Amhaj

Para que possais trilhar a senda luminosa é preciso responder ao Chamado. Isso significa vencerdes provas, nas quais terão confirmado o vosso elo com a verdade e com a luz. Todos os seres, um dia, penetram essa senda e alcançam a Morada Celestial. Porém, eons se passam até que o ciclo se consume. Não vos intimideis frente ao mal. Não desafieis o inimigo. Não retardeis vosso caminhar pelo clamor do passado. A poeira dos tempos será lavada do vosso ser; novas vestes trajareis, e grande será o júbilo da libertação. Porém, nessa senda pisareis sobre rosas e espinhos, e devereis aprender o mistério do Bem. É tempo de justiça. É tempo de graças. Magnífico poder, o Irmão Maior se aproxima. Silenciai vosso coração e acolhei o grande amor. Tendes a Nossa paz.

Hierarquia

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Samana. Grupos de Serviço: Instrução, Cura, Espelho. Três possíveis cenários à escala mundial. Oração

Em Portugal, bem como noutras zonas do mundo, estão a ser aglutinados e activados 3 tipos diferentes de grupos e cada um deles complementa, desmultiplica, acelera, potencializa os outros dois.

Cada um tem dentro de si um chamado, uma magnetização, um código tractor para o âmago da sua tarefa. A porção da humanidade que tem um grau fogo, um grau de impacto do espírito sobre o planeta está, até 2008 aproximadamente, numa etapa de activação acelerada.

Muitas correntes de força terão de ser redimensionadas e as que não poderem ser recicladas pelas centrais de transmutação planetárias, já entraram na fase de expulsão. Existem rotas, condicionadas electromagneticamente, que fazem a transferência de aglomerados elementais colectivos, muito potentes, ancestrais, arcaicos, e levados para outras regiões do cosmos onde a suprema lei poderá tirar alguma utilidade. Um mal é um bem fora do lugar.

A Terra é uma identidade, ela contém intenção divina, ela está coordenada com outras estrelas e outros planetas nos quais ela é um elemento precioso, é parte de um corpo. A Terra tem irmãos gémeos em estrelas distantes. Existem protocolos de civilizações inter galácticas condicionando informação, bombardeando luz, aumentando o grau de radioactividade curativa entre estes planeta. Justamente porque o corpo galáctico ao qual este planeta pertence está a mudar de vibração, 70% do padrão comportamental de superfície não pode acompanhar o salto e o grande elemental da velha humanidade que não tem integração ao plano, estão a ser removidas numa imensa velocidade. O que está em acto é a economia universal em toda a sua extensão e este reendereçamento de campos de massas, de tendências, já está indo embora.

O apoio ligado à sonolência e à inércia não existe mais, donde que a humanidade como um todo entrou numa etapa de clareamento de vinculação de compromisso com zonas arcaicas da evolução cósmica.

O homem comum está a ter as suas talas removidas o que significa que o comportamento comum não move, não leva, nem traz energia. A vida tridimensional polarizada na mente ou nos sentimentos não mais põe em movimento energia, ela usa essencialmente a energia do próprio veículo do indivíduo, daí que o homem comum esteja a entrar numa etapa de esgotamento psíquico.

O planeta entrou em regimes de estímulo grupal, aquariano e as duas formas de contactar e receber energia são: ir na direcção oposta à evolução planetária e tu começas a criar vínculos com baterias de força cega, que não inclui o coração, e recebes energia. Comportamentos infra planetários recebem força da mesma forma que se os seres se conectarem com regiões da humanidade que vibram acima do mental do emocional e do físico, se encontrarem o seu regime de oração, a sua palavra de poder, a sua linha de menor resistência no sentido ascendente coligam-se com baterias de tracção planetária sublimes.

Antes de encarnarmos todos nós assumimos votos de união com a vontade suprema para a Terra. Antes de nos conectarmos com a evolução terrestre nesta encarnação, houve um hiato entre a última encarnação ou um grupo de encarnações anteriores e a actual. Houve uma chamada a estes 144.000 mais ou menos, e Samana ou Jesus na sua contraparte galáctica, vindo dos conselhos e vibrando uma luz supra planetária, que sabe para onde se dirige esta Terra, Samana está aqui para estabilizar as balizas magnéticas e a coordenação entre a mente, as emoções e o intuitivo que te leva a assumires o teu posto na superação da Terra enquanto um planeta escola prisão.

