Amhaj

Para que possais trilhar a senda luminosa é preciso responder ao Chamado. Isso significa vencerdes provas, nas quais terão confirmado o vosso elo com a verdade e com a luz. Todos os seres, um dia, penetram essa senda e alcançam a Morada Celestial. Porém, eons se passam até que o ciclo se consume. Não vos intimideis frente ao mal. Não desafieis o inimigo. Não retardeis vosso caminhar pelo clamor do passado. A poeira dos tempos será lavada do vosso ser; novas vestes trajareis, e grande será o júbilo da libertação. Porém, nessa senda pisareis sobre rosas e espinhos, e devereis aprender o mistério do Bem. É tempo de justiça. É tempo de graças. Magnífico poder, o Irmão Maior se aproxima. Silenciai vosso coração e acolhei o grande amor. Tendes a Nossa paz.

Hierarquia

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Perguntas: Natureza do Conhecimento. Ilha do Pico de Açores. Medo. Forças Involutivas. Extraterrestres de Luz e de Sombra. Nova Ordem Mundial

P: Esta pergunta aparentemente, apenas de nível filosófico, permite-nos ir para além deste nível e entrar no nível espiritual. A questão é sobre a natureza do conhecimento, se deve prevalecer o conhecimento espiritual ou o científico? 


R: Não existe na realidade conhecimento. Conhecimento é percurso, implica: sujeito; o estado cognitivo do sujeito e o objecto de conhecimento. Na realidade última não existe conhecimento, existe gnose.


Conhecimento é o que acontece no nível alto e hiper alto da mente, quando ela se encontra em processo de ascensão. Gnose é o resultado, na consciência, da fusão entre o sujeito e o objecto. 

Na verdade, na gnose dá-se uma inversão, o filósofo deixa de se ver a si como sujeito e a realidade como objecto de estudo e passa a perceber-se a ele como objecto e a realidade como sujeito, e nesta inversão, está também a inversão do conhecimento para gnose. Existe uma relação muito estreita entre a multiplicidade de disciplinas e a forma como utilizamos o nosso cérebro e a nossa mente. 

Enquanto as áreas ocultas do nosso cérebro não despertarem, vamos ter teoria poética, estética, desporto, ciência, ocultismo, mas estas várias disciplinas são sempre, na realidade, a mesma. O objecto do conhecimento da filosofia, é um, o da ciência, é outro, da poética, é outro, do desporto, da economia, da política, da espiritualidade, todas estas disciplinas têm objectos de conhecimento diferentes e têm métodos diferentes. 

Quando se pergunta o que é que poderá prevalecer, se o conhecimento espiritual ou se o conhecimento científico, a resposta clássica é que os objectos e os métodos em espiritualidade e em ciência, são completamente diferentes. 

A partir do momento em que os cientistas se aperceberem que para além do microscópio atómico, é muito difícil produzir conhecimento, porque os aparelhos que eles utilizam para estudar os átomos já estão no nível dos próprios átomos, e um instrumento de análise que está ao mesmo nível do objecto a analisar não produz conhecimento, dá-se o colapso. O instrumento para produzir conhecimento foi superado pela própria profundidade com que opera. A partir de um certo momento, não é mais possível utilizar microscópios, porque simplesmente, a coisa já está para além da luz, para além da constituição íntima da matéria. E, assim, deliciosamente, as ciências físicas desembocaram na matemática e qualquer avanço nas ciências físicas, implica um estranhíssimo avanço na matemática. 

1, 2 , 3, 4, os números são poderosas intuições da humanidade, não são observações antigas, nenhum filósofo grego tropeçou num 4, nem o número 5 apareceu para falar em Atenas. Quase todas as operações matemáticas são intuições. Esta divisão entre ciência, espiritualidade, estética, desporto, comportamento e penetração na realidade, só se vão manter isoladas durante mais um pouco, vira a página, e começa a síntese gnóstica. Então, a ciência irá perceber que a sua contraparte é a metafísica, assim como muita expressão esotérica e mística irá começar a enfrentar um filtro de precisão ao nível da linguagem que antes não era necessário. 

