Amhaj

Para que possais trilhar a senda luminosa é preciso responder ao Chamado. Isso significa vencerdes provas, nas quais terão confirmado o vosso elo com a verdade e com a luz. Todos os seres, um dia, penetram essa senda e alcançam a Morada Celestial. Porém, eons se passam até que o ciclo se consume. Não vos intimideis frente ao mal. Não desafieis o inimigo. Não retardeis vosso caminhar pelo clamor do passado. A poeira dos tempos será lavada do vosso ser; novas vestes trajareis, e grande será o júbilo da libertação. Porém, nessa senda pisareis sobre rosas e espinhos, e devereis aprender o mistério do Bem. É tempo de justiça. É tempo de graças. Magnífico poder, o Irmão Maior se aproxima. Silenciai vosso coração e acolhei o grande amor. Tendes a Nossa paz.

Hierarquia

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Signos do Amanhecer Parte V


                                                         INSTRUÇÕES E CUIDADOS

Mesmo os mais vigilantes, mesmo os mais lúcidos, mesmo os mais próximos ao Meu Toque falham. O erro é aceite pela Irmandade. O que não deve ser alimentado é a apatia perante o erro, a distensão da corda do Arco, o embotar do fio cortante da flecha, a perguiça espiritual.

1.

Guardo uma Espada azul para os puros e uma Vermelha para os que colaboraram com o caos. A espada azul abrirá os Portais do Jardim-Terra, a vermelha criará um conduto para planetas inferiores.

Guardo também uma Espada Dourada para os Transparentes, os Vigilantes, a Raça Celeste.

2.

Ele caminha e o Portal mantêm-se longínquo? Ele que se firme, que se firme de vez.

3.

Poupai a elasticidade dos vossos corpos: Um veículo não deveria ser exposto ao conhecimento sem que o Consciente esteja determinado a aplicar o que apreendeu.

4.

Nos mundos superiores, em planetas evoluidos, só muito raramente a palavra URU (Senhor) é pronunciada, e sempre em suprema reverencia. O uso doméstico e contínuo que fazeis da palavra "Deus" acabou por a desgastar. As mentes terrenas deixaram de reagir ao significado profundo desse termo.

5.

Sempre que falais de um assunto espiritual sem praticar a essencia do Ensinamento, diminuis a capacidade dos vossos veículos entrarem em tensão ígnea quando esse assunto é focado.

Assim, sede frugais na partilha, falai do que haveis vivido em vós mesmos, em plena Entrega Activa, e não do que ainda é mera informação em vossas mentes.

6.

A Lei é para se cumprir, não para se pregar. Aquele que conhecendo a Lei a não pratica está esculpindo em si a pior das armadilhas. Ele abre para si mesmo o túmulo do cepticismo, a surdez da indiferença, pois está deteriorando a elasticidade de seus veículos. Com o tempo eles deixarão de responder aos impulsos superiores.

7.

Ora. Quando a Espada cair deverás estar no teu lugar.

8.

Também falaremos para ti: Chegaste aos jardins do Templo e vens vestido de um branco que impressiona os incautos, mas Eu aviso-te, aos Olhos do Meu Sacerdote esse branco é negro. Conheço-te bem. Observo a geração dos teus actos à muitos ciclos. Sei o que pretendes e, em nome do Campanário da Cidade Dourada te garanto: Aqui não entrarás!

Os teus passos estão distorcidos e a tua mente está cheia de armas subtis. Nós te conhecemos, melhor que tu próprio. Mas a Justiça de MIZ TLI TLAN já desce, para a queima dos mundos doentes que criaste.

9.

Olha para o mundo, discípulo : A toxina psíquica invadiu os mais bem guardados redutos do homem moderno. Em nome do conforto do Ego tudo parece ser possível. Parece poderosa a onda negra que se ergue sobre os povos que habitam as trevas exteriores: o rosto dessa onda é antigo e os seus guerreiros estão fortemente hipnotizados.