Samana é um campo que contém a frequência suspensão, realidade inalterância, atribuída à Terra como um vórtice de resgate colectivo. Ele lá, chamou este grupo e disse: “eu tenho este campo que o Pai está trazendo para a Terra , é um campo unitário, os chacras não existem neste campo, há apenas um centro. Gostaria de saber, destes seres que vêm da escola evolutiva terrestre, quais os que querem assumir ancorar na Terra o meu campo”. E este grupo, que assumiu a tarefa, tem uma conecção suprema com esta hierarquia. Samana é responsável pelo envelope de luz dourada que está envolvendo a Terra. Ele é o iniciador da humanidade planetária. Nós não estamos a falar do Mestre Jesus tal como ele é compreendido nos ambientes teosóficos, porque o iniciador é o Cristo, nós estamos a falar de um aspecto do Mestre Jesus bem mais amplo do que aquela mónada a que chamávamos antes Mestre Jesus.

O filme vibratório de Samana em volta da Terra é uma frequência dourada que está onde tu quiseres. A resposta a este grau de força depende do nosso alinhamento, oração, axialização da consciência, é a forma de restabelecer um padrão nos corpos capaz de espelhar uma vibração como esta.

Quando chamamos à percepção que a humanidade lúcida está transitando dos níveis de controle para a matriz Melchisedeque, esta matriz contém os gatilhos que vão disparar a vibração de Samana dentro de ti. Quando nos ligamos a uma hierarquia somos hologramas dessa hierarquia. Nós estamos entre 2003 e 2008 em conecção acelerada com as nossas hierarquias. Todas as hierarquias que servem a ascensão Terra estão dentro da consciência de Samana, exceptuando algumas hierarquias extraterrestres que funcionam como reguladores e como flutuadores de todo o processo e que estão aqui para auxiliar a transição.

Até 2008 os seres estão sendo integrados à sua hierarquia o que significa que eles vão começar a fixar no seu campo vibratório qualidades, organizações de força, níveis de energia que pertencem à hierarquia à qual pertencem. Neste casamento entre o servidor encarnado e a sua hierarquia o ser percebe claramente que não pertence mais a si mesmo, tu percebes claramente que foste expropriado de domínio sobre ti mesmo.

Em Portugal existem grupos em formação, geograficamente dispersos, e que estão em etapa de activação. Esses grupos são: Grupos de instrução, grupos de cura e grupos espelho que reflectem dimensões internas.

Uma característica essencial deste tempo é que nós estamos a ser atraídos para for a da matriz de controle, estás sendo integrado à tua hierarquia e estás começando a entrar em contacto com o teu grupo encarnado e de uma maneira geral, esse grupo tem uma tarefa de instrução, ou de cura, ou tem uma tarefa espelho e pode acontecer que seja um grupo de natureza mais estrutural e então tem as três tarefas simultaneamente.

Quando dizemos que um ser está-se a tornar um pequeno holograma da sua hierarquia, significa que tu começas a assistir à cumutação da vibração em ti e a perceber que a tua evolução está a sair para além daquilo que tu podes fazer ou não fazer – quando o amor e a luz em ti, quando a disponibilidade para o serviço, quando a superação desta relação connosco próprios, toda velha e cansada se dá e tu tens horas, minutos, semanas no novo, significa que estás sendo integrado à tua hierarquia. Tu sabes que é uma hierarquia porque tem uma escala, uma natureza que é mais profunda que um indivíduo pode fazer com as suas próprias forças. Nos próximos anos vai ser banal vocês surpreenderem-se com situações em que, o que emana de vocês está muito para além de vocês. Isto indica que a economia do nosso ser foi integrada a entidades que estão para além do problema terrestre.

Estar com o grupo que nos pertence e que faz parte desse conclave que assumiu perante Jesus e por as operações mais altas que visam resgatar a Terra, é traduzido por uma serenidade que não tem paralelo com nenhuma coisa familiar, humana, emocional, romântica, etc. É uma saturação do corpo astral com uma paz produtiva, criativa, que limpa o ambiente.

