Amhaj

Para que possais trilhar a senda luminosa é preciso responder ao Chamado. Isso significa vencerdes provas, nas quais terão confirmado o vosso elo com a verdade e com a luz. Todos os seres, um dia, penetram essa senda e alcançam a Morada Celestial. Porém, eons se passam até que o ciclo se consume. Não vos intimideis frente ao mal. Não desafieis o inimigo. Não retardeis vosso caminhar pelo clamor do passado. A poeira dos tempos será lavada do vosso ser; novas vestes trajareis, e grande será o júbilo da libertação. Porém, nessa senda pisareis sobre rosas e espinhos, e devereis aprender o mistério do Bem. É tempo de justiça. É tempo de graças. Magnífico poder, o Irmão Maior se aproxima. Silenciai vosso coração e acolhei o grande amor. Tendes a Nossa paz.

Hierarquia

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Parte III: Aura de resgate.O 3º Pólo. Inversão magnética.O iode

Estes seres com os quais estamos a aprender a inter agir, eles existem em esteiras energéticas muito subtis e elevadas e o trabalho deles consiste em sobrevoar-nos vibratoriamente e despertar e estimular o fogo que existe no nosso interior. A proximidade de uma entidade supra terrestre suspende, momentaneamente, a ação de leis psicológicas e ocultas que fazem parte da construção dos mundos evolutivos, mas quando um ser, cujo arco de consciência é de amplitude celeste, se aproxima de vocês trás com ele outras leis.

O campo de vibração dele vem de regiões do universo, da consciência onde não existe pêndulo entre o espírito e a substância, onde a estabilidade entre o espírito e a substância é eterna. Isto implica que esses seres trazem com eles o terceiro pólo. Nós como entidade biológicas evoluindo na Terra e como seres psíquicos, temos esta contínua experiência de movimento pendular, de expansão e contração das nossas qualidades, da nossa energia, dos nossos desejos, da nossa leitura das coisas e a nota mais evidente do fogo que anima a personalidade humana (fogo por fricção) é alternância, oscilação. Tanto assim que toda a cultura de superfície acontece por contraste, por oscilação, inclusive, o que a mente da superfície é, que, sem contraste, sem dualidade, não é possível a existência. Então as pessoas falam dos dois opostos yin/yang e esquecem sempre o círculo dentro do qual eles estão, ou seja, aquele símbolo do Tao contem 3 realidades yin, yang e o Tao e nós aqui temos experiências de yin e de yang, e raramente temos a experiência do Tao, do círculo dentro do qual o yin e o yang existem.

Estas entidades supra terrestres vêm de regiões do cosmos que existem perenemente em Tao, perenemente no ponto central do pêndulo, o ponto que não contem oscilação. Eles são espirais de libertação. Libertação é um facto que tem origem nas regiões edênicas do Universo, não evolutivas, e estes dínamos contêm as duas polaridades e uma terceira polaridade desconhecida da superfície da Terra, ao qual os rosa cruzes chamavam a “paz profunda”.

A lei evolutiva dentro da qual nós estamos é uma lei de evolução por esforço, por concentração numa causa e, das escalas de harmonia (4º Raio) nós saímos da oscilação através da persistência em harmonizar esses opostos, isso é a evolução terrestre mas existem regiões do Universo onde o problema é outro, é outro nível de desafio.

Estes seres têm autorização de trazer até à orla da Terra e até às nossas auras, o terceiro polo.

Enquanto eu evoluo dentro da lei terrestre (oscilação, aplicação e harmonização progressiva dos nossos conflitos) eu evoluo psicologicamente e estou a criar escadas psíquicas e isto é essencial para todos nós, mas o que temos vindo gradualmente a assimilar como aura de resgate (poços de vibração superior) já contêm o 3º polo da manifestação universal – chaves transcendentes de relação entre o Pai, o Filho e a Mãe, a isto chamava-se na igreja católica “a ação da graça”.

Estes hiper lúcidos que nos sobrevoam vêm até à nossa aura para começar a introduzir essa 3ª vibração da qual a nossa mónada sabe tudo, mas a nossa alma muito pouco sabe.

A alma que se exprime através dum código “homo Sapien Sapiens” é um operador de dualidade, tenta constantemente encontrar o ponto de equilíbrio entre opostos.

