Amhaj

Para que possais trilhar a senda luminosa é preciso responder ao Chamado. Isso significa vencerdes provas, nas quais terão confirmado o vosso elo com a verdade e com a luz. Todos os seres, um dia, penetram essa senda e alcançam a Morada Celestial. Porém, eons se passam até que o ciclo se consume. Não vos intimideis frente ao mal. Não desafieis o inimigo. Não retardeis vosso caminhar pelo clamor do passado. A poeira dos tempos será lavada do vosso ser; novas vestes trajareis, e grande será o júbilo da libertação. Porém, nessa senda pisareis sobre rosas e espinhos, e devereis aprender o mistério do Bem. É tempo de justiça. É tempo de graças. Magnífico poder, o Irmão Maior se aproxima. Silenciai vosso coração e acolhei o grande amor. Tendes a Nossa paz.

Hierarquia

sábado, 31 de dezembro de 2011

Consciente Direito. Consciente Esquerdo. Centros Energéticos do Ser. Chacras. Kundalini

CONSCIENTE DIREITO – Região da consciência humana que exprime atributos e faculdades supramentais. As denominações direito e esquerdo, aplicadas à constituição subjetiva do homem, assumem conotações específicas. Direito diz respeito à conexão com níveis abstratos, onde se revelam padrões arquetípicos e diretrizes do Plano Evolutivo. Já esquerdo diz respeito à cognição por meio dos sentidos externos e à repetição de padrões conhecidos; refere-se, portanto, à sintonia com fatos concretos, com idéias triviais, socialmente estratificadas, e com maneiras óbvias de viver. O consciente direito começa a despertar quando as forças do ego se elevam e vão-se integrando nas energias da alma. Essa integração faculta ao indivíduo maior autocontrole e propicia-lhe o contato com leis suprafísicas. Para o consciente direito assumir o controle da vida do ser é preciso adesão incondicional ao impulso evolutivo, persistência, flexibilidade mental, desapego e ousadia. Pelo consciente direito expressam-se as energias da alma e da mônada. Ele veicula o fogo solar e, em certa proporção, o fogo cósmico. Reflete, pois, realidades dos níveis intuitivo, espiritual, monádico e divino – e até do imaterial, em fases mais avançadas do ser O despertar do consciente direito está sendo especialmente estimulado nesta época. Com isso, as energias de Miz Tli Tlan plasmam, nos que as acolhem, as estruturas ainda intangíveis do Homem Novo.

O consciente direito manifesta-se no homem por um circuíto energético que substitui o antigo sistema de chacras. É constituído de vórtices, cada um dos quais responde a impulsos específicos, emitidos pelos grandes Espelhos planetários. Tal circuíto está situado nos corpos sutis do indivíduo e amplia-se quando o seu corpo de luz se torna ativo. O consciente direito tem as chaves para o contato com planos abstratos e emerge no homem à medida que o novo código genético vai sendo nele implantado e desenvolvido por Hierarquias que conduzem a realização do propósito desta Raça. São cinco os principais vórtices: o centro cerebral direito, o cardíaco direito e o plexo cósmico (este abaixo da costela do lado direito do corpo), e dois centros superiores, supraluminares, que se encontram na aura do indivíduo, acima da cabeça. Esses vórtices são estimulados por civilizações intraterrenas. As vibrações de Aurora vão ao centro cerebral direito, as de Erks ao centro cardíaco direito e a de Miz Tli Tlan ao plexo cósmico. A ativação dos centros supraluminares diz respeito a etapas avançadas do processo iniciático. Enquanto o consciente esquerdo, ainda proeminente na humanidade da superfície terrestre, opera com base no passado, ou seja, usa o raciocínio, a lógica e a dedução e manipula o que já conhece, o consciente direito opera com base no eterno presente, podendo assim desvelar o que é ainda desconhecido e inusitado.