Esta integração ao teu grupo está no ar. Há vários grupos em formação independentes entre si. Existem seres que encarnaram contigo para assumir a molécula de mónadas que está no plano interno. Uma mónada emana um tipo de vibração divina, outra mónada emana outro tipo, juntas têm uma relação sinfónica e um grupo de serviço pode ir de três a trezentas mónadas como no caso dos ambientes essénios. Um grupo de serviço é um grupo que tem a sua origem, a sua alimentação, a sua alegria – não há como aproximar-se de Deus e continuar deprimido, o divino é a própria alegria – e à medida que esta formação dos grupos acontece e que os seres que têm ligação profunda se reconhecem uns aos outros e formam essas ligações, há uma alegria, um transbordamento e um aquietamento ligado à felicidade de tu teres encontrado os teus irmãos de caminho.

Esta formação de grupos é o vórtice mais potente em termos de relações humanas, neste momento. Todas as relações humanas que trazem, geram e põem energia em movimento, todas as novas relações humanas são almas ou mónadas reconhecendo tarefas grupais.

Um grupo de instrução tem como tarefa a ampliação da luz que é recebida pela consciência.

Um grupo de cura tem o trabalho de aumentar a luz dos corpos.

Um grupo espelho é um grupo que tem como tarefa ampliar a luz, o fogo, o poder no nível da alma.

Isto significa que os grupos de instrução vão-se coordenar próximo das grandes cidades porque eles são grupos de denúncia do velho, da matriz de controlo e de activação, na consciência, da nova informação e do estímulo, na consciência, da nova “coisa”. São grupos de sabedoria, eles vão aprender a lidar com grandes quantidades de pessoas sem se envolverem em processos políticos, humanos, emocionais e muito menos, não se transformarem em grupos de psicoterapia. Eles visam passar o estímulo na consciência.

Um grupo de cura deverá encontrar um ponto geográfico entre a grande cidade e regiões geográficas desérticas. Ele deverá estimular hábitos novos nas pessoas. Têm que lidar com o 7º Raio – novos ritmos. Novo ritmo é eu aprender, em grupo, um novo quotidiano.

Quando uma consciência está num nível de sintonia, ela satura tudo à sua volta com esse nível – magnetizar o meio ambiente. Um sítio onde um grupo franciscano, durante 250 anos, viveu um processo verdadeiro de aspiração ao supremo, está magnetizado. Cada pedra, cada muro, cada árvore está magnetizado. Onde a consciência está a realidade segue.

Os grupos de instrução têm de aprender a lidar com multidões. Eles trazem a vibração da hierarquia junto da humanidade vacilante. Um grupo de instrução, hoje, trabalha com três energias: vontade que destroi, amor que liberta e constrói, e luz que clarifica.

Enquanto que um grupo de instrução impacto, tem um binário yang, ele trabalha junto às pessoas, um grupo de cura tem características femininas, ele é, antes de mais nada, um seio, um ninho, uma zona de acolhimento. Há em Portugal mais de 10 grupos de cura que terão de encontrar o seu local, o seu método, o seu meio. Terão de enfrentar o problema da energia sexual, económica e energia do poder. Têm que enfrentar e passar estas provas todas e encontrar a sua identidade vibratória, unir-se ao que têm que se unir e assumir-se como um grupo que veicula a energia de cura.

Um ambiente de cura está a meio caminho entre a instrução e os grupos espelho. São ambientes onde é feito uma total reciclagem dos hábitos. Para que um ser possa desconectar-se do campo que a grande cidade impõe, ele deve ser um iniciado de 3ª iniciação.

Tu sabes que está a acontecer cura porque os hábitos estão a ser denunciados e porque a pessoa está a ter oportunidade de entrar em contacto com o grupo cuja consciência não confirma o passado daquela pessoa. Isso é básico. Um grupo de cura é um grupo que houve a lamúria do outro e quando chega ao fim diz: “bom parece que está na altura de irmos plantar túlipas” e o outro …. “mas eu estive aqui uma hora a falar do meu problema do meu passado…” claro, mas o trabalho dum grupo de cura é tornar plástico, elevar, moldar a atenção do “paciente” e conduzir a percepção daquele ser a uma plataforma na qual ele está perante coisas que ele nem acredita que possa fazer. Então vem um alcoólico de último nível e tu dizes: “o seu trabalho nos próximos 15 dias é tratar de 4 cachorrinhos que nasceram ontem” isto produz uma regeneração da rede neural tão profunda que o álcool até se espanta nas veias do alcoólico. O grupo de cura trabalha através do impacto do novo sobre o velho.