A Santa Teresa d'Avila podia dizer o que lhe passasse pela cabeça que toda a gente não entendia nada, mas também não era para entender, era para ela e mais cinco ou seis freiras, agora isso acabou, a linguagem dos pesquisadores internos, dos ontonautas, deverá ser cada vez mais clara, precisa, exacta, o período nubloso fica para trás, emergem os códigos de conhecimento interno de uma forma cada vez mais exacta, porém, não reducionista da imensidão da experiência anterior. 

À medida que se vai dando a fusão dos dois hemisférios cerebrais do homem, a verdadeira mente pode começar a revelar-se no cérebro físico, porque nós só temos dois hemisférios no plano físico e etérico, a partir de um certo sub plano do plano astral, à medida que entramos na mente imaterial propriamente dita, não há dois hemisférios cerebrais, há um decodificador da realidade, um espelho que capta o real e conduz para uma base de dados. 

Esta mente humana que transita livremente das ciências exactas para as ciências poéticas, para as ciências metafísicas, tudo isto produz conhecimento. O objecto de conhecimento de um poeta é perfeitamente atingível através do acto poético, o de um cientista, com limites, é atingível através de um método científico após experimentação e conclusão, o de um metafísico também é atingível, em certo grau, através de um método espiritual. A diferença está em que no método científico, o cientista não precisa de se trabalhar a si próprio nem aos seus corpos. No método espiritual, cada milímetro é conquistado em cada milímetro do teu ser, eu tenho que ir pondo em causa, sistematicamente, tudo o que em mim permanece estático e é através da capacidade de me tornar plástico à minha verdade interior, que eu posso manter a esperança de ampliar o meu conhecimento espiritual, que é um conhecimento de alto risco, porque implica que tu saltes para o microscópio juntamente com a tua curiosidade científica. 

Todas as teorias de conhecimento (desporto, religião, poesia, arte, ciências) são formas fragmentárias de chegar à realidade que está à nossa frente e que é humana. Uma abordagem científica dá-nos uma face do polígono, a poética dá-nos outra face do polígono, a metafísica dá-nos outra. A única abordagem que transforma o polígono (nesta altura do processo epistemológico do conhecimento humano, já deve ir com 450 faces), o único conhecimento capaz de em nós reconstituir a esfera original, é a gnose. Ela é uma experiência de união profunda e íntima com a realidade. Quase podíamos dizer que a gnose começa pelo fim, nós não procuramos a gnose, ela acontece. 

Um flash anula as faces do polígono e reconstitui a esfera do conhecimento, une todas as fragmentações de método e alcance. 


P: E a pergunta continua: "Deverão os políticos, por exemplo, ser essencialmente os detentores do conhecimento espiritual? É possível um acto político integral e correcto sem que o ser tenha conhecimento espiritual profundo? 



R: É óbvio que não. O novo homem em preparação é simultaneamente, astronauta, pedagogo, político, ocultista, e ele é o princípio do fim da divisão das disciplinas.

A maior parte dos seres acha que é possível uma teoria económica sem a consciência do Divino, o que dá estes modelos de capitalismo e de economia centralizada. Os seres acham que é possível criar conhecimento final e que tenha acção de longa duração, que realmente introduza soluções, sem cabeça, isto é, um corpo sem cabeça e todo o conhecimento é gerado sem incluir a pedra angular (o Divino), elas estão destinadas a juntar-se ao grande armazém de erros da humanidade. 

Ex. O autor de um livro estudado nas universidades dava como paradigma básico da economia, "o lucro", e escrevia: "toda a actividade económica deve criar riqueza exponencial, indefinida, para aquele que a pratica". 

Ora isto é uma teoria económica que não tem nada a ver com o Universo, nem com a realidade porque o lucro é uma convexão de energia num único ponto. A energia monetária devia circular abundantemente e oxigenadamente por todas as partes do corpo da humanidade e o lucro é uma retenção desta energia num ponto, cangrenando basicamente as extremidades, que são o terceiro mundo neste momento. 

