Amhaj

Para que possais trilhar a senda luminosa é preciso responder ao Chamado. Isso significa vencerdes provas, nas quais terão confirmado o vosso elo com a verdade e com a luz. Todos os seres, um dia, penetram essa senda e alcançam a Morada Celestial. Porém, eons se passam até que o ciclo se consume. Não vos intimideis frente ao mal. Não desafieis o inimigo. Não retardeis vosso caminhar pelo clamor do passado. A poeira dos tempos será lavada do vosso ser; novas vestes trajareis, e grande será o júbilo da libertação. Porém, nessa senda pisareis sobre rosas e espinhos, e devereis aprender o mistério do Bem. É tempo de justiça. É tempo de graças. Magnífico poder, o Irmão Maior se aproxima. Silenciai vosso coração e acolhei o grande amor. Tendes a Nossa paz.

Hierarquia

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

As 4 Tribos das Plêiades

Aquilo que vai plasmar a tua tarefa não és tu mas o Espírito em ti.

Então a pergunta: “O que é que eu estou aqui a fazer?” pode ser substituída por uma acção interior de recepção desse “único factor” que pode mudar o planeta.

Nós andamos a repetir, há anos, que somos instrumentos do Alto. Esta frase tem que parar de ser afirmada com a laringe e entrar no silêncio. Aliás, tudo tem de entrar na câmara do silêncio para que aquilo que vem realizar a Tarefa possa entrar neste sistema energético e actuar. É aqui que as coisas ficam sintéticas porque não importam as qualidades e os defeitos de uma pessoa porque, às vezes, uma pessoa que tem muitas arestas, muito material psicológico por resolver, consciente da impotência perante a complexidade da sua personalidade, é essa pessoa que mais facilmente atinge essa condição essencial, essa loucura de fundo de saber que é o Espírito que vai fazer as coisas.

Quando nos desequilibramos em cima de um muro produzimos adrenalina e também melatonina que é a hormona do êxtase (líquido produzido pela pineal). Essa hormona encontra-se em grande quantidade: no êxtase estético que dura segundos; no abraço entre dois amigos; no esforço para realizar algo em que se acredita profundamente; na exposição ao Sol com a consciência que o Sol é um deus; na experiência íntima entre um homem e uma mulher onde existe uma consciência das almas presentes; na experiência de ser contactado pela energia superior na oração; na contemplação e na experiência de estar lidando, com alegria, com uma criança. Isto são estados que produzem melatonina em pequenas e médias quantidades.

Quando há uma situação de risco são produzidas duas coisas: adrenalina, porque o corpo multiplica por 3 ou 5 a sua capacidade de reacção, e melatonina que é a forma que o corpo tem de traduzir o êxtase, de estar completamente no vazio e para que o espírito se funda com o corpo é necessário que o ser humano esteja vibrando, 100% do tempo, na clareza de propósito.

Quando se diz que a etapa de informação terminou significa que a informação continua no ar mas que agora precisamos de uma transfiguração.

Nós estamos numa época de revelação, antes precisávamos entrar num mosteiro para contactar o facto de sermos um ser divino, hoje basta deslizar um pouco para além do mental e... já está. Esta experiência está a descer e não há como parar. Ela foi decretada, há mais de 15 anos, pelo concelho Alfa/Ômega (12 Mestres Ascensos) que regula a velocidade de revelação – o que é que do fogo que tu és já podes receber.

O Concelho Alfa/Ômega do qual fazem parte seres como Elias, Moisés, etc. regula o diafragma do teu fogo interior. Então, foi decidido que o Homem pode começar a experimentar-se como fogo. O problema é que ele precisa gastar cada vez mais energia para se dispersar, para não receber o fogo, e há muita gente que não o quer receber.

O fogo é uma síntese da identidade que é a maturidade psicológica final, isto é, o que é infantil em nós não sobrevive ao contacto com o fogo.

