Amhaj

Para que possais trilhar a senda luminosa é preciso responder ao Chamado. Isso significa vencerdes provas, nas quais terão confirmado o vosso elo com a verdade e com a luz. Todos os seres, um dia, penetram essa senda e alcançam a Morada Celestial. Porém, eons se passam até que o ciclo se consume. Não vos intimideis frente ao mal. Não desafieis o inimigo. Não retardeis vosso caminhar pelo clamor do passado. A poeira dos tempos será lavada do vosso ser; novas vestes trajareis, e grande será o júbilo da libertação. Porém, nessa senda pisareis sobre rosas e espinhos, e devereis aprender o mistério do Bem. É tempo de justiça. É tempo de graças. Magnífico poder, o Irmão Maior se aproxima. Silenciai vosso coração e acolhei o grande amor. Tendes a Nossa paz.

Hierarquia

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Despertar Sincronizado

O contingente de seres disseminados por todo o planeta que é sensível, não apenas à acção da mente superior, mas principalmente, sensível à acção do fogo descendente, está tendo a sua informação de nível orbital, suprasistémica e estelar activada e disparada no circuito da consciência, escapa ao controle da matéria cerebral ainda adormecida.

Este contingente opera como um cavalo de Tróia de regiões do Universo que contêm já os códigos de luz capazes de resolver, equilibrar, harmonizar e sintetizar a actual equação planetária. Vocês são como ampolas que contêm um fogo que foi acumulado e selado em função de um despertar sincronizado, que pela sua própria definição acontece à escala global.

Os segmentos de alinhamento de conexão com as fontes e aumento de sensibilidade à voz interna que deviam ser vividos e geridos individualmente, terminaram. Estes seres estão a entrar em fase uns com os outros e sendo colocados nas suas coordenadas de serviço directo em muito pouco tempo. Dentro em breve, o mesmo magnetismo e tracção interna que tem cuidado do nosso alinhamento, resposta, amor, sentido de oportunidade e tacto, em termos ocultos, estará muito em breve colocando todo este contingente mundial nas suas coordenadas de serviço directo.

Esta activação global acontece sincronizada com o despertar de regiões no planeta que contêm potencial de distorção espaço temporal. Isto é, nós não apenas despertamos para factos sociais ou contextos de trabalho com os outros, mas também para pontos geográficos extremamente definidos. Não significa deslocação física a esses pontos, numa primeira fase. Este contingente à medida que tem o fogo liberto do seu sistema nervoso e dos centros capazes de fixar e deflagrar esse fogo para o meio ambiente, vão começar a ser ligados a zonas geográficas onde a transformação das leis planetárias acontece a um ritmo acelerado.

A maior parte dos seres com um potencial de serviço directo tem tido, nos últimos 20 anos, mais ou menos, a sua voltagem profundamente reduzida.

Este núcleo que é capaz de transportar e manter acesa uma vela ao vento, que consegue responder à acção do fogo interno e de o manter vivo na consciência, ele não poderia ter todo o seu potencial activado mais cedo.

Existe uma relação de progressão mútua entre a capacidade destes servidores de ancorarem a luz que vem dos níveis internos da Terra, bem como da luz que vem das constelações que neste momento bombardeiam a humanidade e a capacidade de fixação do fogo deste núcleo.

Estes servidores actuam como âncora de fogo cósmico na Terra. Este tipo de trabalho tem regimes, gradações, tipos de educação e modos de ser diferentes para situações distintas mas, principalmente, o que caracteriza o despertar sincronizado é o grau em que a humanidade, como um todo, está a aprender a dizer não à dor que ela própria cria.

Se o vosso potencial fosse activado integralmente, acontecia uma desfasagem em relação àqueles para os quais tu estás a ser preparado como um umbral, para uma série de vacilantes, de erráticos, de seres que vêem e não assumem.

O contingente de alguns milhares, à escala mundial, que terá o eixo céu/Terra activado mais cedo precisa aprender a ficar quieto, a esvaziar o mental superior de todas as certezas conceptuais exotéricas, porque a “coisa” está totalmente pronta nos planos internos. Para este contingente que se auto mobilizou para o despertar sincronizado, 10, 12, 15 anos antes que a humanidade possa daR o salto, está tudo preparado.