Onde a teoria do lucro se instala, a energia monetária não consegue chegar, dando-se retenções de quantidades fabulosas dessa energia em indivíduos que em consequência disso, geralmente, apresentam os problemas das pessoas que retêm coisas, têm enfartes, imensa gordura nos vasos sanguíneos, etc.. 

A nova forma de conhecimento implica que o economista oiça o homeopata e que ambos oiçam o sábio. Em síntese: ciência e espiritualidade já entraram em fusão na proporção em que as áreas do nosso ser também entram em fusão. A gnose é atraída para ti pela força do amor à realidade e à verdade. 

É absolutamente essencial que o homem fique insatisfeito com os corredores já percorridos, com o mapa já feito, nós precisamos de novos mapas, os antigos estão rapidamente a tornar-se obsoletos. 


P: Qual o significado actual da Ilha do Pico nos Açores? 



R: Existem pontos, seres, grupos humanos no planeta que têm funções de ligar o passado e o futuro. Toda a região dos Açores faz parte dessas áreas que têm uma economia magnética completamente diferente de outros sítios, alguns dos quais são bastante famosos: o Mar do Diabo no Japão; o Mar da Tasmânia na Austrália; o triângulo das Bermudas no Mar das Caraíbas.

Existem quatro forças que mantêm o átomo organizado: força nuclear fraca; força nuclear forte; energia magnética; força da gravidade. A força da gravidade é responsável pela massa, as forças nucleares são responsáveis pela coesão entre os núcleos, plutão/neutrão e a relação entre o electrão e o núcleo, aqui entram as forças nucleares forte e fraca com mais um pequeno detalhe: plutão/neutrão/electrão não existem mais, desapareceram nos anos 50, o átomo foi pulverizado em setenta e tal partículas. Quando se fala em electrões hoje, está-se a falar de dinossauros. Aquela física toda, hoje é completamente diferente. E a última é a força magnética. Tudo o que acontece em termos cronológicos, a degradação de tecido vivo humano - o cancro, a morte, o hábito de morrer, tudo o que acontece ao nível do tecido vivo, ao nível da percepção visual, é regulado por essas quatro forças. Existem áreas no planeta onde estão sendo feitas experiências de grande amplitude energética e de grande voltagem, de comutar e alterar a intensidade destas forças nos núcleos atómicos dessas zonas. Isto é, eles fazem descer uma campânula, fazem um varrimento de um feixe de energia e a energia magnética naquele sítio inverte, ou dá-se um abaixamento da força de gravidade, ou dá-se um aumento de força nuclear. Isto faz com que possam desaparecer frotas inteiras de aviões, porque entram outras leis no funcionamento da realidade. 

Os assessores, e também outros pontos em Portugal têm um elevado potencial interdimensional. Os assessores contêm pontos que estão sendo preparados no caso de isto se transformar num autocarro que necessite de sair desta emergência. O planeta tem sido para algumas cabeças uma espécie de descapotável, um automóvel de desporto, mas não é, afinal é um autocarro, estão cinco biliões aqui. Se este autocarro tiver um problema, é necessário que existam saídas de emergência, e estas zonas permitem evacuar parte da humanidade, simplesmente, de uma forma intradimensional - as pessoas saem desta dimensão para um paralela do mesmo planeta. 

Eu estou a responder desta forma porque a pergunta é realmente profunda, obviamente é alguém que tem consciência de que estas afinações e remanejamentos nas leis da matéria, e nas leis da dimensão e do contínuo dentro do qual nós estamos, estão sendo alteradas nessa zona. 

Há muito mais a dizer sobre algumas áreas do planeta, mas como não estamos ainda no autocarro em emergência e como essas saídas não devem ser objecto sequer do nosso pensamento, este material está sendo mantido reservado até que uma efectiva necessidade o exija. Por outro lado, os seres que precisam de estar próximo a essas zonas de super protecção energética, estarão próximo às linhas de força do seu destino, da sua vida, da sua relação com os outros e com a dinâmica existencial que acabará inevitavelmente por colocá-los nesses ecosistemas de luz. 



