Amhaj

Para que possais trilhar a senda luminosa é preciso responder ao Chamado. Isso significa vencerdes provas, nas quais terão confirmado o vosso elo com a verdade e com a luz. Todos os seres, um dia, penetram essa senda e alcançam a Morada Celestial. Porém, eons se passam até que o ciclo se consume. Não vos intimideis frente ao mal. Não desafieis o inimigo. Não retardeis vosso caminhar pelo clamor do passado. A poeira dos tempos será lavada do vosso ser; novas vestes trajareis, e grande será o júbilo da libertação. Porém, nessa senda pisareis sobre rosas e espinhos, e devereis aprender o mistério do Bem. É tempo de justiça. É tempo de graças. Magnífico poder, o Irmão Maior se aproxima. Silenciai vosso coração e acolhei o grande amor. Tendes a Nossa paz.

Hierarquia

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Despertar sincronizado. Naves Mãe. Níveis de Presença

A Terra inteira, hoje, é sobrevoada por um caudal de LUZ/FOGO que se traduz num acréscimo de força, vida, consciência, voltagem nova, e esta ampliação da corrente sobre a forma planetária está a acelerar todos os processos latentes da Terra. Com esta nova frequência o poder alquímico é mais alto do que nunca.

Nos próximos tempos, vamos observar translados de consciências, em massa, de uma visão psicológica, psicoafectiva da realidade, para uma vida de Fogo, Luz e Radiação. Esta transferência de milhões de ampolas de consciência de um plano para outro plano de consciência são comparáveis ao atravessar de duas margens e esta ponte entre as duas margens é feita por seres vivos. A descida do divino é feita através de pilares de luz exprimindo-se através de seres humanos. Estamos numa etapa de despertar sincronizado daquele grupo de seres que tem consciência entre as duas margens.

Esta descida, este verter-se de Correntes Cósmicas está em Acto. À medida que o magnetismo superior da atmosfera é activado, este Oceano Esférico de Luz, que tem sido repelido pela mente colectiva, está a fazer pressão, a ionizar as camadas superiores da atmosfera, um dos sintomas disso é o facto de que actualmente as bússolas electromagnéticas nos aeroportos estão a ser afinadas semanalmente, antes eram afinadas anualmente porque a actividade electromagnética entrou na fase de emergência.

Aquele que sabe que nasceu para ser um vaso do Fogo de Transferência, já está com a Tarefa à sua frente... como um Elo entre Mundos /Esferas tem a sua Tarefa a definir-se gradualmente.

Mas, que o Servidor não confunda a sua Tarefa com factos/tarefas/manifestações tridimensionais, como terapias alternativas, etc. Este Servidor, que tem condições de mudança de escala, este Servidor que não confunda nada do que ele faz com a Tarefa.

A Tarefa não é o que ele faz. A Tarefa é o que ele É.

Quando se fala de “Activação”, está-se a falar de uma intervenção, de uma engenharia Cósmica Superior dos nossos veículos, para que os nossos veículos passem a libertar LUZ.

Esta permissão existe à escala colectiva nos planos superiores mas depois ela tem de ser conferida individualmente e isto passa pelo nosso livre arbítrio.

A Conquista, hoje, é a conquista do QUOTIDIANO. O problema, hoje, é a força da Luz penetrar o pequeno comportamento do quotidiano. Nós estamos no Cosmos e o trabalho passa pelo indivíduo saber que está no Cosmos, não no finito.

“Eu sou um Ser caminhando no Cosmos... “

O ser precisa de instalar nele a esfera que interrompe o contínuo terrestre e permitir que esta esfera, esta força luminosa ancore na sua aura. Esta esfera liberta-se do coração profundo.

O servidor precisa de encontrar a semente no coração profundo.

Ressurreição é um indivíduo criar condições para que o Fogo vindo dos níveis superiores do Universo se liberte, devore as leis da morte.

Tudo o que espera retorno é pó, é contra as leis da Ressurreição... Existe uma região do teu ser que não sabe o que é retorno e que sufoca se não der...