Toda a estrutura narrativa, toda a apreciação diacrônica das coisas ao longo dum vector no tempo incluem polos, e portanto, incluem a necessária (do pondo de vista da evolução ascendente) perca de uma condição central ideal, a compreensão da perca, a nostalgia do ponto perdido e a quimera de retorno ao ponto perdido. A estrutura da evolução da consciência dum mundo tridimensional dentro da lei evolutiva terrestre é mais ou menos isto.

Esta estrutura cíclica de estar coligado com um polo, assistir ao desequilíbrio dos germes de oposição que existiam anulados dentro desse polo, a consciencialização da perca, da nostalgia do sagrado que acompanha todo o ciclo consciencial e de retorno ao centro faz parte do mundo da dualidade e isto não é o gênesis, isto é tudo, desde que nos levantamos, todas as pequeninas operações são uma tentativa de ajuste entre uma realidade idealizada e a realidade manifesta e nós estamos constantemente em afinação e a dor é o que emerge quando o grau de dessintonia entre a realidade manifesta e a realidade central é imenso.

Nós só podemos sentir dor psíquica porque temos uma memória indelével do ponto de equilíbrio em termos de consciência.

Este ciclo consciencial existe em todas as tradições do mundo. É sempre um processo de perca dum ponto de equilíbrio, uma aventura e um retorno a esse equilíbrio. Isto é o mundo da alma.

Dentro da aura de resgate isto não existe mais, aí nós entramos em contacto com o 3º polo, com a lei evolutiva superior (lei de atracão dos mundos, lei de revelação) e aí começamos a assistir à ação no fígado, no útero, no cérebro, na mente, no músculo cardíaco, no sistema nervoso, no fundo psíquico do nosso ser e na alma, começamos a assistir à ação dum 3º polo que, de uma forma não conflitiva, não pragmática, não empírica nos propõe a paz, que do ponto de vista gráfico, corresponde ao centro do ciclo consciencial.

Toda a aventura da consciência, quando ela se dirige ao mundo, é sempre um desdobramento de tipos de relação entre mim e o mundo que visam refinar-me até que eu readquira o máximo de sabedoria que corresponde outra vez à porta de reentrada no éter.

Então existe uma misteriosa relação entre a completa leitura do mundo e total inocência. Ciclo consciencial é tudo o que acontece quando tu sais dum ponto de equilíbrio e regressas a esse ponto de equilíbrio. Todo o conhecimento terrestre está baseado nesta percepção. Quando se fala no I-shing e no livro das mutações, está-se a falar das 64 alternâncias Yin/yang até voltar ao ponto inicial.

Quando começas a ser chamado para te integrares à aura de resgate, tens destacado para o teu campo dois serafins. Aquilo a que chamávamos o anjo da guarda é dispensado e o que te acompanha na formação de contacto com a aura de resgate são dois serafins que contêm códigos de comportamento luz que já não são os da superfície da Terra.

Estes serafins estão coligados directamente à central tractora desta região da galáxia e com aquilo a que podemos chamar “as estações intermédias” isto é, estações que fazem a adaptação do poder tractor do Pai à capacidade de resposta da consciência planetária.

Estes serafins contêm a vibração da hiper estabilidade cósmica, psíquica, eles são seres de energia branco alabastrino e têm, ao se aproximarem do nosso campo electromagnético, acesso aos protocolos de ascensão para o teu ser dentro dos quais se encontram o teu binário de inversão magnética, o teu binário de purificação do inconsciente (a limpeza dos estábulos dos trabalhos de Hércules) a tua velocidade de integração monádica, o código hierárquico e o signo cósmico estelar ao qual tu pertences e o trabalho deles é começar a fazer descer, no teu ser, estas matrizes de ascensão.

Para que eu ascenda, reverta, impluda, para que eu possa reendereçar a totalidade dos nossos fogos e dos nossos campos, de novo, ao olho único, eu tenho o meu ritmo, já não é o ritmo dual mas o ritmo trenário – positivo/negativo/Orion.

Nós chamamos negativo, do ponto de vista do ciclo da consciência, ao momento em que esta baixa a sua frequência para assimilar uma nova percentagem do problema da matéria e chamamos positivo, do ponto de vista do ciclo evolutivo da consciência, quando esta se ergue para assimilar uma nova inspiração. Então nós temos um ciclo de evolução na consciência comparável a um 8, no qual, o circuito inferior corresponde a uma relação elegante, sóbria, com a substância e no qual o círculo superior corresponde à abertura da flor da consciência aos níveis intuitivos para uma nova inspiração. Isto é o nosso processo diário, fazemos isto milhões de vezes por segundo. A consciência está constantemente entre os dois polos a uma velocidade tão alta que não nos apercebemos.