Agora olha para o Espaço imaculado, discipulo: Vê como os Comandos do Cosmos estão perfeitamente tranquilos e estáticos perante o avolumar de monstruosidades em cadeia. Os Irmãos do Espaço conhecem as Leis, discipulo, eles sabem que o actual espectáculo do "negador" nada mais é que o pico de estretor que antecede a imobilização, a agonia.

10.

Em cada Consciente que contempla o fim do dia é criada uma imagem do Sol, diferente para cada um dependendo do contexto geo-climático do observador. Contudo o Sol é apenas um, acima das imagens projectadas, verdadeiramente acima de qualquer imagem. Visões nascidas nos corpos são angulos, jogos de luz e cor. Ao contemplardes descentrai-vos de vós mesmos, compreendei que as ondas graviticas do ego distorçem a vossa percepção do Real.

11.

No actual ritmo energético a ascese é um imperativo, o ascetismo um sério obstáculo. Um cantico junto ao lago, ao entardecer, pode ser mais efectivo que os mutismos psicológicos que alguns interpretam como silencio interior.

12.

Olhar a Luz de frente não é para todos. Por isso vos reúno por afinidades, e vos conduzo a salas com diferentes portas. Cada porta um canal de aproximação, cada canal um ângulo, cada ângulo uma tonalidade do Real.

14.

Nas transmissões actuais os Ascensos e os Enviados Celestes não usam palavras. Eles comunicam por indução de energia. Tudo o mais é criado por vós.

15.

A ti que bebes da taça do prazer egoista, fechando os olhos ás Leis, Eu te previno: Vives numa ficção e o teu ser está envolto em personagens de sonho. Mas o Raio já desce: Prepara-te para acordar e assumir o destino que para ti criaste.

16.

Não tenho idade: Como pode, na minha Presença o mal persistir ?

17.

O pensamento acerca do passado é uma paralizia. Que as imagens vindas da memória biológica e que emergem no vosso consciente se desfaçam como espuma contra a rocha da Visão Interna. Cada slide do passado será solto no momento em que emerge. Para isso a Visão Interna deve estar direccionada para o Agora Suprapessoal.

18.

Carinho e Ternura não são padrões emocionais. São teares de Luz Pura. Portanto drenai destes teares a vossa paralizante comiseração.

19.

A sombra existe na exacta medida em que a tendes como real. As sombras e as trevas alimentam-se da vossa atenção e do medo subsequente. Não coloqueis a vossa percepção sob a influencia de um fenómeno relativo.

20.

Não vos deixeis confundir por aparencias: A guerra acontece não em zonas geográficas mas no interior dos homens.

21.

Nós indicamos: A aspiração deve acontecer na sâ integridade do Ser. Alguns, ao tentarem viver ignorando que tem personalidade, tornam-se vítimas de angelismo. O angelismo é uma situação falsa em que o ser crê que manifesta padrões superiores, mas, realmente, tem áreas obscuras nos seus corpos por entregar e resolver. Isto acontece quando o individuo negligenciou o carinhoso cuidado que deveria ter para com todos os seus corpos, tentando eclipsar a sua natureza humana.

Estes seres, que mascaram a sua real condição com o brilho fosco de comportamentos doutrinados, emitem uma radiação quebrada e, em situações críticas, as fendas na personalidade revelam-se dramáticamente. Uma personalidade falsamente integrada pode impedir durante encarnações inteiras que a nota profunda do Ser se imprima na vida externa.

É necessário cultivar um perfeito equilíbrio entre compaixão, humildade, discernimento e vontade superior, para se lidar, com amor e cuidado com os veículos externos, permeando-os de Luz, isto é: Educando-os no sentido do Espirito, seja por experiencia activa, seja por Irradiação.

Em verdade, Nós somos automáticos no repelir dos frutos verdes.

22.