P: Ao pé do mar uma pessoa consegue ser feliz. Que forças espirituais fazem com que isso seja possível? 



R: Uma das próximas batalhas entre a luz e a ausência de luz irá travar-se no plano etérico ao nível do quotidiano. As grandes ideias estão disponíveis, demora muito menos de vinte minutos a ter acesso a essas ideias cósmicas. O trabalho ao nível da transmissão da informação é considerado dado, ainda que por mais 7, 8, 10 anos nós vamos ter constantemente actualização dessa informação, mas a transmissão do conhecimento e da informação é considerado um trabalho que está rapidamente a ficar para trás, como necessidade e urgência planetária. O próximo embate das forças já não se vai dar no plano político, nem ideológico, porque as pessoas cada vez mais sabem que é o amor que produz o milagre económico. Basicamente, a humanidade já está a ser preparada para a economia da compaixão compassiva e à medida que nos tornamos menos medrosos, automáticos e compulsivos ao nível do chacra da raíz, que é onde se instala o medo e todo o processo inconsciente ligado à retenção do dinheiro, portanto, à medida que finalmente começamos a trabalhar o chacra da raíz, o dinheiro começa a circular livremente pelo planeta inteiro. Onde o chacra da raíz não é trabalhado, o dinheiro pára, porque é nesse chacra que estão os registos de medo de não sobreviver. Este novo ser é monetariamente transparente, o dinheiro chega, faz o que tem a fazer e continua, não é retido.


Se a próxima luta se passa ao nível do quotidiano e do plano etérico, há uma palavra que emerge "elementais". A sinata é um super elemental composto por subgrupos de elementais até elementais do tamanho de um alfinete. O campo tem zonas que são também regidas por devas e elementais específicos. O mar é um dos últimos grandes elementais da Terra que simplesmente não foi corrompido, não houve inversão de força, não houve degradação e por mais que a teoria relativamente bem conseguida de tentar polui-los o mais possível antes do final do milénio, tivesse avançado, o mar continua, enquanto força elemental, igual ao princípio do mundo. 

Então, quando um ser percebe que junto ao mar é feliz, o que ele está a perceber é que ele está a entrar em contacto com uma força elemental, tal como algum vento (não todo o vento), certas montanhas, são completamente pristinos, mantêm-se idênticos em vibração, ao princípio. Grande parte da nossa desvitalização, do nosso abatimento, tem a ver directamente, não com as grandes ideias, mas com uma profunda desvitalização físico-etérica e com uma enorme diminuição da capacidade do homem comum reter prana. Perdeu o contacto com a força vital, perdeu o contacto com os níveis mais básicos da alegria de viver que se situam no segundo chacra, o da sexualidade, da vitalidade e da alegria de viver pela capacidade de receber a "anima mundi", isto é, o conjunto de forças vitais que nos preenche e nos activa e que nos sustenta vibratoriamente. 

Nós somos aparelhos criados para viver com a mãe, a sociedade inteira está-se a transformar numa entidade cinzenta, que produz informação três vezes mais rápida do que a capacidade de nós a codificar-mos. Existem pessoas que vêem sete telejornais por dia, significa que não vêem nenhum. As pessoas vivem em saturação de informação por choques de ondas energéticas opostas. 

Eu preciso de começar a entrar em fase com a nova vibração da Terra e de uma forma cada vez mais rápida não perder tempo e começar a declinar aquilo que não é actual. 