As auras de resgate e o campo que é introduzido pelos serafins e pelas naves não são da evolução terrestre, contêm um 3º polo que equivale, na nossa percepção temporal, à eternidade, ao ponto de repouso entre estas duas esferas.

Uma aura de resgate é um local onde a tua substância se encontra, através de leis cósmicas, muito rapidamente com a tua essência e onde a tendência da matéria é de revelar a luz aprisionada, ou seja, o poder de resposta inerente à matéria (a engenharia de construção do átomo é essa – estruturalmente a matéria precisa de responder ao divino, faz parte do destino dela) esse destino da substância é revelado dentro das auras de resgate.

Os curadores cósmicos do tempo de Esculápio, Santa Catarina de Sena, S. Francisco de Assis, eles continham em si próprios auras que já tinham a chave celeste, (a chave que corresponde, não aos universos evolutivos mas aos universos em suspensão, que foram construídos perfeitos desde o início).

Como nós não temos uma mente angélica, nós não temos muito a ver, à partida, com esses universos suspensos mas a mónada tem.

Dentro de uma aura, onde a hierarquia está a implantar um novo planeta, uma nova civilização, uma construção que contém espírito, substância e o 3º polo universal que é bem interno, o que é que lhe vamos chamar? Se nós sempre chamámos espírito ao espírito e substância à substância, não temos um conceito suficientemente estável para comunicar este 3º pólo, sabe-se que os operadores desta 3ª realidade cósmica são os serafins, os Mestres ligados ao 4º Raio (e toda a escola egípcia estava profundamente consciente disto) e a aura das naves coligada com certas zonas geográficas da Terra.

A minha integração a estes serafins que me acompanham (e podem acompanhar um grupo ou um indivíduo) pauta-se por uma assimilação progressiva dessa paz para a qual não existe nenhum comentário.

Este candidato ao serviço cósmico necessita de se estabilizar, de se aquietar de se tornar a esse ponto de máxima observância das coisas sagradas e aí sorrir e deixar que esse 3º código se associe.

Quando falamos de aura de resgate não estamos a falar apenas de zonas geográficas, estamos a falar dum nível de frequência que tem tendência a aglutinar-se em zonas geográficas específicas. O nosso acesso a isso tem a ver com assimilação desse 3ª realidade, eu preciso de a conceber primeiro. Estamos aqui a partilhar o facto de que essa 3ª realidade não é nem espírito nem matéria. Ao conceber este outro polo eu torno a minha natureza tridimensional afim, espectante, aberta a esse orvalho dos serafins.

Inversão magnética, que é o que se sente ao entrar numa aura de resgate (o peso do corpo praticamente desaparece), Eles invertem a carga electromagnética dos nossos veículos e portanto, a resposta à força de gravidade, tal como ela se exprime na Terra, altera-se. Além desta leveza o pensamento cristalifica-se, tende para uma correcção, uma geometria e uma elegância na reflexão dos impulsos internos que não é terrestre. O teu pensamento tornou-se simples, exacto, penetrante e brilhante por si mesmo. Com a vibração desse 3º polo o pensamento deixa de estar submetido à massa do campo mental terrestre e assim encontra o seu som, a sua memória supra planetária.

A quantidade de alimento que se consome dentro desses campos é mínima, porque o que é activado são fixadores de prana directamente da atmosfera para a pineal com posterior distribuição da força directamente para as células. Então um indivíduo descobre que para se manter activo, forte, ágil, precisa de muito menos alimento. A outra percepção é que não existe propriamente planeta Terra.


Dentro da aura de resgate, principalmente quando as naves começam a aproximar-se de certas camadas atmosféricas, a aura de uma nave – todas as naves autorizadas estão sob o comando de Michael e de Jesus – contêm um organizador electromagnético que queima, alquimiza, transmuta a vibração terrestre. Estamos aqui a falar de vórtices de celestificação da Terra, é uma anulação da ideia que a Terra e céu se opõem ou até mesmo se complementam, é a solução dos polos, é uma coisa bem desconhecida.