A maior parte das melhores mentes, que Nós mesmos formámos em cosmologia e física avançada, em bioquimica e em matemática tembém foram contaminadas. A mão sombria invadiu os laboratórios de genética não por acaso.

Os cientistas que são instrumento dessas fissuras não sabem que portas estão abrindo ao manipular genes humanos em laboratório. Cada acto desses é uma fenda no "corpo etérico" da vida-Humanidade. Um crime espiritual. Muitas almas despreparadas e de evolução primitiva infiltram-se por essas fendas, trazendo consigo as piores animações de ciclos passados e necessidades que esta civilização já não pode nem deve satisfazer.

Assim avoluma-se a multidão para o baile das crianças cegas.

Devido a essas manipulações o culto das filosofias do acaso e a rendição ao vórtice autofágico do caos pode alastrar pelos melhores palcos da cultura.

Mas Nós observamos sem pestanejar o canto do cisne das forças involutivas

23.

Os resgatáveis serão aqueles que, de alguma forma, resgatam.

24.

A Obra Divina, enquanto fogo projectado no espaço, é essencialmente CIRCUITO. O Impulso que opera a Obra desprende-se da Imutabilidade e "desce" ao longo dos planos de estabilização energética, assumindo formas que correspondem ao código-matriz de cada plano.

Enquanto agente em planos estritamente internos o Impulso mantêm-se oculto e a Sua vida acontece mais como "significado", mas ao interceptar planos de manifestação de alta vibração o Impulso emerge como Energia Superior, podendo a Sua vida apresentar-se também como "significante", o que acontece dentro dos ciclos que se destinam à manifestação da forma

Tendo passado por todos os estratos que o Desígnio do Impulso previu a Energia passa a elevar-se, ascendendo de novo aos níveis internos, conduzindo assim as substancias contactadas a níveis mais subtis de frequência.

No término deste circuito a energia regressa à Origem. O circuito deve fluir sem obtáculos, sem que a Vida seja aprisionada em zonas gravíticas, egoicas ou físicas-subtis, pois os egos humanos podem tornar-se um dos obstáculos ao contínuo energético que ergue o Universo à Perfeição.

Os egos humanos sintonizados com a Mónada, plano que, por direito cósmico, os controla, tornam-se transparentes a este circuito, pois compreendem a sua função no Todo. Emergem assim como Passagem para a Manifestação.

25.

Vigilancia! A compreensão da necessidade de transcender o ego pode transformar-se em um novo terreno de expressão do ego.

26.

O ego é um espelho: continuamente cria imagens invertidas. A rendição do ego não significa o quebrar do espelho, mas a sua gradual transformação em cristal puro, de forma a que não só o elemento refletor opaco seja eliminado como, através do campo transparente assim criado, passem os raios da Luz Interna, expressão da Verdade relativa a cada momento no espaço e no Tempo.

27.

Jamais indicámos a dissolução do ego. Indicamos, sim, a transubstanciação dos elementos-partículas que o mantêm activo.

É indicado ponderar nisto.

28.

Também a personalidade está sob o Nosso cuidado: LIS verte a sua linfa puríssima sobre o lado humano do Ser Total. Mas é um imperativo que o elemento humano em vós seja um reflexo da Lei.

Existe um estágio da personalidade que é útil ao Plano, e, ao assumir integralmente esse estágio, a personalidade recebe a sua parte.

29.

Alguns acham que a melhor maneira de eliminar certos desejos é dar-lhes vazão, cedendo aos impulsos. Esse jamais foi o Nosso ensinamento. Não se apagam fogueiras com gazolina.

30.

Assim como o corpo físico necessita de alimento físico também o corpo astral necessita da Luz Astral e o corpo mental necessita da Luz do mental superior. Estas formas de Luz são alimentos. Assim a questão não é se a personalidade deve ou não ser alimentada mas sim quais os alimentos correctos em função do ponto evolutivo que haveis alcançado.

