planetária para entrar em contacto com essas forças de inversão da consciência, ela não foi feita para estar virada para fora, os cinco sentidos é que sim. A nossa consciência não existe fora nem dentro. Ela é. A consciência tridimensional tem sido profanada, descentrada constantemente, mas neste momento, porque a identidade em nós está a ser comutada, a nossa capacidade de continuar a chamar eu ao que antigamente chamávamos, está a ser retirada, isto é uma invasão divina ou trata-se de um processo real? O que é que nós achamos que fazemos quando rezamos o Pai Nosso? É uma invocação potentíssima! Cada vez que tu rezas o Pai Nosso, estás a pedir essa comutação, cada vez que tu aspiras à luz, que aspiras a um mundo diferente, estás a pedir essa comutação, esse translado de identidades dentro de ti. 

Atualmente, há muitos seres que quando se sentam em meditação – meditação é uma coisa que está fora de moda, simplesmente porque o espírito desceu e a alma subiu, a meditação era o que se fazia antes disso, era um processo de compensação, mas neste momento, a alma subiu para o 5º plano e a mónada está começando a descer, isto significa que a meditação está a acontecer em nós constantemente. A tenção crescente que as pessoas sentem entre o seu estado de consciência e os ambientes em torno delas, familiares, profissionais, intelectuais, existenciais, esta tensão crescente, tem a ver com o facto de que elas já estão a viver em meditação, não profunda, mas introjectadas e conscientes da grande ilusão do mundo. Se tu vais na rua, com aquela feira popular à tua volta, consciente de que é tudo uma ilusão, tu estás em meditação. Se tu consegues perceber a natureza imaterial da matéria, a natureza gasosa do sólido, a natureza vaga da autoridade política, a completa irresponsabilidade dos responsáveis, se consegues perceber que é tudo um teatro, tu estás em meditação! A meditação é uma coisa que cada vez mais vai ficando para trás. Agora, alguns seres estão entrando em estados de concentração mais profundos e descobrem de repente um rosto dentro deles, é uma espécie de visualização criativa espontânea, e esse rosto olha através do rosto deles e percebem que esse rosto tem vagamente as linhas do rosto exterior, mas é principalmente uma fisionomia das estrelas, e como várias pessoas me disseram a mesma coisa ao mesmo tempo, foi necessário refletir sobre isso. Isso é o anunciar-se da chegada do outro princípio residente, a tua contraparte acima da Terra veio viver em ti, e ela está simplesmente a centímetros da consciência. 

Tudo está por um fio e esse fio é um tremendo vampiro, porque esse fio representa a soma total das resistências da antiga ordem planetária. A nossa inabilidade em permitir que a identidade divina venha ao de cima está suspensa por hábitos de falta de amor para connosco próprios, hábitos de não cultivar a nossa experiência profunda, estes hábitos precisam ser vencidos e eles estão todos organizados num minúsculo fio. Podem dizer que não é um fio que é uma corda gigantesca e tão cedo não vais sair dali, se assim é, para que serviu o “sermão da montanha”? É um aviso de que as coisas podem mudar de figura. 

Jesus disse: “quando vocês menos esperarem, eu cheguei e vocês não sabem quando é que eu chego, nem de donde eu venho, nem por que fresta da casa é que eu entro”. Isto era o Cristo a anunciar a chegada do “caminho breve”. Quando Ele dizia: “Quando eu chegar vocês não têm tempo para mudar de atividade, se estiverem no campo fiquem no campo e se estiverem na aldeia fiquem na aldeia”. Ele está a falar de um instantâneo, de uma comutação planetária com muito mais potência, e que não pertence a nenhum processo sociológico conhecido. Cristo era um realista porque Ele falava às pessoas na linguagem delas. Se nós temos um ser que, toda a gente só percebe de milho e ele fala de milho, toda a gente só percebe de barcos e ele fala de barcos, este ser é um super pragmático, é um super realista. É este ser que diz: “Vocês não sabem quando é que eu chego. Vocês não sabem como é que eu funciono. Vocês sabem como é que funciona a árvore da terra cujas raízes estão na terra, mas vocês não sabem como é que funciona a árvore do céu, pois as raízes estão no céu”. Toda a potência vem daí. 