Para que o espírito se fixe em mim eu preciso estar 100% do tempo na clareza de propósito, vibrando para mim e para os outros a minha real intenção existencial. Isto é o portal da 5ª dimensão. 4ª dimensão é acerca da intuição, das sincronicidades, aquilo que Yung dedicou tantos anos a estudar. Que é aquela frase que nós dizemos tanto: “Não há coincidências, as coisas não são por acaso”. Isto é a 4ª dimensão, é o mundo dos ajustes, da linguagem, do interno tentando dizer pela décima milionésima vez aquilo que tu estás cansado de saber. Claro, que se o indivíduo ainda não está cansado de saber, ainda vai ter que aturar muitos momentos mágicos, muitas sincronicidades porque ele ainda não está cansado de saber que ele nasceu para encarnar o espírito – Transfiguração.

Saturno quando passa por uma casa astrológica é como uma vassoura cármica. Quando ele entra numa casa astrológica ele varre aquela casa carmicamente, aquela área da vida. Vem tudo ao de cima, fica claro, em termos do nosso passado e da nossa consistência o que aquele sector da vida é. Saturno é um objectivador do carma, a consciência de que eu nasci para dar corpo a um anjo e a declaração disso perante a humanidade, com a máxima clareza e serenidade o que eu vim fazer.

É muito mais poderosa a auto fecundação, a geração de uma ideia superior quando ela é feita na estabilidade, na paz, como se o sistema nervoso não fosse chamado para o assunto. Eu preciso de me sentar naquela pedra, sentir o calor do chão, conseguir ver os nuances dos turquesas no oceano à minha frente, respirar a atmosfera, estar plenamente consciente desta terra sobre a qual eu caminho, isto é uma coisa da clareza, da estabilidade e da firmeza profunda, é uma coisa de Buda que falou da Impermanência: “Tu nasces e morres a cada momento” é a condição essencial para gerar altas doses de melatonina.

Tu estares aberto: dá-se um descongestionamente da medula oblongata e o fluido cerebral e todos os conteúdos vibratórios que vêm do cérebro podem-se distribuir muito mais profundamente ao longo da coluna vertebral.

É quando nós nos relacionamos com a realidade a partir da tradição, do passado, dos hábitos – consciência de Saturno – que todo o nosso passado é projectado para a frente e vai colorir, naquilo que vem ao encontro directamente do Criador, sem mancha, sem opinião.

Esta capacidade de estar na corda bamba, esta capacidade de equilibrista no mundo (em que tu tanto podes fazer uma coisa completamente tola como uma coisa santa e só dependes do espírito) trata-se de confiar plenamente no espírito que está por detrás, o que significa descongestionar a mente, a óptica, o foco, estar aberto.

Para eu estar aberto eu tenho que contactar as vibrações da 5ª dimensão porque na 3ª dimensão, no plano mental, tudo se joga pelo seguro. A vida é uma agenda.

Para que eu contacte essa 5ª dimensão eu tenho que tocar o portal dela, para isso eu preciso sintetizar todas as minhas vibrações, todos os dias, numa única concepção.

Tu ficas ali sentado, completamente consciente de que estás encarnado, sem abstracção metafísica. Tu estás-te a aproximar da 5ª dimensão quando o teu problema é ser e fixar aquele fogo sagrado nas linhas KA – Espírito.

O corpo tem uma série de linhas KA que são meridianos de energia divina da 5ª e 6ª dimensão formando uma estrela de 5 pontas, tal como no desenho de Leonardo (da Vinci).

Estas linhas estão no nosso corpo energético desligadas até 2008 e nós estamos a receber autorização progressiva para activar as linhas KA. Elas estão directamente ligadas às tribos de anjos das Plêiades que têm autorização para activar essas poderosas linhas azul eléctrico ao longo do corpo.

São estas linhas que fixam o espírito na personalidade. Enquanto as linhas KA estão desligadas nós somos seres que estão, o tempo todo, na 3ª dimensão tendo experiências da 4ª dimensão: de sincronicidade, de significados profundos, de ajuste, de confirmação.