O sintoma de fundo é uma paz que não tem nome, uma paz que funciona como um vácuo no centro do teu ser que aspira para dentro dele os pensamentos e as emoções e eles não voltam mais, fica apenas o pensamento útil, claro, inteligente, de cada operação a fazer em cada momento. Não existe o exagero constante de actividade mental em que o homem vive, porque ele está imerso numa aura que não lhe corresponde (aura das grandes cidades) onde existe tudo menos contacto.

Quando um destes veículos se aproxima, transmuta, queima psiquismo colectivo. Nós estamos a tentar pensar em Jesus num campo vibratório em que toda a gente pensa no Benfica e isto faz perder energia. Tu estás a colocar uma vibração superior num campo telepático onde toda a gente está a fazer o seu arranjinho mágico.

O homem comum que vive de roldão, que vive para a esquerda quando sopra para a esquerda e vive para a direita quando sopra para a direita, do ponto de vista cósmico, é um pequeno mago negro e o ser que não vive levado pela maré é um terminal de energia hierárquica.

Numa aura de resgate temos actividade intensa desse polo que dissolve os grandes aglomerados psíquicos, que mantém a mente de superfície activa, então existe um clareamento profundo, por camadas, do nosso pensamento. A mente torna-se um perfeito executor de uma vontade profunda.

Com o emocional acontece a mesma coisa, ele é liberto dos mecanismos de compensação. Dá-se um apaziguamento do emocional, uma geometrização límpida do mental e o físico começa a ter a sua radiação ardente (shakti) disperta, isto significa que a saúde física sobe numa curva alucinante.

Magnetismo é a função cósmica de coesão. Os universos existem também porque existe um fundo de coesão, porque existe um elemento que mantém ligadas todas as coisas, este elemento é mesurável do ponto de vista da física contemporânea, mas a sua qualidade e as suas operações mais profundas não são conhecidas e quase sempre que se encontra uma degeneração num sistema, num órgão, quando estamos em presença duma doença, temos uma diminuição abrupta, naquela região, do magnetismo e uma ruptura do corpo etérico, o grau luz que devia sustentar aquele órgão desapareceu.

Para cada órgão que temos existe uma contraparte luminosa que é um fusível daquele órgão que se encontra no plano etérico e é a garantia do grau luz que sustem a operação metabolismo celular. Quando este fusível dispara, o órgão deixa de ter sustentação electromagnética (isto é bem conhecido da medicina tradicional chinesa) e começa a degenerar rapidamente. A aura de resgate é o oposto disto porque à medida que as naves vão fazendo o seu trabalho de limpeza e à medida que os corpos de luz das hierarquias, durante a noite, passam sobre a zona e vão queimando – um ser como Jesus se se manifesta, o impacto dele directamente na atmosfera vai produzir uma ionização do ar pelo impacto de radiação do campo vibratório destes seres. A ionização do ar produzida por uma hierarquia forma o corpo de luz daquela hierarquia dentro daquele veículo que é a atmosfera. Muitas vezes os nossos pilotos pensam que estão a ver um onvi mas podem ser perfeitamente 5 ou 6 avatares que foram dar um passeio sobre o Atlântico, como eles vieram muito próximo do campo físico etérico, ionizam a atmosfera à volta deles. São corpos de luz de grandes seres. As naves são outra coisa.

Enquanto estes corpos de luz e estes veículos vão fazendo o seu trabalho de limpeza, o trabalho do núcleo de contacto humano é começar a responder, a se alinhar, a se purificar, a se elevar até que ele possa fornecer uma tecitura formada pelos nossos veículos.

A vibração nesta sala é o denominador comum de todas as nossas vibrações individuais mais 3 ou 4 que não estão visíveis e que têm a paciência de nos aturar.

O núcleo de contacto deve prover um campo de união com a energia descendente dos serafins, das naves e das hierarquias, ele deve saber elevar a sua vibração e atingir a condição cristalina de uma molécula que assimila, fixa, compreende, ama, devolve, distribui luz, e o nossa trabalho de purificação e preparação para o contacto com essas auras é muito delicado porque eu necessito estar constantemente afinando a minha vibração. Esta qualidade do cristal puro é essencial para os núcleos, à escala planetária, que estão sendo chamados para descobrir as auras de resgate às quais estão coligados.

Quando se fala em inversão magnética, estamos a falar de uma reformulação de todo o nosso campo vibratório que nos liberta de uma frequência semelhante ao ferro e nos aproxima de uma frequência semelhante ao ouro que corresponde ao 3º polo.