CONSCIENTE ESQUERDO – É a contraparte material da consciência humana. Fundamenta-se na cognição externa, nos mecanismos racionais, no conhecido, e é incapaz de transcender por si mesmo os limites do mundo concreto. Resultou do aglomerado de forças geradas nas experiências pretéritas do indivíduo,positivas ou não. Foi formado ao longo de vidas sobre o planeta e pelo exercício do livre-arbítrio. Exprime-se por intermédio da lógica, da dedução, da análise e da comparação. Portanto, pouco ou nada sabe do que é novo. Manipula os dados de seus arquivos, mas desconhece o que há além deles. Está permeado pelo fogo fricativo e alimenta-se de conflitos. Inclui a mente concreta, que deve ser purificada e absorvida pelas energias do consciente direito a fim de refletir qualidades maus sutis e liberar-se dos condicionamentos. Se o homem não passa por essa mudança, sua mente torna-se ‘’assassina do real’’, conforme anuncia a sabedoria oculta (vide a Voz DO SILÊNCIO, H.P. Blavatsky). O consciente esquerdo foi legado ao ser humano como instrumento de ordenação e associação dos elementos colhidos no decorrer de sua trajetória no mundo formal. Porém, uma vez que a mente concreta obtenha certo grau de maturação, cabe-lhe abrir-se para níveis abstratos. Trata-se de uma ampliação, na qual não se renega o aperfeiçoamento alcançado por ela, mas se reconduzem os seus mecanismos, sob orientação de níveis supramentais do ser, que passam a utilizá-los e já não se limitam por eles. O consciente esquerdo não é, portanto, algo a ser aniquilado; precisa tão-somente sair da posição de controle e influência que em geral ocupa, Quando transmutado, seu lado obscuro se ilumina e, elevado pelas energias do consciente direito, a este servirá até que se fundam.

CENTROS DO CONSCIENTE DIREITO – Vórtices situados nos corpos sutis do ser humano, por meio dos quais a consciência interna se exprime em sintonia com padrões e leis superiores. O circuíto energético nos seres humanos está passando por transformações: traslada-se do sistema de chacras , próprio de uma humanidade regida pela lei do carma material e pela lei do livre-arbítrio, para o dos centros do consciente direito, adequado para expressão mais sutil das leis da evolução superior.

Pelos centros do consciente direito circulam energias de núcleos internos,energias capazes de promover profundas mudanças na aura e na matéria planetária. Assim, hoje, na atual transição da Terra, além da implantação do novo código genético nos níveis suprafísicos da humanidade resgatável, o potencial energético a ela disponível se eleva, e o manancial que antes se distribuía por sete centros principais (os setes chacras) concentra-se e passa a exprimir-se por três (o cerebral direito, o cardíaco direito e o plexo cósmico); posteriormente, expandirá sua ação, pois mais dois centros, estes supraluminares, virão somar-se aos três. Os centros supraluminares ficam na aura do ser. Seu ritmo de pulsação e grau de sutilização requerem um vórtice de energia apto a vibrar em frequências superiores às suportáveis pelos plexos projetados na matéria física concreta. Exprimem potenciais One-Zone ainda desconhecidos da humanidade da superfície da Terra, porém revelados em civilizações evoluídas do cosmos.


Centro coronário                Primeiro centro supraluminar

Centro ajna                           Segundo centro supraluminar

Centro laríngeo                   Centro cerebral direito

Centro cardíaco                   Centro cardíaco direito

Plexo solar                             Plexo cósmico direito

Centro sexual

Centro da base da coluna

(Para visualizar melhor este esquema faça download do glossário esotérico no final da postagem)

O despertar do consciente direito apóia-se na atitude do indivíduo, ou seja, na sua disposição para transformar-se,no amor que dedica à verdade e ao serviço evolutivo, tendo como bases a fé e a entrega à realidade suprema.Embora esse despertar dependa de tal atitude e advenha do que é dinamizado no mundo interior, certos exercícios com símbolos podem facilitá-los. Alguns deles foram apresentados nos livros MiZ TLI TLAN – Um Mundo que Desperta e BASES DO MUNDO ARDENTE (Indicações para contato com os mundos suprafísicos), de Trigueirinho.