Existem alimentos emocionais e mentais que contêm um porcentual de Luz da Alma que os torna indicados em certos casos. É por isso também, que vos apontámos o caminho da educação do desejo, para que o Peregrino perceba com rigor quais os alimentos de que necessita, e quais os alimentos que lhe são incorrectos. O essencial entretanto é que ele aprofunde a capacidade de beber directamente da Fonte.

Onde está aquele que, sabendo onde fica a Fonte, não se dirige a Ela prioritáriamente?

31.

É tempo de os discipulos encarnados neste planeta terem clara consciencia da Urgência. Alterações geo-climáticas globais e deslocamentos tectonicos radicais estão prestes a eclodir. O tempo que resta para o aperfeiçoamento da rede etérica de luz e para a construção, em certos seres, do Augoeides*, é mínimo.

É imprescindivel que a radiação-luz processada pelos discípulos atinja o ponto critico de frequencia no qual os quatro éteres fisicos são libertos da ascendencia material passando a veículos da consciência monádica. Para que isso se dê é necessário que o discipulo, através do esvaziamento, supere o limiar da aspiração e se torne estável nos níveis onde a transmutação contínua é possivel.

Só através do filtro desta estabilidade interna as ondas de pânico colectivo que em breve varrerão a Terra não produzirão fendas nas auras dos trabalhos espirituais.

Nos momentos finais deste ciclo, durante a Operação-resgate, a Hierarquia irá aumentar de forma fulminante e intensa a voltagem da corrente de luz e cada elo será plenamente activado.

A Operação-resgate conta com um "dique transmutador" no plano humano para suavizar as ondas de choque nesses momentos cruciais. Cada um de vós é um bloco nesse dique, dique que deverá realizar a transformação do medo em Fé, da sombra em Luz. Cada Mónada desperta é uma peça nessa barragem, que, dentro de um âmbito determinado pela Hierarquia separará as trevas em Luz. Para assumir essa tarefa o "dique" deverá estar em condições de transmutar o tremendo diferencial existente entre arcaico planetário e arquétipo planetário, pois ambos circularão livremente na superficie da Terra nos momentos finais. Só as Mónadas tem potencia suficiente para realizar essa transmutação. Por isso é crucial o contacto profundo com o sexto plano, monádico.

Lembrai-vos: Cada bloco deve estar firme no "dique" de forma a sustentar a pressão das águas emocionais e dos ventos psíquicos com um máximo de rendimento. Assim, problemas e conflitos pessoais são como um cancro nesta barragem de luz. Em verdade os blocos que a podem compôr são aqueles que superaram o limiar da preocupação consigo mesmos. Alêm disso, é técnicamente óbvio que cada elo deverá estar irmanado com todos os outros e fortalecido por essa União, pois só assim o individuo poderá veicular a sua parte do tremendo potencial energético-radioactivo que a corrente terá de irradiar.

É tambem URGENTE que os indecisos e os vacilantes deem o "salto" e assumam os postos que lhes pertencem na corrente de luz. Que esperam eles? Não podem ver os sinais? Que saibam que não será possivel, nessas horas de intenso impacto psiquico e emocional estabilizar veículos descoordenados e enfraquecidos por vibrações inadequadas. Não será possivel, nessa altura, que blocos da barragem enfraquecam as suas posições tentando "salvar" de forma directa, os caidos.

Portanto, a uns e a outros, a todos dizemos: Assumi a vossa Essencia!

*corpo-de-luz

32.

A personalidade deve ser utilizada sempre que necessário, pois existe como um precioso instrumento de colaboração. Qual é, para o Servidor, a diferença entre a sua própria pessoa e um lápis afiado, pronto a imprimir ideias na substância do papel?

Muitas vezes basta o bom senso para vos dar a medida certa do protagonismo que o Espirito permite à personalidade.


33.