O que está doente no teu irmão é uma pequena parte do corpo astral dele que tem o condão de absorver toda a atenção dele. É quando o teu irmão é colocado numa tarefa nova que vai excitar regiões do seu ser que não tiveram ainda oportunidade de ser estimulada e essas regiões são eminentemente saudáveis e se isso está a acontecer dentro de uma frequência na qual o passado nem nenhuma toxina é confirmada… – toxina é uma frequência que eu introduzo em mim que quebra o contacto com o meu arquétipo.

Um grupo de cura amplia a luz nas células, no etérico, no emocional, no mental. O novo trabalho de cura é eu olhar para o meu irmão e ver o que ele é na mente do Pai, o que significa, não confirmar o que ele foi no seu passado. Isto não é psicologia.

Enquanto que um grupo de instrução trabalha na consciência, um núcleo de cura leva os corpos a encontrar o seu caminho.

Grupos espelho que são grupos mais raros, estão em formação gradual e vão funcionar como sustentação vibratória dos grupos de instrução e de cura ao ponto de, quando existe um trabalho de cura, se for possível fazer um trabalho espelho em simultâneo é a condição ideal. Isto é, de tu poderes ter um ambiente onde está sendo feita a facilitação da descida da luz às células e ao sistema nervoso, seja através da água, do som, do sono, da cor, do silêncio, o que for, mas é um trabalho de alinhamento dos veículos com os níveis altos do ser.


Um grupo espelho é este ambiente onde um conjunto de seres reaprende o vazio, a entrega total, o alinhamento puro entre os seres. É um transístor de mónadas aprendendo a receber a vibração de uma hierarquia o tempo todo. E um grupo espelho é composto por seres que estão aprendendo a ser vividos sintonizando a transpiração de hostes, de falanges e de conselhos maiores e estão aprendendo a trazer essa transpiração para a nossa dimensão. A aura de um grupo espelho é fulgurante. A energia de um grupo espelho emana branco diamante, enquanto que um grupo de cura está ligado aos violetas, aos turquesas, aos verde jade, e o um grupo de instrução está ligado aos amarelos, ao azul anil. Um grupo espelho não está ligado a nada, ele faz esta entrega até que a superfície está completamente limpa e o Pai emana a luz dele. Significa que quando a energia que vem das regiões do universo toca a aura de um grupo espelho, acontece o mesmo que um flash totográfico, há uma fulgurância que se dispersa por tudo o que é necessário.

Um grupo espelho liga-se a uma civilização paralela e aprende a oferecer uma superfície a uma civilização que, por sua vez, é um espelho planetário. Introduz uma frequência nova na Terra e isso vai actuar no bolbo raquidiano de todos os seres coligados com o grupo espelho.

A vibração diamante é a vibração que menos existe no planeta e este tipo de ambiente é indicado a encontrar esta vibração e a espelhá-la na nossa dimensão.

Isto é importante porque nos próximos 12 anos nós temos três cenários à escala mundial e em qualquer deles estes três grupos são essenciais. Os cenários são: 1º – os 144.000, que são o fermento, assumem a sua dimensão e acordam dentro do sonho (por uma insistência de confirmar que é um sonho) “eu vim trazer luz”.

Com a aglutinação de grupos de serviço ligados à instrução, há uma reciclagem da família porque a família é uma entidade na qual a maior parte de nós é sugado a 80% da força. A família não funciona porque ela não está a saber vibrar na luz e tudo o que não vibra na luz não vai sobreviver. Esta acção da energia de instrução está a trazer uma nova luz à família, uma correcção das relações familiares para que a família deixe de ser uma embaixada da velha Terra e passe a ser um espaço de descoberta, de penetração na luz.

Este primeiro cenário em que os 144.000 assumem a sua tarefa, funcionam como fermento de forma a produzir uma massa crítica na humanidade, isto é, a partir de X milhões de seres humanos sensíveis à luz – cada dia que passa aumenta no grau das dezenas de milhar – quando essa massa crítica for atingida, quando houver um grupo de X milhões de seres que não agridem, que se põem em questão, que reflectem sobre o estado do planeta e sobre a cultura que os domina, seres que estão aprendendo a universalizar o seu pensamento, o seu estar, o seu sentimento, quando isto atingir um nível de massa crítica, Samana activa a iniciação global da humanidade. Isto é a auto revelação da humanidade.