CENTROS ENERGÉTICOS DO SER – Vórtices de energia, força e consciência situados nos corpos sutis dos seres. No homem, há vários desses centros ativos,embora na maioria dos casos os superiores permaneçam latentes; desempenham funções específicas em seu desenvolvimento e na sua integração ao cosmos. Na antigüidade, em seu caminho espiritual o homem era conduzido,por instrutores de elevado grau evolutivo, a concentrar-se nos centros. Com o decorrer dos milênios, esses instrutores trasladaram-se para os níveis internos da existência e, sem a orientação deles, tal concentração tornou-se desaconselhável e até mesmo perigosa, como é ressaltado nos ensinamentos transmitidos por Alice A. Bailey. Até o início da presente transição planetária, os centros que compunham a estrutura de circulação energética do homem eram os chacras.Os mais conhecidos encontram-se no nível etérico e sua relação com as glândulas do corpo, relação que se modifica à medida que o indivíduo evolui e se transforma, já foi bem difundida.

Centros (chacras)                                 Glândulas/ Órgãos

Centro da cabeça                                   Pineal
Centro ajna                                              Pituitária
Centro da garganta                               Tiróide
Centro cardíaco                                      Timo 
Plexo solar                                                Pâncreas                 
Centro sacro                                            Órgãos reprodutores                          
Centro da base da coluna                    Supra-renais

Hoje, todavia, esse circuíto dos chacras está sendo desativado e um novo – o do consciente direito – começa a agir. A energia desloca-se de um sistema para outro. Para compreender esse processo, deve-se levar em conta: 1º - a cada etapa do planeta existe uma estrutura básica, um padrão arquetípico a ser expresso; 2º -em 8.8.88 teve início um período de purificação intensa da Terra e consumou-se a transferência da energia de Shamballa para Miz Tli Tlan; 3º - alguns níveis de consciência no planeta estão-se unindo, o que traz conseqüências diretas para o inter-relacionamento dos corpos do ser humano; entre elas, cita-se a fusão do corpo astral no mental e o desaparecimento deste como entidade autônoma; 4º - um código genético distinto do atual regerá a formação dos corpos do homem futuro.

A energia do centro do alto da cabeça, do centro ajna e do centro da garganta vão-se fundindo em um único centro, o cerebral direito, no qual a capacidade cognitiva e a capacidade criativa estarão unificadas, levando o ser humano a maior equilíbrio em sua interação com o mundo externo. A atividade mental analítica e concreta passa, aos poucos, ao âmbito subconsciente, tornando-se automatizada, assim como hoje são as funções orgânicas do corpo físico. As energias canalizadas pelo plexo solar, pelo centro sacro e pelo centro da base da coluna convergem para o plexo cósmico do homem (localizado do lado direito do corpo, abaixo da última costela). O centro cardíaco direito sintetiza a energia do centro cardíaco do antigo sistema de chacras, e recebe uma parcela da energia do plexo solar e do centro da garganta.

Centros do consciente                       Chacras cuja energia foi absorvida
direito que absorveram                        nos centros do consciente direito
a energia dos chacras
                                                                      Centro da cabeça
Centro cerebral direito                         Centro ajna
                                                                      Centro da garganta

                                                                      Centro da garganta
Centro cardíaco direito (*)                  Centro cardíaco 
                                                                      Plexo solar

 Plexo cósmico                                        Plexo solar
                                                                      Centro sacro
                                                                      Centro da base da coluna


(*) O centro cardíaco direito absorve uma parcela da energia do centro da garganta e do plexo solar, além da totalidade da energia do chacra cardíaco.

A elevação da energia nos centros energético de um indivíduo é decorrência natural da mudança de polarização da sua consciência; portanto, ele nada deveria fazer para forçá-la. Nos planos externos, a completa transferência do antigo sistema de chacras para o circuíto do consciente direito advém de as forças do ego já não controlam o indivíduo.