É necessário que eu redescubra a ciência do contentamento e da simplicidade, porque só uma estrutura dignificada, enobrecida por uma auto reverência profunda à força que brilha no centro, neste momento, para o núcleo que vai despertar sincronizadamente, tudo se resume a um centro de sinceridade cristalina e a uma nuvem de harmonia em torno. E isto é uma descrição possível do campo de estabilização ao qual o servidor contemporâneo necessita de chegar.

À medida que este ser se geometriza, se estabiliza, pode ter o eixo céu/Terra activado dentro dele de forma que possa funcionar como um centro de disparo de energia edémica para o meio ambiente.

Energia Eden cujo único núcleo próximo é Orion, abaixo de Orion esta energia é desconhecida porque é nesta região que o pêndulo pára, é esse o novo ponto de equilíbrio deste planeta, o novo índice na relação entre fogo descendente e substância plástica inteligente respondendo.

Estes servidores necessitam redescobrir o que é ser espelho, isto é, colocar-se num estado de aquiescência, inocência, receptividade, de auto superação e auto reverência específica que faz com que ele se transforme num diafragma entre a 4ª, a 5ª e a nossa 3ª dimensão.

Esta potência ígnea descendente capaz de reorganizar até mesmo a vida glandular, hormonal, a química sanguínea, já está em órbita e envolve, numa 1ª fase, estes seres que, como característica, sabiam muito bem por volta dos 20, 25 anos que estavam neste planeta para funcionar como tradutores vibratórios entre duas realidades.

O que é o equilíbrio de uma humanidade? Nós estamos passando por um novo ponto de equilíbrio tanto assim que o eu superior da humanidade já transitou para o 5º nível. Antigamente estava no nível intuitivo, guiando a personalidade na experiência humana, desde os anos 80 o nosso eu superior transladou-se para o plano espiritual. As nossas almas não estão mais interessadas em processos humanos. Do ponto de vista da necessidade da evolução da alma esta personalidade, digna, legítima, tem de aprender a ficar quieta, a consumir o mínimo de energia para estar em equilíbrio.

Actualmente as nossas almas em conjunto fizeram translado para o 5º plano e estão começando a enviar ramagens de devoção que estão a começar a entrelaçar-se com a força/luz descendente vinda da mónada. Esta tecitura é um veículo que está adormecido na maior parte dos seres humanos e que entrou em fase de construção de há 15 anos para cá no núcleo que está em todo o planeta e que vai à frente.

Quando eu me torno económico, a minha alma dispõe de mais energia, ou seja, a energia que era gasta para gerir o meu processo humano, quando me torno um ser correcto, educado, estável, a minha alma passa a ter um percentual de energia muito maior para começar a dedicar-se à verdadeira união. Ela começa a enviar uma dor, uma saudade que só a alma conhece. Ela que era eminentemente activa (yang) sobre a minha estrutura evolutiva, pode finalmente, ao fim de N vidas, tornar-se passiva, pode ampliar a polaridade feminina de forma a receber o fogo que vem do espírito puro com o qual pode começar a reconstruir, com a ajuda da Mãe divina, todo o metabolismo do corpo físico, emocional e mental.

Significa que para este servidor a etapa de busca, de melitância, terminou. O éter que forma os portais da tua próxima condição só é rompido através de uma consciência, de uma disciplina estrita. Num trabalho mais avançado não há como passar fórmulas a ninguém. Trata-se deste ser saber, sem nenhuma dúvida, que está aqui ao serviço de Samana para fazer descer uma nova biologia, uma nova psicologia, uma nova sociologia, em suma, um novo facto planetário e trata-se deste ser renascer para o novo ciclo ao qual está a ser chamado.

Trata-se de reconstruir um eixo de fogo que foi rompido com a ajuda de laboratórios cósmicos.

Os florais de Bach são essências para a harmonia dos corpos mas as naves laboratório que estão em órbita e que funcionam em frequências de luz que os telescópios e o nosso nervo óptico não apanha, um indivíduo não tem que fazer nada, só tem que atingir um ponto ígneo na consciência, no qual a afirmação daquilo que ele sabe que ele é, é mais poderosa do que a influência do meio ambiente. Este é o ponto. A partir daqui entras em contacto com as naves. No momento em que este fogo é mais potente do que as imagens sociais, culturais, familiares, começa a nave laboratório, e quem decide és tu.