Existem dois cenários: um, aquilo a que se chama "a nova ordem mundial", e cuja base é o domínio da humanidade através de um esquema de domínio económico, comportamental e técnicas psicotrónicas de ir introduzindo a nível da medula alongata vibrações e frequências cada vez mais densas. Existe música, médicos, políticos, especializados nisso, existe toda uma técnica de hipnose psicotrónica, se tiveres umas pastilhas de extasis, consegues descer ainda mais rápido. Existe toda uma técnica montada ao nível das 72 grandes cidades do planeta para realmente baixar a vibração, isso é feito por frequência, e está-se a tornar evidente, porque ele é técnico, tu consegues perceber. Sempre que é emitida uma onda de informação que tu não tens tempo de processar, porque foi demasiado rápido, sempre que há um processo de alternância de cores (o anúncio da Martini tem um conjunto concêntrico de anéis negros e brancos, aquilo é completamente hipnótico), de ruídos, de forças que não conseguem organizar porque não têm tempo (videoclips, o ritmo da televisão, o ritmo da rádio), não tem nada a ver com a velocidade de processamento do cérebro humano e sempre que ele não consegue processar informação, simplesmente, entra em dissociação e é nesse momento que se dá uma semi hipnose. Há uma parte da humanidade a entrar em semi hipnose porque os impulsos eléctricos, as lâmpadas, todo um conjunto de factores, para não falar de uma enorme quantidade de coisas que são dirigidas às regiões subdiafragmáticas das pessoas, visam tentar trazer novamente a Roma antiga para o final do século vinte. 

Essas forças involutivas estão montando o seu cenário, que é uma coisa que pode ser resumida na expressão "nova ordem mundial". Isso inclue factores políticos, socioeconómicos, tecnotrónicos, psicotrónicos. 

Do ponto de vista do trabalho que estamos a fazer aqui, a nova ordem mundial já nem existe, nós estamos focalizando o oposto, que é a nova Terra, um conjunto de portais vibratórios que, simplesmente, transmutam o inconsciente da humanidade. Quanto mais tu tomas consciência dessas transformações que já estão a ocorrer mais essa forma pensamento colectiva, ligada à nova ordem mundial, vai perdendo terreno. O palco da nossa consciência vai ter duas personagens: a “nova Terra” e a “nova ordem mundial”. O nosso trabalho é não perder mais tempo a focalizar e a dar energia à nova ordem mundial, ficar completamente tranquilo com essa tarântula, deixar a tarântula fazer a sua dança, fazer o seu processo, olhar e dizer: "olha, isto deve ser mais uma coisa da tarântula!", e depois ligas a televisão: "Lá está a tarântula", depois vais à discoteca: "Iiihhh..., isto aqui é a própria tarântula! e assim sucessivamente, e tu vais deixando a tarântula fazer a sua teia, vais vendo as pessoas presas na sua teia, e é para não ficar impressionado! Porque do ponto de vista da ampola que nós estamos a fazer descer, a tarântula não existe. 

Esta diferença racial que nós temos, vai durar mais cinco minutos, as nações vão durar mais cinco minutos, o dinheiro é um instrumento interessante para os próximos cinco minutos. Tudo o que está montado, atingiu o máximo de dissociação, o que vamos fazer mais com esta civilização? As civilizações têm períodos úteis e depois são superadas por novas consciências e novas oportunidades de civilização, fórmulas de cultura e relações entre seres humanos. Nunca o fim de uma civilização num percurso evolutivo de um planeta é o fim de um planeta ou de uma humanidade. O fim de uma civilização, é só, o início da próxima. 

A maior parte da informação relacionada com a nova ordem mundial está desactualizada, pelo simples facto de que a hierarquia de luz é um dardo de uma velocidade altíssima, estes seres nem sequer vêem a coisa passar. A hierarquia de luz desloca-se em frequências vibratórias que são ligeiramente acima do tempo, além do espaço. Mestre Morya deve demorar aproximadamente 0,4 segundos da Suécia ao Alasca e a informação telepática circula sem tempo entre todas as mentes da hierarquia. Os mestres estão constantemente em fusão vibratória uns com os outros. É com esta egrégora, é com esta muralha, é com este factor que nós precisamos estabelecer um elo de vibração e não nos impressionar com os movimentos da tarântula, que, aliás, tem de fazer a sua parte e o que é que tu tens a ver com isso? 