Nos ciclos de preparação procura-se, nos ciclos de amadurecimento encontra-se, nos ciclos de aprofundamento-contacto esquece-se.

34.

A humildade evoca uma misteriosa substancia que complementa a actividade da mente, equilibrando-a.

35.

Enviaremos Mensageiros. Chegarão num segundo, partirão num minuto.

36.

O trabalho espiritual individual deve receber de vós um simples "É necessário." O entusiasmo, o interesse, a tensão ígnea devem ser canalizados exclusivamente para o serviço espiritual em escala planetária, global.

37.

Aprendei a aprender. O tempo é curto: As palavras serão sintéticas.

38.

Muito do Meu cuidado temporal foi usado para ir buscar ovelhas que se transviaram. Muitas foram recolhidas à beira dos mais vergonhosos abismos. Dos filhos do Coração espero poder retirar o Meu cuidado para neles depositar, simplesmente, o Meu Raio.

39.

A descrição do Caminho não pode tornar-se o Objectivo.

40.

Aquilo que pode ser feito através do indicador, não pode ser assumido pelo polegar. Aquilo que pode ser feito através do anelar não pode ser realizado pelo mindinho. Os Centros Espirituais autenticos, existentes ou em formação na Terra, são prolongamentos complementares de um mesmo Plano. São distintos mas todos necessários. São de tal forma unidos nos planos internos da vida que Nós os usamos como dedos de uma mesma mão. Aos olhos dos Mestres os vários centros são um Único Centro, a que chamamos "A Mão". Assim é.

É tempo de desenvolver uma sensibilidade crescente a esta Mão, o que vos levará a realizar a profunda ligação entre os dedos. Reparai; Dedos, Mão e Plano são níveis ascendentes de focalização da Consciencia.

Assim o vosso Amor dirige-se Àquele que usa a Mão, fazendo aplicar o Plano. Aos dedos estais unidos por laços de Necessidade, à Mão por laços de Serviço.

41.

Se não podes captar correctamente os Nossos envios então abstem-te de falar em Nosso Nome. Evita o nevoeiro. É no nevoeiro que germinam os mitos, como bactérias, é no nevoeiro que se instalam as novas superstições, é no nevoeiro que proliferam os falsos futuros.

42.

Os grupos espirituais também podem gerar um subtil ego grupal. Fiquem atentos, Guardiões da Chama!

43.

Os Anjos aguardam o acender-se de vossos Corpos de Luz. Apenas nesse momento a co-criação pode ser assumida. Guardemos então as conversas cientificas sobre os anjos para um ponto mais alêm.

44.

Nós não enviamos pouco, nem enviamos raramente, Nós enviamos cuidadosamente, dentro de ciclos de dispensação de rigor cósmico. Quando um pedido, uma oração, uma corrente de devoção atinge os Espelhos do Cosmos o foco recebido é decodificado até graus de definição que vão do nível monádico ao nível sub-atómico. Isso despoleta uma resposta automática dos Espelhos, em um grau de precisão cósmico.

Por isso aos vossos conscientes foi dito: "Não sabeis onde, como ou quando o Vento soprará."

45.

O involutivo necessita de se apoiar em afins. Através dos seres transparentes as correntes de toxinas passam e não encontram onde se prender.

46.

Prudencia: O ensinamento prepara a consciencia mas não a transforma. É o voo que energiza a afirmação.

47.

O facto de avançardes de forma decidida e economica implica que vos movimentareis com graça, com elegancia, com musicalidade.

É natural que alguns refiram a suave beleza das Sacerdotizas: não é possivel a próximidade aos Espelhos com um semblante carregado.

48.

Firma os teus constituintes. Educa os teus elementos. Estabiliza os teus campos. Ensinámos-te sobre Ícaro. Que não se repita.

49.

Eu faço soar um cimbalo e então vós escutais um rouxinol. No Coração a potencia e a força manifesta-se frequentemente como aparente fragilidade.

50.