À medida que vocês vão sendo integrados à aura de resgate, o vosso ser físico/etérico começa a reproduzir a frequência do ouro. A inversão magnética é o que te vai desligando da Terra enquanto prisão e te vai revelando a terra celeste e é aqui que eu entro em contacto com o mistério duma aura de resgate.

A impressão de que estamos na Terra fechados num anel não passa, dentro do qual só certas operações são possíveis, começa-se a romper. A impressão de que as estrelas, o cosmos, os irmãos do espaço, as hierarquias, os Conselhos, estão longe de nós, também se começa a dissipar e temos a impressão que a mesma vibração que vinha das estrelas vem das pernas. Quando esse 3º polo actua, temos finalmente, apenas, o círculo, o ponto de convexão do círculo desaparece, pelo menos, durante as operações de estabilização do núcleo nesses níveis.

Na inversão magnética o canal dos sonhos é alargado. Os anéis de Saturno que temos em torno do cérebro contêm magnetismo terrestre. O sonho, se é um sonho inspirado – e daqui para a frente a humanidade vai passar a ter sonhos cada vez mais ligados à energia cósmica superior, não apenas os sonhos que são reflexões do quotidiano mas os que veiem dos planos da inspiração das mónadas.

Quando o ser retorna de dormir, assim que ele move a cabeça, a consciência é puxada e é fixada na árvore neurológica e portanto, fixada na consciência cerebral. Nesse momento a memória não teve tempo de fixar o sonho, donde que, uma das chaves básicas para eu me lembrar dos meus sonhos é não mover a cabeça bruscamente quando acordo. Trata-se de acordar de vagar e enquanto tenho os olhos abertos, sem mover a cabeça, esperar que o sonho seja fixado na memória cerebral, ele está na matéria mental mas se eu movo a cabeça de repente, há um deslocamento entre a matéria mental e a memória cerebral, a consciência fixada no cérebro e eu não consigo lembrar-me do sonho.

Numa aura de resgate, como o campo electromagnético em torno da cabeça, na sua frequência terra, está a começar a diminuir, a tendência para reter os sonhos é muito maior, ou seja, o poder dissipador do magnetismo da 3ª dimensão é muito menor.

Geralmente existem dois tipos de elementos dentro duma aura de resgate: água e pedra. A pedra, as montanhas, contêm magnetismo. Experimentem fazer um pouco de interiorização dentro da gruta de Mira d’Aire, há uma velocidade de interiorização e um afinamento da consciência segundo o vosso próprio ser, muito rápido, porque o magnetismo das pedras dissipa vibração humana não correcta, dissipa a mente colectiva doentia que produz uma desarrumação energética e as pedras cortam este campo de vibração degeneradora. Uma das coisas que pode estar associada às auras de resgate são grandes massas de pedra e grandes quantidades de água.

Para que eu possa viver um processo de inversão na genética tenho que aliviar o meu ser de uma excessiva focalização da energia abaixo do diafragma.

Observemos a experiência do Pentecostes em que as chamas de fogo desceram sobre os apóstolos. Estavam os apóstolos cheios de medo dentro duma casa ao perigo de serem apedrejados e, se eles tivessem de viver aquilo no ciclo consciencial normal, eles saíam e levavam mesmo com a pedra na cabeça, o que aconteceu é que o 3º polo actuou.

O iode (letra do abecedário hebraico) é a 1ª forma que o fogo divino ganha quando se aproxima do chacra da coroa. O kundalini, a força de base, sobe, vai abrindo os chacras até que a serpente se fixa na coroa. Aqui estamos a falar no oposto, é a descida da energia do Pai sobre a coroa e o iode é a forma que a energia do Pai ganha (é uma hélice) assim que se aproxima do chacra da coroa.

Todo o alfabeto hebraico é inspirado nas codificações do fogo divino quando se aproxima dos mundos criados e também do micro cosmos, do nosso corpo, são mutações e adaptações entre o 3º princípio, o Pai, e os universos evolutivos, por isso as línguas de fogo, o alfabeto de fogo – as caligrafias quando se aproximam do sagrado tendem a ganhar formas de fogo – o sanscrito, o tibetano, o hebraico – estes alfabetos ígneos são dispensações, revelações seráficas, alguns iluminados profetas, que teriam como função captar a revelação de base duma cultura. Todas as culturas tradicionais começam com uma revelação de base.