A 5ª dimensão, o contacto, a acção, implica a activação das linhas KA. São essas linhas que, uma vez despertas, permitem o sistema “eu superior/mónada” encarnar. Nós estamos aqui para dar à luz a nossa 5ª dimensão.

Quando eu dou por adquirido que as sincronicidades, os avisos, os sinais, os momentos especiais, os toques, as graças, os bálsamos são a linguagem da 4ª dimensão, são a nossa personalidade, quando isso para mim, de alguma forma, passa a ser natural e quando eu aprendo a não me agitar sensasionalmente, astralmente, com o toque da 4ª dimensão, isto é uma coisa que acontece dentro do triângulo Amor – Gratidão – Humildade.

A Lei diz que tu és amado como se fosses o único ser no Universo. O amor divino não é quantitativo, tem uma identidade específica para cada um de nós.

Que imensidade está plantada no teu coração? O amor de Deus é a condição agronómica e meteorológica para que as sementes que Ele plantou no nosso coração desabrochem. É uma lei divina que os sinais (que são um reflexo desse amor) cheguem até ti.

É uma lei maior que, ninguém desce ao mundo sem uma equipe de apoio.

É uma lei maior que, tu estás integrado a uma família interna.

É uma lei maior que, tu não podes ser deixado sozinho.

Nós, psicologicamente, somos seres alfalógicos, evoluímos de Alfa para Ômega. Espiritualmente somos seres omegalógicos, vimos do ômega enfiar as nossas lindas cabeças no alfa, o que significa que somos loucos. Só que é uma loucura parecida com a de Deus. Foi Ele que criou um espectro vibratório tão abrangente, o Universo podia ter parado no hidrogénio! Mas não parou, existe chumbo, mercúrio, metano, diamantes minerais, ele é físico também e nós aceitámos a loucura completa até à base, isto é, a experiência integral e isso torna-nos extremamente cúmplices do Divino, estranhamente próximos daquilo que julgamos que estamos longe.

E se a Humanidade inteira fosse um avatar?

Para que eu possa bater à porta da 5ª dimensão preciso de ter dado como uma segunda natureza toda esta questão dos sinais. Dentro do triângulo Amor/Gratidão/Humildade eu preciso de dar todo esse nível como concebido, estruturado, assimilado. A lei diz que eu tenho que receber sinais, então, eles vão vir. A nossa criança interior vibra com os momentos incríveis que o espírito nos dá, é perfeito, a criança sente-se tocada pelo pai, pela mãe.

Agora, o contacto com as escolas internas e de mistério faz-se quando, naquela pedra frente ao mar, sem adornos, sem abstracção metafísica, perfura o sono. Eu estou aqui e uma vez aqui eu declaro, concebo, realizo que isto é um sonho mas eu tenho que estar bem firme aqui em baixo e, ao sentir que é um sonho, eu defino a minha existência como encarnar o espírito dentro deste sonho. Então, se o contacto com a 4ª dimensão é uma subida, o contacto com a 5ª dimensão é uma descida para subir uma oitava e estas tribos angélicas ligadas às Plêiades, elas apresentam-se em cada ciclo de crescimento da Humanidade.

Em cada momento de colheita os pleiadianos são permitidos aproximar-se pelos Senhores do Carma. Eles são os anjos e os extraterrestres.

As naves das Plêiades são naves etéricas azul eléctrico. São vasos de transporte de consciência, de mónadas e de almas, têm um formato elíptico porque no Universo tudo o que corresponde à lei veicular é elíptico. Essas naves estão próximo desde os anos 50, mas é a partir de agora, especificamente nos próximos anos como informação e a partir de 2008 como acção. Foi-lhes dado permissão para activar as linhas KA, os meridianos de Deus no corpo etérico. Não se trata dos meridianos que fazem circular prana (medicina tradicional chinesa). Não se trata da concepção de que regiões do corpo, nas suas contrapartes etéricas como os rins, por exemplo, acumulam a vitalidade de uma pessoa porque essa vitalidade é eminentemente planetária e tem a ver com energia prânica, com calor.