Naves laboratório é onde eles reactivam o novo ADN, começa quando a afirmação do espírito irrompe e consome estes éteres velhos, rançosos, medrosos, mesquinhos, podres, alienados, que formam a vida normal.

Tu és o pássaro, a gaiola e o libertador.

E este contingente optou por ter os olhos abertos e por manter lucidez enquanto a civilização toda se decide.

O ponto deste servidor é transformar o óptimo em sublime, e o sublime é anti dia a dia, anti mediocridade, anti banalização, anti superficialidade… ele só é sublime porque está noutra frequência e esta descida é o trabalho deste ser e como nós não sabemos nada do sublime, o melhor é ficar quieto e começar a perceber que o próximo passo é de aquiescência, de plasticidade profunda às mãos misteriosas da Mãe divina.

A activação sincronizada significa que eles estão a criar circuitos transistorizados de mónadas que permitem a ancoragem de entidades. Nenhum dos Mestres assensos lida directamente com um indivíduo, ou ele teria de ir completamente reprimido para não queimar o discípulo porque os desfazamentos de voltagem são muito grandes

Essas entidades lidam com circuitos transistorizados de mónadas ligadas entre si por fios de pura glória.

O que é um arco de glória? Em nível de alma existe a irmandade – eu sou teu irmão, eu procuro entender-te, há um trabalho meticuloso, humilde, gradual de entendimento entre as pessoas, há uma tecitura da verdadeira irmandade.

No nível da mónada não há irmandade, não há 80 pessoas nesta sala, há UM. O um é o ponto em que tu lanças os tais fios de glória, e é porque as mónadas estão a começar a traçar organizações estáveis de energia entre elas e é na proporção em que as mónadas estão a começar a conseguir pôr o “escafandro” humano lá no sítio dele, que se vão criando divinoportos nos quais as entidades que regem a transformação planetária podem começar a acoplar.

À medida que nos vamos libertando desta ilusão tridimensional vamos começar a perceber que, além de terem sido activados em sintonia connosco, deverão estar ali fazendo relação geométrica contigo – triângulo, hexágono, … É na proporção que eu vou aprendendo a responder a esse vórtice central que eu me integro a um signo desenhado na eternidade e que funciona como terminal de contacto com uma entidade cósmica.

O que é que isto tem a ver com o meu dia a dia? Tu estás num planeta que o processo de reequilibro não vai acontecer por vias normais. Os professores em Moçambique 80% são HIV positivo, num minuto são contaminados centenas de indivíduos. O descompasso entre a função profunda que esta humanidade devia ter assumido e o seu comportamento nas cinturas exteriores da consciência da própria humanidade é enorme, daí a dor. O que anula esta fricção e volta a restabilizar o comportamento de superfície, com o núcleo, és tu. Este ser não encontrará equilíbrio fora da sua tarefa espiritual porque é no serviço que os centros se harmonizam.

Há um convite para subir à plataforma de contacto, para te guindares e deixares-te traccionar pela frequência superior até que ela te pouse suavemente nessa plataforma e neste contexto há uma chave muito importante, todos têm um pequeno universo de problemas pessoais. Faz o teu melhor e desliga-te completamente, em termos emocionais, do problema. Tu andas a querer fazer mais do que o teu melhor, ou menos do que o teu melhor e o que a lei diz é: “tu fazes o teu melhor”.

Estes problemas que ainda estão aí são uma questão de artesanato: é para ir batendo na sola, fazer tintura para pintar o tecido, assim, na paz. Faz o teu melhor e conquista uma calote de consciência na qual tu até te vês a ti próprio minúsculo, lá em baixo a cozer o sapato e quem diz cozer o sapato diz cozer uma relação, que é o mais normal nesta etapa do processo planetário.

Este ser que sabe claramente que é um enviado – ele não é superior nem inferior ele só é específico (é preciso muito cuidado por causa da picada do insecto do orgulho) é só diferente, ele trás qualidades de disparo luminoso que não são da escola terrestre, mesmo que ele seja um ser da evolução terrestre, estes seres a partir dos anos 30/40 começaram a encarnar, eles pediram para ser despertos, foi-lhes instalado dentro deles a tal ampola com fogo maior e a capacidade de ele fixar, na pineal, disparos de símbolos cósmicos que activam a memória divina na própria matéria.