Chega-te um ser completamente hipnotisado por essas forças e simplesmente com o teu olhar, com o teu amor, com o teu abraço, tu vais desactivando as tendências do pensamento dele. Grande parte do domínio da tarântula é um domínio de transe, por isso é que a batida da música tecno tem 168 batidas por minuto enquanto que a de rock tem só 120. 168 batidas/m não tem nada a ver com o ser humano, 120 já tem, e portanto, isto faz parte do sistema de controle. Nós precisamos ter compaixão por cada tarântula. O mal anula-se a si próprio, a tarântula, os seres involutivos, são entrópicos, Se eu começo a permitir filamentos da minha consciência escaparem-se sob a forma de uma tentativa de não compreender o que está a acontecer ao planeta, mas no fundo é o meu medo a vir ao de cima, aí, eu começo a ficar envolvido naquilo, então, a mensagem que eu tenho a passar em relação a este cenário é uma mensagem de paz, de superação da vibração que este cenário implica e de velocidade ígnea. 

As pessoas preocupam-se com estes cenários, mas se as ramificações das suas consciências vão ancorar aos pés de Jesus, não interessa! Não interessa excepto se intelectualmente for muito importante tu teres consciência de alguns aspectos, mas a informação, e a contra informação, neste cenário da nova ordem mundial é potentíssima, tu tens vários grupos de assuntos que se interpenetram e que contêm informação e contra informação em doses iguais, desde a nova Berlim na Antártida, que é o resultado de uma série de nazis que fugiram através da Argentina e que estão a tentar reorganizar o 4º Reich a partir da Antártida, até...., tem uma enciclopédia de experiências e há sempre um ponto de verdade nestas coisas. 

A força da nova ordem mundial está directamente ligada ao medo. Eu preciso ter uma tarântula a atravessar o pescoço e continuar a descascar batatas! Ficar tranquilo perante isto e dizer: "Isto é um problema dos Mestres, eu não vou mexer com a nova ordem mundial". No momento em que desconectas vibratoriamente e te viras para a construção da nova Terra, que é uma imensa forma pensamento autorizada pela regência celeste central, que os Mestres criaram e que está descendo como uma avalanche luminosa sobre a humanidade, nesse momento a nova ordem mundial acabou para ti, tu construíste uma sub realidade mais potente. Um ser de luz tem mais potência e mais voltagem do que 10.000 seres da sombra. 

Este planeta do ponto de vista cósmico já é considerado um planeta sagrado. Em termos da humanidade, essa força luz e essa vida ainda não poderam entrar, mas do ponto de vista cósmico, já é considerado sagrado. 

Falta o vector tempo e o circuito humanidade, mas o elo humanidade não vai ser feito com Sérvios e com toda a gente do planeta, esse elo vai ser com todos os seres que vibrarem em sintonia com a nova Terra. 

Constrói um novo planeta dentro de ti e acredita nele com mais força do que acreditas na realidade e na crónica quotidiana, tu podes porque tens energia divina, ela atravessa a lente da tua consciência, reorganiza os éteres e o campo mental e as forças involutivas não têm por onde entrar. 

Uma Era de paz, de amor, de correctas relações entres os homens e de superação do elemento agressivo na humanidade, e de iniciação do homem no seu anjo interior. Se para que o homem chegue a este estado de consciência é necessária uma 3ª guerra mundial, qual é o problema? 

Neste momento a Hierarquia terrestre tem completo domínio sobre os assuntos mundiais, se Eles criam iatos de livre arbítrio para que o Homem possa optar, Eles já estão a criar esses iatos por um motivo muito simples, uma 3ª guerra mundial, é a última. Já alguém ouviu falar na 4ª guerra mundial? 

De todas as guerras mundiais possíveis, a 3ª guerra mundial que envolve já material bélico a sério, é a única que tem autorização para ser interrompida pela Hierarquia da Terra. A 1ª não tinha, a 2ª não tinha, a guerra dos cem anos não tinha, a guerra das rosas não tinha, o Napoleão podia andar a cavalgar à vontade, porque era tudo um pique-nique comparado com a 3ª guerra mundial. Então, significa que nesta, a Hierarquia já tem autorização celeste central para: " Se eles forem para além daquele ponto, voçês interferem". Porquê? Porque a Humanidade não se pertence a si própria. 

É por isso que em termos da legislação cósmica, na 3ª guerra mundial, Eles já podem interferir. Não podiam na 1ª nem na 2ª por motivos ocultos. 