O servidor só ancora a Tarefa se sair do aconchego das coisas normais... familiares...

A LUZ MAIOR está a chegar...

Fala-se em avatar grupal porque são 144000 que têm condições, antes, de se soldar em faixa de frequência.

Crucificação – 4ª iniciação – é soldagem do ser numa faixa de frequência e uma vez fundido nessa faixa de frequência, acontece Ressurreição, tu és tirado da caverna da situação terrestre.

O varrimento, o fazer descer “a coisa”, é constante, e tem a ver com o comando da luz superior sobre o comportamento dos veículos que ela própria cria, tem a ver com o comando do espectro luz/informação acima dos ultra violetas.

Nós vivemos reduzidos do vermelho ao violeta e esta é a luz que os nossos sensores processam, mas o ADN integral, a biologia adâmica, contém 12 hélices, ele precisa de pontes de hidrogénio que só se formam com bombardeamento de luz do ultra violeta para cima.

A nossa estrela não contém o espectro de luz integral capaz de nos fazer levantar do pó, por isso é que na esfinge (um rosto que emerge dum leão) o corpo do leão representa o nível de consciência solar, o espectro de luz solar. O leão (o Sol) é o bombardeamento de luz/informação capaz de transformar o comportamento dos veículos. O rosto do leão é o poder da tua consciência romper com a lei solar e assimilar níveis de luz (informação supra solares). Significa que a Ressurreição está em frequências de luz que está além do Sol e isso é feito pelas estrelas, é feito pelos espelhos do Cosmos, estejam eles em estações intermédias ou em templos no espaço. Os templos principais desta corrente ascendente à qual pertencemos não estão em planetas, estão no espaço puro, são imateriais e são formados por convexões de força, energia e consciência extremamente acelerados e por isso contêm exactamente as mesmas características do que aqui em baixo chamamos “templo” e produzem descontinuidade no comportamento da informação: aceleram-na, convergem-na e disparam-na para os planetas aos quais ela tem que chegar.

Além disso, quando se fala em naves legião, em naves laboratório, em plataformas orbitais, em naves mãe, o principal trabalho de uma nave mãe é que ela contém um sistema de pirâmides que forma o coração da nave, um sistema capaz de acelerar, fazer convergir e accionar energia divina até à célula do teu ser. Precisamos ver estas naves como carruagens de fogo, como prismas de energia cósmica lançados em órbita de planetas que estão em situação de emergência como é o caso do nosso.

Estes prismas de energia cósmica têm poder de captar radiação supra solar, isto é, têm o poder de fazer do leão a esfinge e essa radiação além do Sol é o tipo de energia que nos falta para a Ressurreição e a lei solar produz um colapso de certas funções naturais que conduzem à morte, à entropia.

Esta entropia nasce na mente e no coração e é aí que se trava o encontro entre o novo e o velho.

Esta luz supra solar (acima do ultra violeta) está a chegar e a localizar-se, através de 5 caudais, em cada um dos centros supra cranianos. Cada chacra acima do crânio está recebendo um destes 5 caudais. O 8º chacra é onde estão os protocolos da Ressurreição.

Para que eu possa começar a funcionar como vaso novo para vinho novo, eu preciso de mantrizar este facto de que sou um ser caminhando no Universo. EU ESTOU NO COSMOS.

A activação da rede de serviço à escala planetária depende de os servidores superarem a parte do seu ser que espera retorno porque essa parte não vibra de acordo com a tua tarefa. Existe uma linha que divide a vida humana sublimada da vida espiritual e essa linha é fortemente definida pela parte em ti que espera retorno e a parte em ti que dá. Tudo o que em ti espera retorno é contra a Ressurreição, actua na direcção oposta à vida.

Existe uma região em ti que não contém os agentes através dos quais o ego se organiza, o indivíduo dá sem esperar nada em troca, e se ele não dá, sufoca.

A tristeza psíquica que tem qualidades de síntese dentro do ser é de uma natureza purificadora. Para muitos de nós é a tristeza psíquica que contém o caminho de retorno ao centro.

