Amhaj

Para que possais trilhar a senda luminosa é preciso responder ao Chamado. Isso significa vencerdes provas, nas quais terão confirmado o vosso elo com a verdade e com a luz. Todos os seres, um dia, penetram essa senda e alcançam a Morada Celestial. Porém, eons se passam até que o ciclo se consume. Não vos intimideis frente ao mal. Não desafieis o inimigo. Não retardeis vosso caminhar pelo clamor do passado. A poeira dos tempos será lavada do vosso ser; novas vestes trajareis, e grande será o júbilo da libertação. Porém, nessa senda pisareis sobre rosas e espinhos, e devereis aprender o mistério do Bem. É tempo de justiça. É tempo de graças. Magnífico poder, o Irmão Maior se aproxima. Silenciai vosso coração e acolhei o grande amor. Tendes a Nossa paz.

Hierarquia

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Ensinamento Esotérico

ENSINAMENTO ESOTÉRICO – Existem vários graus de ensinamento esotérico; porém, todos apontam o caminho para o desconhecido. Os mais avançados têm poucos adeptos. A fonte inspiradora dos livros da série AGNI YOGA publicados pela Agni Yoga Society, Nova York, declarou aos que recebiam suas transmissões que, embora desejassem reunir palavras e estímulos visando ao benefício de muitos e para isso contassem com a ajuda da Hierarquia, o número de leitores seria pequeno. O ensinamento esotérico autêntico acelera o processo de captação da verdade nos que têm a mente descondicionada e livre de preconceitos; portanto, dirige-se aos que buscam desenvolver a intuição e aos que compreendem pelo sentimento. Estando fora do domínio das comprovações imediatas, é muitas vezes transmitido de maneira confusa por mistificações que deturpam leis ocultas e interpretam símbolos equivocadamente. ‘’Os instrutores verdadeiros são tão raros hoje em dia que é quase impossível encontrá-los’’, afirma Paul Brunton em seu livro A BUSCA (THE NOTEBOOKS OF PAUL BRUNTON, Volume II, Larson Publications, Nova York; Editora Pensamento). É comum chamar de instrução toda espécie de superstições, falsificações ou enganos construídos com sentido utilitarista ou inspirados em energias apropriadas para ciclos passados. Esse é o caso de certas práticas de yoga, perigosas por estarem desatualizadas e terem sido desvirtuadas com o tempo.

O ensinamento esotérico de ontem pode ser o conhecimento explícito de hoje; o que é esotérico tende a exteriorizar-se à medida que a consciência humana se expande. Segundo Alice A.Bailey, algumas facetas da Sabedoria Eterna foram nesta época apresentadas em três fases: a preparatória, transmitida a Helena Petrovna Blavaysky entre 1875 1890, cujas obras básicas são A VOZ DO SILÊNCIO, ISIS SEM VÉU E A DOUTRINA SECRETA (Editora Pensamento); a intermediária, transmitida pelo Mestre D.K (o Tibetano) à própria Alice A.Bailey, entre 1919 e 1949, e publicada em extensa obra; e a reveladora, a partir de 1975.

Um instrutor consciente de sua tarefa nada cobra pelo ensinamento de que é porta-voz e tampouco exerce poder pessoal sobre os aprendizes. ‘’O que ensina bem, instrui-se’’, diz Paul Brunton. Impulsos importantes dados ao plano mental por grandes seres que passaram pela Terra nem sempre foram compreendidos; isso ocorreu com os escritos de Sri Aurobindo (Índia 1872-1950), que ajudam a consciência humana a transcender os patamares em que se encontra e a contatar esferas supramentais. SAVITRI (A Legend and a Symbol), poema escrito por ele num período de vários anos e publicado entre 1946 e 1951, permanece esotérico, pois seu significado ainda é velado para muitos. Sri Aurobindo disse que SAVITRI é o registro de uma experiência incomum e bem distante do que a mente humana normalmente capta ou vivencia, e que não seria apreciado ou entendido pelo público em geral, pois essa apreciação e entendimento dependeriam de ampliações da consciência e de sensibilidade para penetrar sua essência L´AGENDA DE MÈRE, escrita entre 1951 e 1973 e publicada pela primeira vez em 1978 (Institut de Recherches Evolutives, França), é também parte do ensinamento esotérico e tem importância universal; é documento raro sobre a mudança de comportamento das células quando tocadas por energias supramentais e sobre a liberação da sua luz interna, tema ainda bastante obscuro para a ciência atual. A pouca receptividade ao transcendente pode ser superada, pois o avanço interior da humanidade segue um princípio conhecido: é suficiente que um ser humano incorpore energias suprafísicas para elas ancorarem no plano material e na consciência etérica de todos os demais e também do planeta. Assim foi com Jesus, cujo sangue, ao cair e infiltra-se no solo, elevou a vibração do plano etérico planetário. O mesmo é válido para o ensinamento esotérico: quando autêntico, torna-se fermento do progresso interior de uma época inteira e de toda uma Raça.