Após esta iniciação começa a operação de dissolver as paredes que formam as nações, que são veículos ocultos que mantém estabilizada, em piscinas próprias, a frequência de cada nação e os Irmãos, a partir de um certo ponto eles activam um campo de consciência acima das nações. Um campo extremamente magnético – a humanidade UM, a Terra Um. Uma Terra, uma nação.

Se o nosso trabalho for bem feito, a humanidade atinge a massa crítica que passa o portal da 1ª iniciação. Isto permite a dissolução dos veículo colectivos das nações. Isto é uma operação extremamente delicada porque o anti cristo também precisa de fazer uma globalização.

A globalização é um cenário que tanto facilita a descida do Cristo como do anti Cristo. Tanto uma força como outra não podem actuar facilmente através de uma humanidade que tem os seus campos extremamente fragmentados em termos regionais. A obsessão da humanidade pelo anti Cristo exige a fusão dos campos das nações e a globalização é um processo sócio económico, tecnocrata, de facilitar o caminho ao anti Cristo ou ao Cristo, agora vamos ver como é que a humanidade usa a globalização.

Assim que eles começarem a desligar os veículos colectivas passa-se à segunda fase do primeiro cenário que é a exteriorização da hierarquia, que consiste na fundação em vários países do mundo, de Ashrams onde está um mestre encarnado. Isto é a exteriorização da hierarquia, o retorno das escolas de mistério tal como existiram em Machupichu, em Delfos, em Lassa, em Luxor, etc..

Este 1º cenário é o cenário ideal que permite a passagem da humanidade, das sombras para a luz, com o mínimo de destruição, de desagregação, de confusão, de dor.

Nós estamos a ser responsabilizados pela nossa luz que é o fermento da nova Terra.

Caso estes 144.000 assumam a sua função e os grupos espelho, de cura e de instrução sejam activados, as ilhas de luz sejam formadas, e contudo, a resposta da humanidade como um todo não seja suficiente, significa que o planeta não conseguiu atingir o grau luz que permite a exteriorização da hierarquia.

Uma hierarquia não se exterioriza para ser crucificada outra vez, isso foi há dois mil anos. Nunca mais um mestre vem a este planeta para ser crucificado. Sempre que a energia crística encarnava na terra ela era crucificada – Sócrates, Buda (de um certo modo), Cristo. Sempre que o 2º Raio se manifestou foi crucificado, agora quem é crucificado somos nós.

Os Mestres se se manifestarem nesta dimensão será para a instrução sublime do homem isto significa que a vibração colectiva tem de subir ao ponto de merecer a encarnação dos mestres.

O que hoje a hierarquia está preparando é a subida da humanidade a um grau de luz e para isso estão os 144.000, eles são o avatar grupal, que permite a vinda dos Mestres. Se isso não acontecer, Eles vão fazer uma evacuação mundial.

Se a humanidade não se auto inicia, as forças que compõem o jogo neste planeta, as forças em conflito têm um limite. Hoje não podemos ter uma civilização em crise durante 300 anos. Antigamente podíamos ter curvas civilizacionais extremamente lentas. Hoje existem coisas que cabem numa mala e destroem um país! Para que a crise planetária se resolva nesta equação, tem de entrar a iniciação da humanidade, porque se assim não for, as forças que compõem o estado planetário colapsam, significa que a desactivação da humanidade é abrupta porque os ódios acumulados não tiveram como ser transmutados.

A crise planetária resolve-se de duas formas: iniciação colectiva da humanidade a partir do poder dos 144.000, dos Mestres e do interior de cada ser humano, no fundo isso é que está em jogo, não são só os 144.000, ou a crise planetária resolve-se porque há uma intervenção.

A humanidade neste momento tem um portal aberto para definir, carmicamente, imensas coisas. Nunca esteve tão evidente a opção e no primeiro cenário seria a luz e tu tens a iniciação colectiva. No segundo cenário a fragmentação actual da placa civilizacional atinge um grau radical, há um endurecimento das paredes nacionais, há uma aceleração dos egos dos países (tudo, o contrário do outro cenário), os países fecham-se nos seus plexos solares colectivos, há um crudescimento das entidades nacionais contra alguma coisa, e não a favor do uno, e nós temos um cenário de desequilíbrio mundial. Ou seja, um carrinho de mão cheio de notas de 10 mil escudos não compra um quilo de cenouras. Neste cenário, nem a mãe Terra nem os iniciados que estão cá podem transmutar o ambiente, então temos um processo acelerado de entropia. Neste processo de entropia há uma operação de evaquação planetária montada. Os comandos Ashtar, de Andrómeda, de Orion, entre outros, sob a direcção da hierarquia da Terra, põe em acção a evacuação planetária, significa que grupos inteiros são transladados do nosso contínuo e são levados para estações orbitais, para naves que estão em orbita, para cidades flutuantes, enquanto os Irmãos reestruturam totalmente a superfície da Terra. A evacuação só será posta em movimento “in extremis” quando já não houver rigorosamente mais nada a fazer.