Esta condição de supremo serviço, de ter desmontado a fórmula cósmica, de ter compreendido de como te libertas do jogo de forças, esta condição de dar, prepara o servidor para ancorar essas 5 radiações superiores.

O 8º Raio (da purificação cósmica, que tem uma cor verde espuma do mar fosforescente com radiação ultra violeta combinado) é um Raio que tem um espectro muito alto, ele devolve aos átomos a memória do Pai. É um Raio de requalificação da matéria, de regénese.

Para eu ser um portador da nova frequência eu tenho que aprender definitivamente que, ou eu vou ter o resto dos meus dias como dias de aconchego ou como dias de revolução permanente. Ressurreição é o indivíduo permanentemente ser vórtice que vai além da lei terrestre, além da força solar, além da lei da morte.

A Hierarquia não pode exteriorizar-se porque ela tem uma voltagem 100 vezes mais poderosa do que o que aqui estamos a fazer. A Hierarquia para se exteriorizar na Terra necessita de seres capazes de viver o alinhamento, de viver o amor profundo às leis, à Mãe divina, o amor profundo ao “modus operandi” do nosso Pai. Ela não se aproxima mais para não nos deixar danificados pela luz, ou seja, é a sabedoria do hierarca que mantém a distância em relação ao discípulo. Agora, o discípulo tem toda a mobilidade para ficar cansado do mestre dele e começa a exigir, a invocar essa aproximação, e começa a amar a transformação profunda de si.

TU NÃO TENS LIMITES. Cuidado com o poder potencial do teu ser, a irradiação que isso liberta limitará os limites dos próprios corpos porque esses têm limites – como se tem visto em grupos na Nova Zerlândia que há anos que deixaram de comer.

O nosso corpo emocional consome 70% da vibração de um ser, então em Portugal, que é um povo de 6º Raio, que está directamente em fase com o corpo astral, nós vivemos o tempo todo tentando tapar o vazio (a saudade) de fora para dentro: com vinho; com fado; com footbal; com namoro; com poligamia; com luta no emprego…. . Esta é a forma velha de matar a saudade. Este código do ser que nasce nesta região do mundo, a que se chama saudade – é uma vibração específica ligada ao 6º Raio – devoção por uma coisa distante, dedicação infinita a uma causa – tu nunca matarás a saudade (o vazio) enquanto não te tornares um devoto (hoje é assim que se mata a saudade).

O caminho da decisão renovada, diariamente, de o indivíduo dizer: “eu vou ser todo o meu potencial e eu arrisco esta encarnação na ousadia do espírito, eu preciso criar asas”. Isto é um processo, que uma vez posto em movimento, tu começas a repelir o egoísmo.

Nós estamos a entrar numa etapa de sinceridade oculta, sinceridade do ser para com o seu perfume de forma a que ele possa ser traccionado pela alma dele. Trata-se de toda uma sinceridade que demora a emergir e que tem a ver contigo e o divino. Se essa sinceridade existe, as chamas do templo podem-se aproximar da lenha seca do ego e acabar o trabalho que nós começámos há séculos.

Este trabalho de limar as características indesejáveis da personalidade, ele está feito no grau máximo que podia ser feito, hoje. Existem 1 ou 2 traços que ficaram que o indivíduo ainda deve continuar a trabalhar mas agora, o trabalgo final, é dado não por um limar exaustivo dos nossos defeitos, mas por um salto de ousadia do espírito e aí o trabalho é terminado, já não por mãos humanas.

O resultado da obra do fogo em ti não é terminado por ti. Não somos nós que assinamos a obra final que está a ser feita em nós, seria extremamente perigoso.

O trabalho hoje consiste em pegar nesta lenha que está bem seca e pô-la no fogo. Isto faz-se através de um nível de sinceridade incandescente. Nesse nível de sinceridade tu cessas de existir como um sistema de fruição autónoma da existência. Tu começas a entrar em correntes de vida e consciência que são verdadeiramente aquarianas.