Eu tenho muita dificuldade em fazer descer a linguagem ao nível da descrição dos horrores, porque isso faz com que a nossa consciência, ao chegar a esse nível, só potencializa esse material. Nós mantemos a linguagem para funções nobres. Esta 3ª guerra, que não sabemos se acontece ou não, ela parte de iatos que a Hierarquia permite para ver onde é que os homens se colocam perante certas forças. Num certo sentido, a Hierarquia sabe o que vai acontecer, Ela conhece o Homem muito melhor do que nós. Ela é mãe, conhece muito bem o seu filho e sabe que ao criar os iatos o filho vai logo por ali. Se acontecesse uma 3ª guerra mundial, é uma situação tão final que é evidente que pertence à regência da Hierarquia continuar, neste contexto, é para atingir um grau de preocupação e de medo, zero. É para atingir um grau de compromisso máximo. 

P.: Não é o objectivo das outras forças criar essa preocupação e esse medo? 

R.: Claro. O medo não te afasta do objecto do medo, liga-te a ele. 

Um ser na luz, pelo seu diferencial energético, obriga as forças negativas presentes na órbita planetária a refluírem sobre a sua aura e a serem transmutadas. 

O coração é este fenómeno que existe e não existe simultaneamente, move e não move, mas, de facto, é um centro ígneo. Existem doenças relativamente mortais, bastante conhecidas, que têm a ver com um abaixamento das defesas do organismo, por exemplo, ou com o mau funcionamento de certos órgãos e que a cura resume-se ao contacto com a ignição do coração. O ser psíquico daquele ser precisa ter de novo a garantia absoluta que o Universo é um acto de amor e que está ligado à infinita coesão do íman cósmico - Coração de Deus. 

Tudo faz parte do plano, não todos os actos indiscriminadamente, mas a ignorância produz um bouquet de aberrações e cada uma destas flores do mal, produz mais uns tantos bouquets das suas próprias aberrações. 

O verdadeiro coração que está a nascer nos seres humanos não tem nada a ver com sentimentalismo, ele é o caminho mais rápido para o compromisso cósmico. Este coração leva-te direito à abnegação, tu começas a fazer um trabalho espiritual, seja uma vigília pelo planeta, seja ajudar a vizinha do lado a subir a escada, porque isto minimiza a distância entre o Divino e os teus filhos. 

Quando se fala numa rotação de 180º, fala-se da passagem da lei carmica para a lei do serviço (serviço significa que Deus te começa a usar para a sua obra) e através desta lei, a periferia do Universo começa-se a aproximar do calor do centro, os próximos anos vão ser como uma luta entre o fogo e o gelo. 

É pela colocação estratégica do "cavaleiro ardente" a meio caminho entre o íman cósmico e o gelo, e pelo poder que este ser tem de actuar como embaixador, como emissário do amor divino, que a periferia do Universo, das zonas onde a luz do Divino não chega, se começa a aproximar do centro. 

P.: Sobre extraterrestres de luz e de sombra (“O Livro da Serpente” de Vitor Mendanha?). 

R.: Obviamente que há descontinuidade nas inteligências presentes na Terra. Existem seres e egrégoras de seres, que têm origem em pontos diferentes do Universo. Existem inúmeras teorias àcerca disso. É relativamente difícil recuar no tempo (uns milhões de anos), para termos noção de uma fractura que aconteceu antes mesmo de acontecer aquilo a que se chama "confederação da Galactia". 

A forma mais simples de se reconstituir o eixo da questão, implicaria percebermos que a Terra é um projecto dos criadores originais, dos jardineiros do espaço que desceram até esta zona e começaram a estabelecer um plano de criação, que descende directamente da inteligência celeste, da regência celeste central. Quando se fala de jardineiros, ou semeadores de vida, responsáveis pela estabilização desta imensa experiência que é o planeta Terra, está-se a falar de enviados celestes, o equivalente ao escalão do Génesis, não se está a falar de bioquímico e superbioquímico algures ligados apenas a inteligências terrestres. 