Os circuitos KA são filamentos, como laser, azul eléctrico incandescente que atravessam o corpo de alto a baixo, de um braço até à perna oposta e têm, na medula oblongata, o seu ponto de alta frequência.

O nosso coração é inexpugnável, a matriz de controle jamais pode entrar no coração porque a chama do coração está numa cápsula etérica que está duas oitavas acima do corpo etérico como um todo. O nosso corpo etérico processa vitalidade, ele contrai-se quando a pessoa está no meio de toxinas, perde vitalidade quando a pessoa está na poluição das ruas, na poluição psíquica, tanto assim que as pessoas ficam com um ar mais envelhecido. Ele expande quando as pessoas estão em contacto com um habitat divinamente energizado (natureza, mar, pessoas que nos amam).

No coração há um templo que está no ponto adâmico, ele nunca decaiu do ponto da vibração do homem original. É uma região do ser que nunca abandonou o Éden. Se há uma geografia sagrada para o planeta inteiro, existe uma anatomia sagrada e um dos factos fundamentais é que a chama do coração está numa catedral que se mantém igual ao tempo adâmico.

A medula oblongata não é inexpugnável e a matriz de controle colocou aí as suas agulhas, as suas infiltrações electromagnéticas e têm mantido as linhas de luz divina (KA) dentro do corpo etérico desligadas.

Estas 4 Tribos Angélicas das Plêiades, a Tribo de RA, a Tribo de AN, a Tribo de MA’HAT e a Tribo de P’TAH são os enviados da engenharia superior para retirar as infiltrações da matriz de controle, retirar as cordas e os laços de dependência entre as pessoas, os laços de dependência entre a nossa concepção do mundo a partir do interno e o impacto que o mundo exerce sobre nós amortecendo a nosso concepção do mundo. Tudo isso tem cordas (estamos agregados como um rebanho. Há um redil e esse redil funciona por cordas subtis como cordões umbilicais que nos ligam a centrais de limitação) e essas cordas (que estão no plano etérico astral) atravessam a aura, têm uma elasticidade indeterminada, e estão associadas, por carma ou por intervenção negativa (inteligências que interferem no processo de ascensão do Homem e da Terra), atravessam a aura, são formadas entre os 7 e os 21 anos de idade.


Antes dos 7 anos não há ego suficiente e há uma grande regeneração energética, a maior parte das crianças vive a produzir melatonina por isso é que elas são tão alegres, porque elas vivem: “Não sei se diga uma coisa tola se uma coisa genial, tanto faz”. Ora, quem é que vive assim hoje em dia? Para nós é crítico não dizer coisas tolas porque se tu dizes coisas tolas és visto como um tolo, e pronto. Então, as pessoas caem nesta situação tola de só querer dizer coisas geniais e já não há melatonina, porque a partir daí ficas na insulina, na heroína, na cocaína,.... tudo isto porque a pessoa não vive na corda bamba, não vive naquele ponto em que está transparente do espírito como uma pena! C o m o u m a p e n a!!

Anjo não é aquele ser que tem asas! Anjo é um ser cuja consciência obedece à luz como uma pena ao vento.

Quando um ser é descordado, sistematicamente, a consciência começa a ficar extremamente leve. Esses cordões umbilicais atravessam a aura e fixam-se em certos chacras.

Existem 3 cordas principais que têm que ser desligadas à medida que a Tribo das Plêiades actua e tem um grande número de cordas secundárias.

As 3 principais estão relacionadas com os 3 centros inferiores. Há uma corda que interfere no chacra da raiz e o estimula muito para além da sua função cósmica original que é, ancorar a consciência na Terra.

Ele interfere produzindo medo da morte e sensação de aniquilação. Outra dessas cordas liga ao 2º centro e tenta insistir que tu não és completo em ti mesmo. Aquilo que era o trabalho do 2º centro – alegria da vida, da relação, prazer, brincadeira, conforto, aceitação da sensualidade, ritmo, sexualidade. É o centro do prazer, do riso e da alegria – a exacerbação desse centro gera um vírus oculto que é a ideia de que eu não estou completo em mim mesmo, o que cria um incrível desequilíbrio astral.