Os “Encontros de Belém” têm 5 níveis de presença:

1 – Existem pessoas que vêm a estes encontros apenas para receberem informação. São seres que estão coligados com este trabalho apenas no plano mental. Significa que estes seres não têm que receber a medida inteira nestes encontros, eles vêm só para ser estimulados a nível conceptual.

2 – Outro nível de presenças nestes encontros diz respeito a seres que vêm para ter a sua chama psíquica estimulada, isto é, a brasa que está por baixo das cinzas vem aqui para ser soprada, estimulada e eles não têm que viver essa incandescência nos Encontros de Belém. Esses seres têm os seus próprios grupos de trabalho, as suas próprias formulações acerca do caminho, as suas próprias vidas espirituais em grupo ou isoladas e é absolutamente válido que eles venham a um trabalho apenas para receberem uma estimulação dessa chama de conexão com a sua vida espiritual e depois partilharem essa chama com os grupos ou as situações onde essa chama tem de ser partilhada que não aqui. Seria até contra producente que esses seres, que sentem essa chama estimulada, não a fossem partilhar com os seus grupos e permanecessem aqui. Eles têm que vir receber a escala, a frequência e a visão e passar do estado latente, passivo, para o estado de assunção da sua tarefa. Eles vêm viver o processo de activação da tarefa oculta, daquilo que eles são como programa e seria contra producente que depois dessa activação ter acontecido, no grau que cada um tem que saber, o ser continuar nos Encontros de Belém porque a tarefa destes encontros estaria a eclipsar a tarefa que ele veio assumir.

3 – Existem seres que vêm a este trabalho para serem activados, quando essa activação acontece, tu tens que perceber claramente os sinais que “não é para continuar” a vir aos Encontros em Belém porque a tarefa já está clara. Ele terá que se coligar com um grupo que se está a formar algures e nesse processo de assunção ele terá todas as ajudas.

No 1º nível – Ele leva a medida (alqueire) quase vazia, só vem buscar informação mental, não é aqui que ele tem que receber a totalidade – Passa-se no plano mental.

No 2º nível – A medida já está um pouco mais cheia – Passa-se no plano psíquico e no causal.

No 3º nível – A medida está a meio e não receberá o outro meio enquanto não se desapegar dos Encontros em Belém – Passa-se no nível do eu superior.

4 – Os seres levam a medida quase cheia – o processo não tem a ver com o mental, eles vêm para fazer contacto com o Raio e a Hierarquia que rege este trabalho. Esses seres também têm os seus próprios trabalhos para manifestar mais tarde mas esses precisam permanecer um tempo até terem absolutamente claro que a sua aura, que o seu campo vibratório, a energia que emana deles tem fonte na Hierarquia e no Raio que estimula os Encontros de Belém e nesse momento, eles têm mesmo que assumir algo algures – Passa-se entre o eu superior e no plano espiritual do ser.

5 – São seres que nasceram para esta tarefa. Em horas, minutos ou segundos eles sabem. Enquanto seria totalmente contraproducente um ser que veio só receber uma parte do alqueire permanecer para além do que é devido porque não recebe a medida inteira, esse 5º nível são seres que vieram para receber a medida inteira neste trabalho e eles sabem disso e estão completamente em paz com esse facto – Identificação causal.

Esse que vem para receber a medida toda sabe o que está a acontecer. Ele tem o seu campo vibratório qualificado de uma maneira muito definida e está totalmente em paz. Ele é uma pedra viva dessa construção de que os Encontros em Belém são um pequeno embrião.

A saúde psicológica implica que cada ser, cada núcleo, cada nível de presença não interfira com o outro nível de presença. Há leis que regulam o metabolismo da presença aqui (leis de regulação da evolução da consciência).

Este nível mais interno de presença são seres que se auto convocaram para contribuir para a descida de uma chama energética que é expressão de uma entidade e eles estão num processo de se templarem. Os outros níveis de presença também mas essa situação templo não será vivida neste trabalho, todos chegarão à situação de templo qualquer que seja o seu nível.

Por André Louro de Almeida     29/03/2002

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares

Sites