Cuidai da vossa casa. Eu encarrego-me das brisas que entram pelas janelas.

51.

Andai como leões. Olhai como relampagos. Afirmai com o som do tinir do bronze. Sede como Cristos. Iluminai o vale.

52.

Os místicos imaturos temem a Beleza que os sentidos -internos e externos- lhes oferecem, eles temem ficar presos nos braços do sensualismo espiritual. Isso apenas atesta da fraqueza do seu Amor.

Essa não é a Minha Senda. Afirmando em cada momento o Amor ao Pai, o filho do Coração pode ser exposto à Beleza, admirá-la e celebrá-la, pois jamais perde o contacto com a Fonte que gera toda a Ordem, de onde emana toda a Beleza.

Que fique dito: O Amor não teme a Beleza, sua irmã, mas vigorosamente a indica, como chave na cura da forma e dos sentidos.

53.

Falamos aos que unem as suas polaridades físicas para que crianças possam vir à Terra: O sémen humano contêm uma imensa quantidade de prana. Mas a sua qualidade é determinada pela consciencia do elemento masculino. O óvulo contêm selos sagrados, mas a sua activação depende da consciencia do elemento feminino. Aos olhos da Hierarquia a reprodução é um sacerdócio, e aqueles que, entre vós, se sentem chamados a ele, deveriam agir primeiro como Guardiões da porta sexual e Espelhos do Arquétipo-Síntese Humano.

54.

Os Canais do Coração são cientificos. Os filhos do Coração são imediatos na resposta à Necessidade e automáticos na resposta à Economia. Os agentes do Coração são exactos e os seus toques são leves mas suficientes. Assim o fluido não se esgota, por ser aplicado cuidadosamente.

55.

De entre os que se acercam de vós existem os que realmente escutam. Esses foram tocados pelo calor do Meu Manto, em tempos, e de novo se aproximam do portal do Templo. Dedicai a eles a atenção que dedicais a Mim, pois aos Meus olhos não existe diferença; o Sábio, o ignorante e o Cristo, somos Um.

56.

Os que não praticam falam, os Sábios afirmam.

57.

Recolhei as vossas projecções: Os Templos Intraterrenos não tem volumes de estilo oriental nem cúpulas de tipo persa. As cidades intraterrenas não tem torres como minaretes e os seus habitantes não usam exactamente túnicas. Essas cidades não são compostas por edificios quadrangulares e os nossos veículos não comportam arabescos supérfluos. As cúpulas dos mundos intraterrenos não são feitas de ouro ou de rubi e as sacerdotizas dos Espelhos não erguem os braços ao Alto por tudo e por nada.

58.

Alguns falam do caminho do Bem e do caminho do mal. Essa visão abre as portas à magia. Os estudantes já deveriam saber que a magia não conduz ao Nosso Coração. O Bem não é um caminho, não é uma energia, não é uma força. O Bem é a Essencia do Universo.

É por isso, e não por ser "o mais forte", que, cedo ou tarde, tudo se encontra e transfigura no Bem Supremo.

59.

O mentiroso tece a teia onde se imobiliza.

60.

Continuamente aumentai a amplitude da vossa recepção ao Som. Os filhos do Coração serão solicitados onde há carencia de Nobreza.

61.

Grande parte do material colhido por "canais de contacto humanos" provêm do subconsciente, pois este é frequentemente alimentado pelo desejo de ser útil. Também por isso emerge a indicação de que os canais deveriam trabalhar em triangulos. A vibração de Vigilancia gerada por um triangulo protege as mensagens das interferencias mais grosseiras.

62.

As vias que conduzem aos Céus não necessitam de vestes. Apresentam-se como Leis e como esteiras de Energia, e isso é tudo.