Ao ser traduzido, transmitido ou interpretado, o ensimaento escrito pode distanciar-se do que é em origem. Se o intérprete, ou tradutor, não é um Iniciado, e se não está polarizado em níveis superiores ao do ensinamento, mesmo sem querer o deturpa, pois ajusta-o ao próprio estado de consciência.Rudolf Steiner (1861-1925) demonstrou que compiladores e tradutores desfiguraram os evangelhos, como se as palavras inspiradas e esotéricas dos originais tratassem só da vida terrena e externa das personagens. Assim, fatos internos são apresentados como realidades físicas concretas e, com isso, a mensagem evangélica e alterada. Diz Paul Brunton em seu livro IDÉIAS EM PERSPECTIVA: ‘’ Os que pensam que, pelo fato de uma afirmação aparecer numa escritura sagrada , tal aparecimento acaba com toda a controvérsia posterior sobre a questão, estão se enganando a si mesmos. Tais pessoas baseiam sua irrestrita aquiescência no fato inegável de que os sábios antigos sabiam do que estavam falando, porém ignoram o outro fato de que o mesmo não ocorria com alguns de seus seguidores. Não sabem que essas escrituras foram temperadas com interpolações posteriores, ou mesmo adulteradas com acréscimos supersticiosos e que conseqüentemente nem sempre são confiáveis. Mas mesmo se o fossem, ainda assim a mente humana deve manter-se livre, se pretende alcançar a verdade’’. Segundo a compreensão desse filósofo, ‘’a visão de Paulo na estrada de Damasco, embora genuína, foi mal interpretada.Era uma ordem para parar de perseguir os cristãos, porém, de natureza exclusivamente pessoal; mas ele foi muito mais longe, e não só iniciou a construção de uma nova religião mundial, como também transferiu a ênfase dessa religião, e tirando-a de onde Jesus a havia colocado (o reino dos céus dentro dos homens) e pondo-a no próprio Jesus’’. E indaga Paul Brunton: ‘’Não foi o concílio de Nicéia, o mais importante de todos, que finalmente estabeleceu as doutrinas cristãs por mil anos, mas que totalmente pôs fim a doutrina da metempsicose, considerando-a heresia após ela ter sobrevivido durante os primeiros cinco séculos do Anno Domini? Não foi essa grande reunião composta de homens que em sua maioria não sabiam escrever nem ler, que eram ascetas radicais inflexíveis, de caráter e comportamento fanáticos, de mente estreita, intolerantes?‘’ H.P. Blavvatsky refere-se aos dois primeiros capítulos do Evangelho de Mateus como algo ‘’há muito reconhecido como falsificações’’ (ISIS SEM VÉU, Volume III, Capítulo III, Editora Pensamento). Porém, a deturpação do ensinamento esotérico ao longo da história não deveria desanimar os que buscam a verdade , mas impulsioná-los a contatar, por si mesmos e em sua consciência profunda, a fonte interna do conhecimento, o que será possível se essa for sua meta e se persistirem na realização dela.      

Extraído do Glossário Esotérico de Trigueirinho

p. 137-138

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares

Sites