No Pentecostes esta codificação de fogo instalou-se sobre o chacra da coroa e anulou o diálogo entre o poder espiritual da alma e a capacidade medrosa adaptativa hesitante da personalidade.

O iode ao actuar sobre o chacra da coroa introduziu o 3º princípio e imediatamente eles foram fundidos numa mesma realidade central em ressonância com a vibração do Adão primordial. Então tens 12 medrosos dentro duma casa, o iode desce, e saem 12 adãos a bater palmas.

A aura de resgate é uma aplicação deste fogo em toda uma região geográfica e uma progressiva adaptação do núcleo de contacto a essa presença, a esse fogo.

Neste processo estamos sendo educados, a partir dos planos profundos, para adquirir uma precisão, um rigor, um amor, uma qualidade em todo o nosso ser como uma filigrana. Seres leves, fluidos, articulados e simultaneamente lúcidos que se aproximam das auras de resgate, isto é, os que vão fazer a fixação da energia, não os resgatados, estes são aos milhares, mas estamos a falar dos que activam as auras de resgate, os que completam o circuito.

Nós estamos a apelar para a consciência de refinamento vibratório.

Muitos projectos dos Irmãos têm sido cancelados por falta de servidores à altura do projecto, então Eles baixam o nível dos projectos e até mesmo esses têm sido cancelados por falta de servidores na vibração abaixo do projecto inicial e Eles vão baixando, vão baixando, até que chegam à “feira do oculto” e aí sim, está cheio de gente, esse projecto teve servidores.

Este ser necessita de amar uma condição de meticulosidade, esvaziamento, milimetria e precisão da consciência de si mesmo de forma que a luz que liberta, a graça, possa encontrar vasos vivos através dos quais viver entre os homens.

A lei diz: Quanto mais amplo, poderoso, for o caos à superfície da Terra, essa é a hora de Deus. Quanto mais inaceitável, incompreensível for a escala do caos, mais poderoso é o varrimento do Cristo sobre as consciências. Isto é uma lei dos mundos duais.

Quando eu me sinto esvaziado do chamamento para ser o pioneiro, eu deprimo-me, sinto-me abandonado pelo bem amado. A “coisa” é uma escola de paixão, está muito próxima dos Sufis, de Rumi, do melhor do misticismo islâmico. Eles diziam: “eu amo-te como a um vinho”. Eu preciso de amar esse novo ser e deixar-me embriagar pela verdade desse novo ser, está noutra dimensão, mas está mesmo aqui.

Neste momento as áreas de contacto com a Irmandade cósmica estão a entrar em activação acelerada e contingentes humanos estão a ser deslocados para essas zonas, é um processo oposto ao de um refugiado político. Assim como temos a vibração de desespero, desencontro, trauma cultural, social, ao nível dos nossos irmãos que estão a passar pelo processo de refugiado político, temos em paralelo este outro processo que são as migrações por magnetismo espiritual, por chamamento interno, e obviamente que a migração principal é interior, não precisam sair de casa e há outros que, darmicamente, vão ter que ir ao encontro dessas regiões.

A leveza, precisão, que se vai manifestando em ti à medida que vais sendo integrado a uma aura de resgate, a dispersão mental desaparece, passas a viver com a energia exacta para cada coisa. Essa economia revela integração ao campo de integração extraterrestre.

Esse 3º polo vem para reintroduzir o Éden, o equilíbrio das forças no planeta. Isto liberta um tipo de alegria que, tal como a paz profunda, não tem comentário, é como se tivesse ouro a percorrer as tuas veias.

O que é que eu posso fazer já? Já, eu posso ir amando mas ir tirando uma parte desse amor e pô-lo nesse novo ser, nesse bebé em mim. Então eu vou amando o meu esposo, os meus filhos, as plantas, mas assim que sinto essa frequência de amor eu preciso de ir drenando, preenchendo esse novo ser que há em mim com afecto. Eu preciso tornar-me devoto do ser em que me vou transformar. Portanto, há um trabalho de dar à luz e um trabalho de amar aquele que se vai dar à luz.

Esse germe já está procurando implantar-se, eu preciso de o ajudar a vir ao de cima.

Por André Louro de Almeida      22/09/2001

Parte I: http://vontade-espiritual.blogspot.com.br/2011/09/aura-de-resgate-purificacao.html

Parte II: http://vontade-espiritual.blogspot.com.br/2011/09/aura-de-resgate-funcao-cubo-funcao.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares

Sites