O 3º centro é o centro do poder – plexo solar – que tem a função da individuação, de fortalecer os limites do eu de forma a que exista uma identidade sólida, clara, definida, na relação com os outros e com o mundo. Este centro é exacerbado através desses cordames e vai ao ponto de criar egos do tamanho de um porta aviões.

Estes cordames que foram instalados em nós não só desviam como amplificam o poder de certos centros e atrofiam o poder de outros. Na medula oblongata existe um núcleo à espera de ser ligado.

A partir de 2008 estas Tribos angélicas:

– RA  que está ligada à sabedoria divina e são seres das Plêiades que têm vibração dourada;

– P’TAH  que está ligado aos curadores e protectores da vida, protegem a vida no Cosmos. São pleiadianos com vibração azul cobalto;

– MA’HAT  que é a tribo angélica dos guerreiros e tem vibração vermelha;

– AN  que é a tribo dos instrutores, da compaixão, da compreensão e da sabedoria tem uma vibração azul turquesa.

Mudar de matriz é um flash completo! Eles vão começar, a partir de 2007/8 a retirar as agulhas da matriz de controle. Os cordames interferem no movimento energético e acentuam vibrações de certos centros inibindo a circulação integral da força. As agulhas principais estão na medula oblongata – Alta Maior é um chacra situado atrás do centro da laringe que controla o poder de transferência entre a alma e a personalidade. É o centro que regula a Transfiguração juntamente com o Ajna.

O Ajna regula a visão do que tu podes ser.

Alta Maior regula a velocidade de transfiguração.

Este centro (Alta Maior) em 99,9% dos seres humanos tem uma agulha dentro, tanto que há pessoas que têm imensas energias aqui acumuladas, bloqueios na nuca e sensação de as coisas não fluírem. É como que um estilete, uma agulha que entra profundamente.

A partir dos 7 anos de idade o indivíduo começa a estruturar o ego e a ligar-se ao problema de que está no mundo. O útero invisível da mãe começa a ser cada vez mais suave e ele tem que arriscar afastar-se da mãe. Durante este processo de conquista da autonomia emocional, nomeadamente a criança deixa de estar sob o controle do campo energético e sob a protecção energética dos pais e devido à tremenda interferência de “outros interesses” aqui na Terra, de uma maneira geral, a protecção angélica não é suficiente e esse estilete ligado à matriz de controle penetra e começa a adormecer o sistema de ligação com a alma, tanto assim que é nessa idade que as crianças deixam de falar dos anjos que vêem, deixam de acreditar no que está do lado de lá, começam-se a fixar do lado de cá e há um lado saudável nisto, é a concreção da consciência, mas há um lado que fica ligado à matriz de controle. Instala-se uma espécie de lâmina invisível que isola a medula oblongata da descida da força KA – força do espírito – e ao instalar-se essa interrupção cria-se um vazio que é ocupado pelos medos que a sociedade alimenta – medo da morte, o poder, a competição, a agressividade.

Vão-se preparando para a remoção desses filamentos e o início da circulação do alto e do baixo no corpo físico e a percepção destes circuitos azuis que vão começar a ser ligados.

À medida que o corpo KA é activado, um imenso manancial de energia extraterrestre passa a circular no corpo.

Estas Tribos das Plêiades: RA; P’TAH; MA’HAT e AN (nomes egípcios) estão aqui para nos começar a levar, à noite, a bordo dos laboratórios espaciais para uma aceleração vibratória que permita desligar esse último fio de controle. Se fosse desligado de repente, a maior parte dos medos deixavam de funcionar de um dia para o outro, mas não havia uma estrutura luminosa e uma descida integral da luz que permitisse compensar o fim do medo. O medo não pode ser desligado sem a entrada de uma energia de compensação que é o Espírito.

A activação das linhas KA no corpo, ligadas à força de vida monádica, é feita sincronizadamente para toda a equipa ligada ao Cristo nos próximos 3 anos – 144000.