Este trabalho com a pineal é um trabalho básico com estes seres porque assim como têm que lidar com luz, têm que aprender (e não se sabe como, não há escola, tens que aprender!) a manter a energia em torno da pineal e do coração – estes são os dois pontos incorruptíveis da estrutura humana. É aqui que se joga tudo. É no templo, no centro do teu cérebro e no sorriso da Geoconda por detrás do centro psíquico, no coração, é nesse olhar esfíngico e nesse coração profundo, é aí que se joga tudo, as forças involutivas não sabem nada desses dois centros. É na região sagrada, estelar, que não encarna. Eu preciso perceber que sou um ser encarnado e contudo, tenho dois núcleos que não estão encarnados, que estão no espaço.

A tua memória cósmica, pré natal, é intacta na região da pineal e por detrás do coração superficial – que na verdade é uma mistura de plexo solar e coração – esse coração vela o verdadeiro dínamo de radioactividade benigna capaz de transformar o planeta por completo.

A alavanca de transição planetária está no teu peito é o ponto de aplicação que as hierarquias cósmicas vão usar para destravar a Terra da 3ª dimensão, reorganizar as forças e refixá-las numa nova dimensão. O fulcro é o teu coração – coração radiante. Uma central radioactiva benigna capaz de falar às multidões, emantar as colinas em torno de ti com uma electricidade benigna, serena, lúcida, nova, desconhecida.

A auto reverência é justamente a vibração que te alinha com o coração radiante, com a fusão do Asham de Morya com Koot Hoomi para usar termos antigos, da fusão do 1º com o 2º Raio, da vontade com o amor. Esta fusão produz uma radiação desconhecida na Terra que se está aninhando no psíquico profundo. É no coração que Eles estão a colocar a artilharia pesada, as equações que reformulam o comportamento do tempo, do espaço, do hidrogénio arrefecido, da gravitação, é neste dínamo que a coisa está a ser instalada e as forças involutivas não sabem nada disto. Vocês estão a ser saturados com um tipo de amor que não tem a ver com o psiquismo evolutivo terrestre.

O amor, que é uma conquista do homem de boa vontade, é como um pássaro que ascende e tem o seu caminho, mas o despertar do coração radiante tem a ver com funções de colapso de tipos de tempo, de orbitação, …, é outra equação planetária e vem de regiões supra planetárias, é um amor extraterrestre. Dentro deste ser está a ser instalada uma embaixada de Sírius, uma vibração que é aguardada pela Terra desde o início do processo histórico e este ser precisa de abrir-se para a consciência do contentamento.

Enquanto eu reaprendo a minha nova identidade e eu faço transitar a minha definição cultural, dialéctica, com o meio ambiente desse nível para o nível do contacto profundo, eu readquiro uma relação comigo que não é da Terra e a auto reverência pode nascer espontânea como resultado de uma semeadura inteligente.

Eles precisam de começar a transformar a tua química sanguínea, de um líquido baseado em cristais de sódio para sílica. Vamos passar de cristais cúbicos para cristais piramidais no sangue. Significa que os protocolos de fixação da luz divina, no sangue, vão-se alterar.

Sal = a oxidação = a morte, mar salgado que é preciso atravessar.

Oração permanente não é ficar em ladainha permanente, é antes viver em gratidão, viver na presença. Sê livre, liberta-te, vive na presença e sê perfeito, e se há um acto, uma frequência, uma organização de forças que afasta a presença de ti, é porque se calhar já não é por ali. Se eu criar para mim uma cultura da presença, eu deixo de ser um ser confuso porque é a presença que contém um magnetismo capaz de regeometrizar todas as forças em ti.

Este buscador está a tentar criar asas através de delegações de poder. As asas crescem justamente porque eu aprendi a recuperar o meu poder.

Sempre que nós temos medo do nosso poder, alguma coisa se apropria dele. O que tu tens medo, realmente, é do teu núcleo divino porque tu sabes que se isto se dinamizar, o teu ego fica aterrado com isso e isto é uma coisa do velho ser. Ou tu és um umbral e tornas-te um ser espelho e espelhas a nova dimensão para os teus irmãos e eles atravessam-te e se tu fores um umbral correcto deixam-te para trás, e eles usam-te como um diapasão vibratório, e assim que estão afinados seguem o seu caminho, mas, ou tu és a porta, ou és mais uma pessoa no processo errático.

Por André Louro de Almeida    20/07/2001

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares

Sites