Ainda assim a nova imantação planetária produz necessáriamente formas. Estas formas são surpreendentes e, regra geral, não confirmam as atmosferas lendárias e arcaicas dos contos sagrados do passado. Se as personagens das antigas parábolas eram pastores, anciões, crianças e agricultores, hoje são outras as vestes: pilotos de aeronáutica, matemáticos, actores, enfermeiros ou espeólogos.

O Espírito manifesta-se sempre de forma fresca, vívida e actual.

63.

A noite cai e tu ainda não encontraste resposta? Reconhece a prova.

64.

O pequeno espelho não pode reflectir o imenso palácio. O homem a quem falta um olho não pode manejar aparelhos de precisão. Aquele a quem falta o sentido da Gratidão não pode penetrar na caverna das esmeraldas. Aquele que não reconhece a magnitude da Mão da Hierarquia não deveria aproximar-se dos centros espirituais manifestados. Os melhores pilotos podem encalhar as suas barcas. Para que o indicado se implante é imperativo o uso do Sentido da Audição Profunda.

Por tudo isso dizemos: Aqueles que procuram terão, concerteza, dificuldade em encontrar. Aqueles que aprenderam a repousar no colo de Buda, esses já conhecem o segredo da Grande Mãe.

65.

Afirmar a beleza da simplicidade não é suficiente. Afirmar o Caminho não é suficiente. Afirmar a nobreza dos Mestres não é suficiente. Afirmar a Entrega não é suficiente. Afirmar a segurança dos Redutos não é suficiente. Apontar Chamas Sublimes não é suficiente. Curvar-se às Luzes nos céus não é suficiente.

66.

Afasta-te, superstição: Os Meus Filhos são Guardiões da Chama da Sabedoria. Eles sabem que a Senda percorre-se no aprofundamento do equilibrio e do discernimento. Os Meus Filhos são Guardiões da Chama do Conhecimento. Eles sabem que o Espirito também se eleva no aprofundamento da ciência.

67.

Nós não medimos o sofrimento da Humanidade através das guerras, dos mal-entendidos, das epidemias e das catástrofes, mas simplesmente pelo grau de afastamento que os homens mantêm em relação ao ponto evolutivo que o Arquétipo da Humanidade prevê para um determinado ciclo. Assim, Nós medimos nas causas, não nos efeitos.

68.

A Renuncia e a Rendição são algo mais que virtudes por negação. Firmai a Sabedoria: A negação em um plano é afirmação no plano subsequente.

69.

Haveis batido à porta e ela não se abriu? É como se se tivesse aberto. A qualidade de saber aguardar frente a entradas fechadas é justamente o que as primeiras Portas procuram imprimir em vós.

70.

Como deixastes este planeta! Não podeis ter uma visão afinada das distorções que haveis realizado, ao longo da longa noite do passado, pois, em muitos, os mecanismos de avaliação estão contaminados por uma concepção arcaica do mundo e da natureza do real.

71.

O excesso de solicitude parece ser uma gula como outra qualquer. Amadurecei a vossa Consciencia: é o Espirito Quem trata do Espirito.

72.

À medida que o segmento temporal ao qual chamais "década de noventa" se esgota os ventos solares radicalizarão os grupos humanos da superficie da Terra. Em síntese estes dividir-se-ão em dois tipos, com contornos claros:

Os que absorvem e deterioram a energia, animando continuamente vestígios do passado e os que irradiam a energia, antecipando em sí os estados de consciência do futuro.

A escolha é vossa.

73.

Reconhecereis as manifestações subtis da Verdade se A praticardes em vosso ambiente profundo. A Chama da Consciencia não deve bruxulear ao contactar os ventos dos sentidos subtis.

74.

Portais são como entidades guardiãs. A única comunicação possivel é o rigoroso ajuste vibrátil.

75.

A Inteligencia do Coração faz a Síntese dos opostos. Na Sabedoria do Coração Radiante está a Síntese dos Raios, o Eu Último.

76.

Nada pode perder-se eternamente.

Por isso o Cosmos é chamado "A joia perfeita".