Eles têm que acelerar a vibração das células, a vibração do sistema nervoso, Eles têm que subir, ao máximo, a vibração de um ser e, em poucos anos, Eles vão colocar 144000 indivíduos neste planeta como se nunca tivessem tido nada em cima deles desde a infância até agora. É uma purificação extrema do circuito energético.

A Lei diz que isto pode ser feito e as Tribos Angélicas já estão em órbita da Terra, agora, é necessário que eu me ligue à 5ª dimensão, que eu compreenda que eu nasci para encarnar o Espírito, porque a activação das linhas KA (axiatonais) encarnam o Espírito e podem permitir fazer com que um ser de 2ª iniciação experimente a 4ª iniciação e aspectos da 5ª, praticamente na mesma vida sem ter que passar por uma série de etapas.

Se nós conseguirmos, com a intuição e com o coração, ver isto, são linhas azuis sagradas, no corpo, que permitem que a mónada se integre à biomassa. É o nosso espírito que vem para fazer a Tarefa.

Se alguém sente que nasceu como uma vanguarda de um outro ser que ainda não nasceu em si, se alguém sente que nasceu como um sub aspecto de alma que veio preparar a personalidade para a descida de um princípio maior, que só mais tarde viria, se alguém sente que está a ser preparado para a descida de uma entidade maior, esse dado persistente na vossa consciência está certo. Desceu a alma e o aspecto da alma que pode interagir com o crescimento psicológico.
Quando estes engenheiros cósmicos ligarem as nossas linhas KA, a mónada começa a encarnar e, finalmente, vamos ter a revelação, a consciência e a experiência prática da nossa verdadeira grandeza.

Eu preciso de compartimentar a quantidade de energia psíquica que eu dedico a cada coisa em mim, todos os dias. Os nossos processos de valoração de prioridade, a nossa dor, a nossa alegria, a nossa confusão, a vida psíquica, os impactos, os ostralismos, os elementos emocionais, a líbido que é também a capacidade e o desejo de viver, eu preciso de definir que aquilo que é a minha vida psíquica complexa, cheia de detalhes, e a muita atenção que eu dou a tudo isto, tem que ser compactado e posto num compartimento ao lado, e o meu mundo interior precisa ficar límpido, amplo como um jardim Zen – está vazio ou está cheio.

Eu preciso chegar a este planalto de forma que a minha energia psíquica diária é destinada, principalmente, à compreensão de que eu estou a ser preparado para encarnar uma entidade cósmica. Isto precisa de vácuo, silêncio, geometria, imenso amor, desapaixonamento, grande alegria, obediência, liberdade. Nós podemos dar toda a importância às nossas complexidades, e seria perigosamente neurótico a pessoa ignorar as suas complexidades, agora, em paralelo com a complexidade, existe este facto que é a revelação central desta existência, de nós estarmos aqui. Vocês foram preparados, até hoje, internamente, para terem circuitos divinos no corpo ligados e para serem baptizados como santuários da vossa própria mónada. Santuários de um ser alado que vai nascer.


Der por onde der, com maior ou menor labirinto, com maior ou menor distracção, dedica o melhor da tua consciência a esperar Aquele que vem. 


Dedica o melhor da tua consciência a esperar a entrada, nos circuitos eléctricos do teu ser, do Grande Ser que tu és.

Estas 4 tribos que vêm de Alcione, das 7 estrelas da constelação das Plêiades, pedem que o indivíduo as invoque.

A Tribo de Ra, de vibração dourada, lida com um nível de sabedoria que é tão inteligente quanto magnético. Existe uma conexão com a consciência colectiva RA, que são milhares e milhares de anjos dourados. RA não é um ser, é um complexo de memória colectivo, são milhares de consciências dentro de uma mesma hierarquia. Estes são os que acendem a suprema luz dourada no teu crâneo. São os que tomam os teus pensamentos e os transformam em luz.

Se um indivíduo precisa de clareza, divinização do pensamento, iluminação, síntese, amor no fundo do pensamento, ele pode invocar a energia pleiadiana de RA.

