Amhaj

Para que possais trilhar a senda luminosa é preciso responder ao Chamado. Isso significa vencerdes provas, nas quais terão confirmado o vosso elo com a verdade e com a luz. Todos os seres, um dia, penetram essa senda e alcançam a Morada Celestial. Porém, eons se passam até que o ciclo se consume. Não vos intimideis frente ao mal. Não desafieis o inimigo. Não retardeis vosso caminhar pelo clamor do passado. A poeira dos tempos será lavada do vosso ser; novas vestes trajareis, e grande será o júbilo da libertação. Porém, nessa senda pisareis sobre rosas e espinhos, e devereis aprender o mistério do Bem. É tempo de justiça. É tempo de graças. Magnífico poder, o Irmão Maior se aproxima. Silenciai vosso coração e acolhei o grande amor. Tendes a Nossa paz.

Hierarquia

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Novo Código Genético


Um código genético é mais que uma composição físico-química: é um conjunto de condições energéticas e vibratórias determinado pelo arquétipo de uma Raça humana. Não se resume à organização das substâncias de um organismo, nem aos padrões de funcionamento que ele deve assumir, mas tem raízes na Idéia original da constituição daquela raça. Por ser instrumento de padrões arquetípicos e por esses padrões serem dinâmicos, o código genético é modificado ou substituído pelas consciências regedoras da evolução, conforme a necessidade. Quando uma Raça se distancia do seu arquétipo, esses ajustes são requeridos para a sua atualização. Podem ocorrer também na passagem de uma Raça para outra ou nas mudanças de ciclo que exigem transformações mais profundas.

A Terra está-se sutilizando progressivamente, e por isso a nova Raça humana que irá povoá-la deverá ter componentes genéticos adequados para exprimir o que a consciência planetária solicita em sua ascensão. Um novo código genético, o GNA, provindo de mundos de vida incorpórea, está sendo implantado por Hierarquias estelares nos corpos sutis dos que estão preparados para recebê-lo. Sua estrutura não inclui a agressividade, a reprodução sexual, a gestação intra-uterina, nem a hereditariedade. Na Terra futura, o nível mais denso de manifestação será equivalente aos subníveis etéricos de hoje. O novo código genético capacitará o homem para mover-se em consonância com o propósito evolutivo planetário e para transcender a lei do carma material. A sigla GNA não se refere a uma substância química específica, mas a um campo eletromagnético.

A implantação e o desenvolvimento do novo código genético destinam-se ao conjunto de consciências que chegaram, por sua realização interior, a exprimir-se em conformidade com padrões elevados do código precedente. Desse modo, o DNA, vigente na humanidade no ciclo que ora se encerra, pôde levá-lo até determinado patamar. Agora, para se obter maior integração nas realidades internas, torna-se necessário o GNA. Dada à sua origem, o GNA traz ao homem estabilidade, unidade de pensamento e sentido de fraternidade, possibilitando-lhe viver conscientemente em níveis internos e de acordo com as leis que os governam. Por intermédio do GNA introduz-se nova vibração no mundo subjetivo do indivíduo, e ela se projeta de nível em nível, sintonizando todos os átomos dos seus corpos com a sua freqüência, que é sutil e está unida com a meta da consciência monádica.Sob a regência do GNA a humanidade será levada a libertar-se da lei cármica e, consequentemente, da lei da reencarnação, como até agora se apresentaram.

Em passado longínquo, nos primórdios da formação dos corpos do homem, o código genético foi composto pelas consciências regentes da evolução das Raças, simbolicamente denominadas Jardineiros do Espaço, a partir da substância de certo dinossauro anfíbio, substância que passou por uma série de mutações, sendo nela incorporados genes de origem extraplanetária. No decorrer dos milhões de anos sucessivos, houve outras quatro incorporações de genes cósmicos. Produziram o que hoje se reflete nos tipos humanos de pele amarela, vermelha (indígena), passando de um a outro a fim de adquirir a experiência do novo homem, estado para ser buscado agora pelos que seguem o caminho da ascensão.

Com o despertar do homem em níveis intuitivos, o ego será mais rapidamente absorvido pela alma, e a energia da mônada fluirá com maior facilidade nos diversos núcleos da consciência. A humanidade exprimirá vida grupal, constituindo-se, ela própria, numa entidade que se relaciona no cosmos com outras entidades-humanidades. Portanto, um código genético não é apenas o conjunto de elementos materiais, mas um vórtice energético que aproxima a expressão do ser à Idéia segundo a qual foi gerado.É instrumento da Lei para a condução dos corpos e das consciências. A substituição do atual código genético, com bases essencialmente animais, pelo GNA é considerável avanço para a humanidade terrestre. Esse fato, de grande atualidade, é desconhecido da ciência genética comum e nada tem a ver com suas experiências e realizações. O novo código genético é implantado no ser humano por consciências suprafísicas,processo que ocorre nos planos internos e se reflete no externo. Essas elevadas consciências têm conhecimento do destino cósmico do ser e atuam sem sintonia com ele. O GNA se desenvolve e manifesta também nos planos mais densos, quando há receptividade aos padrões que ele inspira e estimula. Sem abertura à transformação, pode haver rejeição do novo código, que então se recolhe em níveis subjetivos até a dissolução dos nódulos resistentes. Dependendo do grau de ração contrária aos impulsos imateriais trazidos pelo GNA, este pode até mesmo ser cancelado, para só posteriormente o indivíduo integrar-se nessa corrente evolutiva.Com o advento do novo código genético, devidamente assumido, prevê-se unidade de aspiração e meta nos níveis mentais da humanidade. O GNA traz à Terra padrões de existência cósmicos e constitui o fundamento da Nova Humanidade.

O GNA predispõe o ser humano à sutilização. Sua vibração é porta de acesso da consciência a experiências e a à vida em planos superiores. Valendo-se da abertura que cada um apresenta, o potencial energético desses planos é utilizado para tomar mais fluida a matéria. Esse processo, em íntima colaboração com a energia monádica, tem o papel de dinamizar o núcleo anímico e facilitar o amadurecimento do corpo de luz. Os indivíduos que alcançam a vida imaterial depois de terem cumprido sua etapa de evolução na matéria deixam empressa nos átomos dos seus corpos a vibração dos mundos para onde se dirigem. A capacidade de receber o GNA é determinada por afinidade interna com o que dele se irradia. O GNA deve corresponder às aspirações de quem o recebe; assim, tanto o indivíduo o atrai; como é por ele atraído. O trabalho sutil que esse código genético pode realizar, ou seja, permitir-lhe pautar a vida pelo pulsar do espírito, ainda é um mistério para a maioria e continuará sendo até a pureza e a entrega à Lei Maior terem-se tornado a linha mestra de seus passos.

Extraído do Glossário Esotérico

p.316-317-18

Download do Glossário: http://www.4shared.com/document/uClEzai4/1994-Glossrio_Esotrico.html?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares

Sites