À medida que esta comutação é acelerada e o mês de Agosto serve para inaugurar em nós a experiência sólida – eu não posso dizer física, porque isto não é uma coisa física, mas é uma rotura nos mecanismos da consciência, da dúvida, do adiamento, da negação – é muito importante que eu tome consciência do sítio onde eu vou estar durante essa etapa, o que é que eu vou estar a fazer, que espécie de conjuntura planetária é minha naquele momento. Nós não estamos a dizer que vai descer um Shiva alado e vai seccionar a Maia planetária, e que fica só Shiva, não! Nós estamos a falar ainda de um processo gradativo e gradual, mas esse processo funda em ti consciência hierárquica, tu simplesmente não consegues mais continuar a brincar com o teu próprio umbigo. E se eu consigo, vou entrar num processo de desvitalização aceleradíssima, porque na verdade, a desvitalização acelerada já está aí. Existe um contingente da Humanidade que não está suficientemente definido. Neste momento existem cinco grandes grupo na Terra: 

· Existe um grupo de estrelas semente, isto é, um grupo de enviados de outros planetas e de outras conjunturas cósmicas cujos átomos semente não são da Terra, são portanto seres que têm dificuldade em encarnar e ativar o chacra da raiz, em definirem-se sexualmente, em atracar no planeta. Os chacras a partir de um certo ponto recebem muito pouca energia. São seres que têm problemas de pele. Estes são sintomas físicos, imaginem os psicológicos! Eles são portadores de códigos de vibração e de formulações do éter que não são da Terra e são espelhos de estrelas distantes. São milhares de estrelas sementes disseminadas por todos os planetas, garantindo, que num certo nível, a memória cósmica não adormece na Terra; 

· O segundo grupo é composto por todos os seres que vibratoriamente pertencem à nova Terra e não sentem mais conforto neste planeta, mas ainda assim, sentem uma ternura a uma ligação muito profunda e comovem-se com a imagem da Terra vista no espaço. Têm uma memória profunda do que esta Terra deverá ser. Estão comprometidos com o planeta. Uma boa parte deles interpreta esse impulso de forma ecológica ou de forma filantrópica, o que é uma boa maneira de os manter entretidos enquanto a nova Terra realmente não vem. Este grupo tem uma vibração belíssima, porque eles correspondem à verdadeira colheita da Terra. São seres que quando produzem qualquer tipo de mal, sentem-se profundamente mal, que quando não conseguem perdoar, não se conseguem perdoar a si próprios, e não se perdoam enquanto não perdoarem, que não se sentem à vontade na proposta maciça dos mass média, que têm saudades, não do passado, mas do futuro. São seres de fronteira entre duas civilizações, e são incapazes, neste momento, de se coligar com qualquer nível de destruição ou aspecto ofensivo, porque o amor dentro deles já atingiu um ponto, que se produzirem dor noutro ser humano, isso reflui sobre eles próprios, eles estão numa espécie de ampola de carma instantâneo. O circuito da emissão de negativo já não precisa dar a volta ao planeta para chegar até eles. Estes seres estão muito concentrados em radiação nova; 

· O terceiro grupo é o dos indecisos e existem milhões e milhões. Em níveis profundos, a mónada, a alma deles fez uma opção, mas eles ainda não absorveram suficiente luz vinda de fora – para estes, a luz tem que vir mesmo de fora, eles não têm capacidade, para já, para assimilar a luz vinda de dentro. Os espelhos, a óptica oculta ainda não consegue transportar a luz até aos seus corações e às suas consciências. A mudança de vibração em Agosto vai impactar prioritariamente nos indecisos. Atua através de ti, que não és um indeciso, mas vai produzir alterações nesses seres que estão indecisos; 

· O quarto grupo são aqueles seres que não podem continuar ligados a este planeta, a vibração deles não seria capaz de se alinhar com o tipo de paz macia, electrónica e radiante que o planeta vai encarnar. O planeta está em síntese de raios, de chacras e de dimensões. O resultado final disto é PAZ. Esta paz fere um indivíduo que não está em paz (por isso é que a primeira arma do guerreiro é a paz). Estes seres estão a ser transportados para ambientes, para planetas e para planos que lhes correspondem; 

· O quinto grupo é aquele que se opõe conscientemente, metodicamente, cientificamente, cuidadosamente, elaboradamente, petroquimicamente à Hierarquia e à luz. Eles estão bastante aninhados em algumas fortalezas ocultas da Terra. 