Sim, é verdade, o plano foi pilhado, houve uma interferência de circuitos extraterrestres não positivos que tentaram utilizar a humanidade como uma raça inferior. Houve realmente interferência e houve manipulação genética a esse nível, essas intervenções não têm nada a ver com os jardineiros originais nem com o projecto original, e muito menos com qualquer ponta de ligação com as hierarquias terrestre, solar e orbital. Esta intervenção, esta rutura de desvio da energia atrasou a evolução da humanidade em muitos milénios. 

Numa certa fase, as comportas interdimensionais que protegem a Terra e que a mantêm dentro do "anel não passa", foram abertas para a chegada de recursos extraterrestres luminosos, que aí iam fazer a vigilância da transição planetária. Isto tudo desenvolveu-se nos últimos séculos, mas acentuou-se nos anos 40. E porque houve esta abertura, houve frotas e inteligências extraterrestre negativas que entraram também por essas aberturas interdimensionais e começaram a fazer experiências negativas com terrestres. 

A origem dos seres que não são evolutivos e que fizeram experiências negativas com a humanidade terrestre, são de vários pontos, assim como a origem dos seres positivos que neste momento auxiliam a humanidade e que vêm de outros pontos do cosmos, não é apenas as Pleiades, mas também Sírios, Andrómeda, Alfa Central, Orion, entre outros. 

Este espectro são a Hierarquia orbital actualmente, uma hierarquia de emergência composta por vértices e consciências extraterrestres que estão supervisionando a transição da Terra juntamente com a Hierarquia planetária, e, submetidos à hierarquia planetária, não porque tenham menos evolução, mas porque, sempre que um ser que vem de um quadrante extraterrestre chega a um planeta, ele tem que se submeter à hierarquia planetária desse planeta. 

Aconteceu uma série de invasões de úteros femininos humanos durante cerca de 30 a 40 anos com o objectivo, de facto, de criar uma raça híbrida que pudesse ancorar essas inteligências extraterrestres. Existem inúmeros relatos sobre isso. Inúmeras pessoas que foram submetidas a hipnose, revelaram histórias muito idênticas, de terem sido submetidas a inseminação artifical em aparelhos, em naves, contra a sua vontade, numa clara violação da sua liberdade cósmica. 

Este cenário de invasão e violação de liberdade, de mecanização e desumanização do homem em certas mentes de extraterrestres muito pouco evoluídas, no início dos anos 90, todo o planeta passou de um estado de quarentena a um estado de activação do seu potencial ascendente máximo, isto significa que turbinas ocultas, dos quais nem sequer a própria hierarquia planetária tem total consciência, começaram a ser activadas no planeta. Da mesma forma que nós temos chacras, o planeta tem chacras e tem operadores, civilizações que lidam com esses chacras e que captam, dinamizam e activam essas energias. Toda uma rede planetária de tracção da Terra para uma nova dimensão foi posta em acção. O que quer que se passasse nesse cenário de invasão e degradação, a partir de fontes extraterrestres, foi suspenso a partir dos anos 90, porque, por motivos cósmicos de natureza cármica, foi dada autorização para intervir e parar essas violentações. 

Neste momento, não só esses extraterrestres negativos não podem entrar, ou não entram com a facilidade com que entravam antes, mas principalmente, a intensidade luminosa das hierarquias de luz, planetária e solar é tão grande, e a pressão de luz que pode ser captada em termos telepáticos em 5 minutos é tão alta, que a própria vibração da Terra já é refractária à aproximação desses extraterrestres involutivos, ou seja, se eles poderam entrar, é porque algum do carma terrestre e alguma da natureza humana, criou condições vibratórias para que eles se aproximassem. Neste momento, com a activação de vários aspectos internos da Terra, desde o kundalini planetário até à hipófise planetária, tudo isso entrou numa nova potência, liberta uma onde de choque luminosa que, simplesmente, cria um descontínuo entre a nova vibração terrestre e a vibração desses seres. 

Existem zonas do planeta que já estão cobertas por radiação violeta, tendo as suas portas interdimensionais activadas.

Por André Louro de Almeida          12/4/99 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares

Sites