77.

O cuidado não está em voar ou não voar. O cuidado está em discernir o Céu que te corresponde, pois cada um tem o seu próprio âmbito espiritual. Quanto mais plenamente te integrares ao teu âmbito espiritual, tanto mais simples será transcendê-lo, e ir mais além.

Isto é voar.

78.

O Espirito não se repete. Cada Núcleo de sintonia hierárquica que se implanta no planeta, nesta etapa, é uma oportunidade para o Grande Alento desenvolver uma experiencia única, genuina, imprevisível. A intercepção entre o vórtice imaterial que anima estes grupos e as qualidades receptivas únicas, presentes em cada elemento componente gera um vórtice original, de tonalidade impar.

Isso agrada ao Espirito.

Aqueles que deverão compôr a parte externa de um grupo verdadeiro foram, geralmente, indicados para essa tarefa mesmo antes de emergirem na actual encarnação física, trazendo consigo sementes de percepção de tonalidade especifica ao desígnio grupal a que deverão corresponder. Essas sementes, para desabrocharem, apenas aguardam a formação da Cúpula devocional e dinamica que o grupo, como um todo, deverá produzir.

Em um trabalho destes, resultante de um contacto autentico, o mínimo de influencias externas, mesmo que de natureza espiritual, deveria ser colocado entre os Seres-canais e a Fonte que inspira o grupo, sob a pena de a qualidade especifica da experiencia em curso ser frustada.

Assim as informações e partilhas vindas de outros âmbitos devem ser filtradas, submetidas ao rigoroso discernimento que emerge com a Audição Profunda, não apenas porque podem ser incorrectas, inúteis ou desactualizadas mas porque, mesmo sendo correctas e actuais, podem corresponder a necessidades diferentes daquelas que o grupo deve colmatar.

Assim a Aura de um grupo deverá ser mantida livre das mesclas que a curiosidade e o sincretismo dinamizam. Desta forma cada grupo soará bem clara a sua Nota, para que aqueles que se devem a ele coligar se aproximem sem hesitações.

79.

Se Eu trago a Música, é para vos elevar ao Som. Se Eu trago a Beleza é para vos elevar à Ordem. Se Eu trago o que É, é para vos elevar ao Não-Ser.

80.

Colocai sob o vosso Coração não a encarnação, mas a Oportunidade.

81.

Não desdenhes das palavras nem dos conceitos, só porque vislumbrastes a plenitude do supramental. O emergir desses instrumentos preciosos foi lento e penoso e a palavra encontra-se entre uma das mais altas realizações das humanidades. Neste planeta a emergencia da palavra e da linguagem processou-se sob o estímulo do Grande Aplicador e do Manu, em sintonia com potentes Devas do Som. A sua implantação foi, para Nós, uma obra sagrada.

Duvidai, isso sim, do uso que tendes feito das palavras. A inabilidade das palavras faladas para transmitir energia espiritual não reside tanto nas palavras em si, mas no vosso relacionamento com os éteres correspondentes ao som acústico, e com a pureza de vosso veículo mental. Procurai as causas da morte oculta das palavras não tanto nas limitações do plano mental, mas principalmente no desleixo da vossa oralidade e do vosso pensamento.

82.

A compreensão e a utilização da palavra segundo o processador mental torna-se linear, devido a hábitos intelectuais ainda activos. Mas um texto escrito segundo as leis do 4º plano apresenta-se sempre circular. Isto é: anula o tempo.

83.

As Chamas Celestes não são conhecidas. As Chamas Celestes baptizam irreversivelmente. As Chamas Celestes não combinam encontros. As Chamas Celestes transformam os homens em Deuses.

84.

Negar o involutivo é bom. Mas afirmar a Lei e focar a Infinita Beleza é melhor.

85.

Ontem foi o rio, hoje é a Foz, amanhã será o Mar.

Por André Louro de Almeida

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares

Sites