O que é que se vai passar ao longo dos próximos meses? Com a ativação do portal e com o início da intercepção entre o campo vibratório da Terra e o do Sol, com o início da troca de fogos, há uma transmigração de elementais que constituem a Humanidade. Os elementais do ódio, os elementais …, eu não gosto nada de usar sequer as palavras, então, mantemos o nível vibratório e dizemos: “os elementais”. Essa família parte por condutos de sucção que estão estabilizados por grandes entidades evangélicas. Significa que a reação deles vai ser fortíssima a partir de Agosto, porque as portas da Terra abrem-se às portas do cosmos, dá-se uma justa posição, da mesma forma que dois módulos espaciais podem unir-se comunicando entre si, equivale, em termos de pressão psíquica, a abrir a porta de um 747 em pleno voo (há uma diferença de pressão e vai toda a gente embora, só os que têm cinto de segurança é que ficam, os que estão agarradinhos às cadeiras). A abertura das portas cósmicas da Terra produz um diferencial vibratório tremendo! Esse diferencial enuncia aos elementais da Terra toda, que termina a etapa em que eles podiam fazer com o deus homem aquilo que o coitado do deus homem adormecido permitia. Então, há uns deuses homens que vão atrás dos elementais para os planetas de escala evolutiva inferior, e há outros deuses homens que ficam frente à porta. É a hospedeira de bordo que sabia onde se agarrar e viu os passageiros saírem todos e ela fica ali a perguntar: “quem é que me dá uma mão?” Esta hospedeira de bordo pertence ao grupo dos indecisos porque ela não sabe se cai, se fica no avião e este ser é o vosso discípulo. 

A abertura desta portas gera um diferencial de pressão psíquica. A Terra entra em face com a vibração oculta do Sol. As iniciações maciças começam. Tudo o que é mudança de comportamento de uma semana para a outra implica um grau iniciático, implica um fogo diferente atuando através de uma estrutura psíquica humana. 

À medida que a diferença de pressão acontece e essas correntes de vida inferior são drenadas para fora do planeta, vocês irão estar representando a nova Terra, uma forma pensamento que os Mestres criaram, alimentaram e que neste momento se exprime através de vocês. Cada um de nós irá ter que gerir, à medida que o ano termina e o novo ano começa, uma quantidade razoável de seres que fazem perguntas constantemente; de seres que têm um processo de angústia, finalmente, filosófico; de seres que têm um processo de busca acelerado, e estes são exatamente os últimos que serão os primeiros. 

Muitos de nós que estão habituados à condição aparentemente passiva de ouvir, vão-se descobrir cada vez mais a emitir, vão-se descobrir cada vez mais como epicentros de uma superficialidade decrescente, e vocês vão-se perceber como nódulos dessa transformação. 

Uma das intensidades dos próximos tempos, é a relação entre o segundo grupo e o terceiro grupo. Entre os seres que já estão vibrando de acordo com o novo planeta e a necessidade aguda, expontânea, autêntica de seres que de repente abrem os olhos e percebem que não percebem absolutamente nada. Isto significa que quando um contingente da humanidade é deslocado para um novo patamar, ele gera enxames de pequeno discipulado. E o nosso serviço começa a ser transmitir “a coisa”, com uma impecável vibração de solenidade, respeito, reverência, método, clareza mental, ausência de manipulação do outro, impessoalidade. Em suma: uma autêntica consciência de serviço.

Por André Louro de Almeida          Agosto 1999

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares

Sites