P’TAH são os protectores da vida. Eles são guardiões dos códigos genéticos avançados desta galáxia e a tribo de P’TAH ou clan arcangélica das Plêiades que tem o nome de P’TAH estimula a sensação de vida mais abundante, estimula a descida e circulação das correntes divinas em nós.

MA’HAT é o grupo que está directamente ligado à activação dos meridianos KA no corpo físico. Quando tu sentes que a interferência do que vem de fora entra num nível de contaminação inaceitável em ti, Eles pedem para invocar MA’HAT que é a tribo guerreira da consciência extraterrestre das Plêiades que lida com uma vibração rubi vermelho transparente. Eles são protectores, não no sentido de estimularem a vida, mas de protegerem o teu campo energético.

Quando o nosso coração precisa de se expandir ainda mais e nós precisamos mergulhar nos mistérios da compreensão e da compaixão para conseguir esta condição abençoada de não andar a julgar os outros por tudo e por nada, quando nós precisamos de compaixão, de compreensão e de sentir um profundo amor das estrelas a circular em nós, este grupo AN pode ser invocado. É uma energia turqueza eléctrico poderosa. São arcanjos.

Até para os seres das Plêiades muitas destas coisas são um mistério, quanto mais para nós aqui em baixo!

Uma forma simplificada de começar a visualizar as linhas KA é, simplesmente, a concepção de uma linha azul laser, com um centímetro de diâmetro, desde a planta dos pés unindo-se no chacra da raiz, subindo até à medula oblongata e dividindo-se em dois afluentes pelos braços até à palma das mãos.

Se nós começarmos a fazer esse tipo de visualização e a invocação dessas 4 tribos, começamos a fazer algo que está 3 anos à frente.

À medida que Eles removem o estilete ligado à matriz de controle, todos os cabos que estimulam os centros, para além da harmonia divina, começam a enfraquecer.

Depois existem cordas que têm a ver com fortes apegos pessoais, mas que são todos derivados desses três principais. Laços que nós construímos por motivos sombrios e de medo ou de ignorância, ficam vibrando com pessoas, com lugares físicos, com situações. Porquê falar nisto? Não é choque para ninguém o facto das pessoas se sentirem presas, ou é? O facto de muitas vezes as pessoas sentirem que fazem coisas que não querem fazer, como compras por exemplo: “Onde é que eu estava com a cabeça para comprar aquilo?” Sempre que isto acontece tu estavas em transe, ainda que muito ligeiro, mas estavas em transe.

Ora, a liberdade que estas 4 tribos das Plêiades vêm trazer é a remoção, primeiro deste estilete principal e depois das várias cordas que nos ligam ao que nós não somos, é uma desparazitação oculta do homem. Se eu acho que isto não tem a ver comigo então é porque eu sinto que vivo 24 horas por dia livre em função do que vem do centro de mim. Como uma pena, eu sou levado pelo vento.

1º Para que o divino desça no corpo, o ser tem que estar 100% do tempo consciente, emanando, vibrando a clareza de propósito que é: “eu vim encarnar e Espírito, eu vim encarnar a minha imensidão interior”.
Esta consciênciaprecisa estar nas relações com os seres, com os reinos, com a minha saúde.

As mentiras, os subterfúgios têm de desaparecer da minha vida porque isso repele a descida da força principal. Implica uma perda de cristalinidade e o espírito só encarna através de estruturas cristalinas, aquilo a que neste plano se chama ser verdadeiro, justo, honesto, claro, ser correcto. Isto a que se chama ética, do ponto de vista interno, gera estruturas cristalinas nos corpos subtis, gera geometria sagrada.


2º Activação das linhas axiatonais (KA), dos meridianos divinos no corpo etérico. 


3º Remoção dos filamentos da matirz de controle começando pela antena electromagnética de limitação na medula oblongata. Os cordames vão ser todos desligados e as pessoas vão quase levitar. 

Por André Louro de Almeida                      16/04/2004

Transcrição de Alice Jorge

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares

Sites