E é o que se lê no Apocalipse: “quando as forças da luz vierem buscar-vos, dois trabalham no campo, um será tomado e o outro não”. Isto está num nível de urgência e de impacto muito para além da compaixão. Compaixão é agora, é agora que eu trabalho o amor com os meus irmãos porque se o ponto de crise planetária atinge um grau, não há rigorosamente nada a fazer, Eles têm que resgatar a humanidade toda, não são só os da luz! Só que são endereçados para regiões de vida que lhes correspondem. 10% da humanidade (500 milhões) fazem parte da humanidade semente da nova Terra e este núcleo é velado, sim, e aí passa por uma reestruturação completa dos seus corpos enquanto os Irmãos, com a hierarquia, transformam totalmente a Terra. São pelo menos 7 anos fora da Terra em purificação profunda. Os resgatáveis lá e a Terra aqui.

Porque é que é possível falar em situações estremas? Porque a mecânica política mundial chegou também a uma situação estrema e a alienação da humanidade chegou a um nível extremo.

O nosso trabalho é confirmar o primeiro cenário, ou seja, nós estamos trabalhando para nos unirmos ao programa de iniciação colectiva da humanidade, nós não estamos trabalhando para a evacuação planetária. A evacuação está pronta como recurso extremo, caso as forças deste planeta não consigam encontrar a harmonia, então há uma intervenção.

A 3ª possibilidade é intermédia entre a 1ª e a 2ª. Na 1ª a iniciação da humanidade produz uma explosão de luz e com isso o planeta passa para a 4ª dimensão sem ser necessário uma evacuação planetária.

Este 3º cenário não implica a exteriorização da hierarquia nem a iniciação colectiva da humanidade mas também evita a destruição no sentido de guerras generalizadas, terremotos generalizados, ou destruição generalizada. Este 3º cenário visa um ponto crítico que não é o ponto da iniciação e a partir daí há autorização cósmica para haver aterragens maciças. Uma aterragem maciça é uma operação em que o irmão mais velho vem ter com o irmão mais novo e diz: “larga o fogo porque te vais queimar”, não puxa o irmão à força nem deixa ele arder, é um ponto intermédio. As aterragens maciças serão sempre feitas em países que não têm importância política como: a Bolívia, a Serra Leoa, o Butão, países que ninguém liga nenhuma. Uma aterragem maciça produz uma ruptura, um impacto no consciente colectivo é algo semelhante a uma iniciação planetária. Há uma paralisação de uma série de jogos de força, mas a humanidade tem de contribuir para interagir correctamente com os Irmãos do espaço. É uma operação delicada porque eles têm de medir o estado luminoso latente do inconsciente colectivo. Não pode ser uma descida e pronto, porque seria uma catarse colectiva e evoca forças não resolvidas no inconsciente colectivo. Isto produz impacto sobre o sistema das religiões mundiais, sobre o pensamento científico, económico, político.

Eles têm feito experiências (como há tempos na Rússia em que aterraram na Sibéria) em que experimentam a reacção de uma unidade militar ou fabril ou de uma pequena aldeia, e em função da resposta amorosa ou medrosa da humanidade, Eles vão regulando a possibilidade deste 3º cenário.

Nós estamo-nos preparando para trazer esta nova informação relacionada com a iniciação colectiva, com uma evacuação coordenada ou com as aterragens maciças e estamos aprendendo a nos relacionar com isto em serenidade, como uma coisa normal. É normal quando uma humanidade entra em crise e essa crise contém potencial de auto destruição, humanidades que já passaram pela nossa crise, irmãos mais velhos virem ao nosso encontro – como numa família o irmão mais velho cuida do mais novo.