CHACRAS – Centros de força e consciência ativos no corpo etérico do homem da superfície, quando este se encontra sob a lei do carma material e sob a lei do livre-arbítrio. Ao transcendê-las, passa a ser regido pela lei evolutiva em seus aspectos superiores, e esses centros não mais o condicionam. Os chacras correspondem ao ciclo planetário anterior, que foi expressão da polaridade masculina do planeta. O circuíto energético por eles constituído cumpriu sua parte no processo do desenvolvimento do homem. Compunha-se de três centros superiores (por meio dos quais o anjo solar – ou alma – se exprimia), um centro de ligação (o plexo solar), e três centros inferiores, que poderiam ter manifestado elevados padrões vibratórios, não fosse o envolvimento do ser com forças involutivas. A chamada ciência dos centros, que estimulava a elevação da energia e o despertar dos chacras por meio de exercícios e métodos artificiais, ainda condiciona a muitos. Com a formação da mente na presente Raça, a energia passa a ascender naturalmente, à medida que a consciência se expande. Por isso, exceto em condições especiais, instrutores autênticos e inspirados do presente puseram mais ênfase no aprimoramento do caráter que na concentração direta sobre os chacras.Contudo, contrariando sua indicações, muitos aspirantes, ao adotar técnicas ultrapassadas, desequilibram se ou se perderam pela ambição. O homem lúcido de hoje colabora nas transformações em seus corpos e em sua consciência, mas deixa que sejam conduzidas por sua mônada e pelas Hierarquias. Tendo renunciado ao livre-arbítrio, isso é feito por meio dos centros energéticos do consciente direito, e não mais dos chacras.

KUNDALINI – Palavra sânscrita cujo sentido literal é ‘’espiralado como uma serpente’’. Deriva-se de kundalin (serpente), epíteto de Varuna, o Senhor das águas, consciência que regeu a Raça atlante. Kundalini é a eletricidade, o fogo latente na matéria ou, em ocultismo, a Mãe do Mundo. O termo kundalini foi mais difundido como a energia vital que no ser humano se aloja no chacra da base da coluna. No antigo sistema energético, esse ‘’fogo serpentino’’ (como é chamado na ciência esotérica) ia-se elevando no plano etérico ao longo da coluna vertebral, à medida que a consciência se trasladava de níveis primários, instintivos, até a união com o mundo espiritual, interior. Nessa ascensão kundalini ativava os chacras, purificava-os e despertava os dons que correspondiam a cada um deles. Todavia, não era recomendável que o indivíduo, com a própria vontade, acelerasse essa elevação, sob pena de desequilibrar-se, física pu psicologicamente, e de gerar transtornos irreversíveis naquela encarnação, com reflexos negativos nas posteriores. O fato de o termo kundalini derivar-se de uma designação do regente da Raça atlante denota ser essa energia parte do circuíto de um ciclo da Terra já ultrapassado. Todos aqueles que se valem das oportunidades hoje apresentadas à humanidade têm o sistema de chacras gradualmente desativado e, ao mesmo tempo, o sistema do consciente direito despertado. Nesse novo circuíto, a liberação da essência da matéria e sua união ao fogo do espírito não se realizam ‘’ de baixo para cima’’, como antes, mas são conduzidas e controladas pelos núcleos internos do ser que influem nos centros etéricos superiores. Em A VOZ DE AMHAJ (de Trigueirinho), lê-se: ‘’ Reconhecei a diferença entre uma brasa e a chama ardente, e amai a unificação. Os que acolheram a semente do futuro não mais trabalham com o tesouro adormecido, mas no Alto desperta e atrai o que está embaixo. O que está embaixo abre-se e responde ao que está no Alto. O ponto intermédio vibra: é preciso ardor, é preciso amar unicamente a Lei. A síntese sublime aproxima-se da consumação. Trasladará o eleito para além do reino da morte’’.

Extraído do Glossário Esotérico de Trigueirinho

págs. 83-84-62-63-66-67-68-70-228






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares

Sites