Enquanto o meu problema é se o meu cabelo está bem frisado ou tem a cor ideal, eu estou na zona velha do cérebro, quando eu universalizo o meu pensamento, estás a estimular regiões nobres do córtex. E quando eu começo a ter como natural que de um dia para o outro podem descer naves neste planeta para mudar o curso da civilização… e o que sai da nave é um equivalente a S. Francisco de Assis, de uma civilização de 4ª ou de 5ª dimensão, não sai abaixo disto.

Eles vibram em graus de harmonia em que há uma doçura constante da planta para o ser humano, do ser humano para o seu irmão, do irmão para as estrelas, das estrelas para a água…, há uma constante fluência de amor e sabedoria. Por isso é que o cenário principal é o da iniciação da humanidade.

A intervenção extraterrestre é o último recurso, caso, como já aconteceu em alguns outros planetas, o grau de ódio e de destruição e de incomunicação passar dum certo limite.

Então, nós vamos ficar com esta visão de uma iniciação do homem que é feita a partir do teu coração e do teu alinhamento quotidiano constante. Vamos ficar nesta vibração, neste reconhecimento de que, ao assumir o nosso processo, eu estou contribuindo para dilatar a porta através da qual a humanidade é iniciada.

Existem muitas definições de ti próprio: para o Freud isto é tudo uma sublimação; para o Yung teria outra definição; para o Ghandi já seria outra. A que está aqui a ser proposta é a de um operador vindo dos planos superiores que está a aprender a fixar uma luz superior na Terra, e à medida que faz isso, abre a porta para a iniciação da humanidade.

Por André Louro de Almeida          26/09/2001



Oração

Abertura ao Infinito 

Senhor 
Super consciência cósmica 
Consciência infinita 
Nosso criador 
Nós nos abrimos à Vossa luz. 
Á Vossa Paz e à lucidez que emana de Vós. 

Senhor 
Super consciência cósmica 
Que um infinitésimo de Vossa luz, 
Da Vossa Paz 
Do Vosso amor, 
Possa penetrar as nossas pequenas 
Consciências, 
Estabilizar o nosso campo 
e transformar os nossos dias. 

Ensinai-nos a ser simples, exactos. 
Ensinai-nos a unir-nos cada dia que passa 
de uma forma mais profunda 
com a Tua realidade. 
Abri o nosso coração ao Teu amor 
e ensinai-nos a cada dia que passa 
a ver melhor com os teus olhos. 

Ensinai-nos a percorrer um passo de cada vez 
e ajudai-nos a ver os obstáculos 
que realmente nos impedem de avançar. 
Senhor 
Super consciência cósmica 
Nós vos pedimos que um infinitésimo 
da Vossa luz 
possa penetrar as nossas pequenas 
consciências 
e que uma fagulha do Vosso amor 
venha habitar-nos e não mais se retire. 

Ensinai-nos a coragem, a ousadia, 
a serenidade, o bom senso, o equilíbrio 
e a paixão por tudo o que não foi feito em nós, 
latente no nosso potencial profundo. 

A Vós, sem defesas, sem disfarces, 
nós nos entregamos 
Ensinai-nos a assumir esta nudez, 
Ensinai-nos a ser transparentes 
ao Teu olhar 
e a ter coragem de ver ponto 
que não queremos ver. 

Daí-nos a força e a sabedoria de ver o ponto 
que nos impede de avançar. 
Simplificai a nossa vida 
Simplificai a nossa mente 
Simplificai as nossas emoções 
E ajudai-nos a encontrar o ponto 
de perfeito equilíbrio do qual podemos ser 
Teu instrumento. 

Senhora 
Mãe divina 
Que a Vossa luz possa descer 
a estas células e transformá-las 
Que a Vossa luz possa descer 
a este pensamento e libertá-lo 
Que a Vossa luz possa descer 
nesta tristeza, neste desencontro, 
nos nossos sentimentos 

...e revelar-me o mistério do amor 
que não tem nome nem objecto. 

Ensinai-nos a nos entregar a Ti 
a cada dia de uma forma mais perfeita, 
mais exacta, 
mais profunda 

Senhor, Superconsciência Cósmica. 
Lembra-me de Ti, no meu coração. 

Senhor, Superconsciência Cósmica. 
Lembra-me de Ti, no meu coração. 

Senhor, Superconsciência Cósmica. 
Lembra-me de Ti, no meu coração. 

Senhor, Superconsciência Cósmica. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares

Sites