Amhaj

Para que possais trilhar a senda luminosa é preciso responder ao Chamado. Isso significa vencerdes provas, nas quais terão confirmado o vosso elo com a verdade e com a luz. Todos os seres, um dia, penetram essa senda e alcançam a Morada Celestial. Porém, eons se passam até que o ciclo se consume. Não vos intimideis frente ao mal. Não desafieis o inimigo. Não retardeis vosso caminhar pelo clamor do passado. A poeira dos tempos será lavada do vosso ser; novas vestes trajareis, e grande será o júbilo da libertação. Porém, nessa senda pisareis sobre rosas e espinhos, e devereis aprender o mistério do Bem. É tempo de justiça. É tempo de graças. Magnífico poder, o Irmão Maior se aproxima. Silenciai vosso coração e acolhei o grande amor. Tendes a Nossa paz.

Hierarquia

terça-feira, 6 de março de 2012

A caminho da transcendência

Num instante muito rápido, um estudante viu-se interiormente diante da vida do Sol. Percebia um processo acelerado de sutilização nesse Ser cósmico, cuja energia, que permite a existência da vida material neste sistema solar, está passando para níveis suprafísicos. Isso repercute em todo o corpo sistêmico, proporcionando um alargamento dos seus limites e também uma expansão da consciência de suas partículas, o que significa, para cada planeta, uma maior interação com sua regência central, o Logos solar.

Neste sistema solar, nove planetas físicos são conhecidos pela ciência terrestre; todavia, ela já constatou a possibilidade de existir ainda outro, mas que não foi ainda detectado de fato.

A existência de um novo planeta neste sistema solar já havia sido revelada no passado pelo ensinamento esotérico. Esse planeta tem sido denominado Quiron, e se encontra em nível físico-etérico, não tendo ainda ingressado em uma fase de materialização mais densa. A sutilização da Terra, já em ato, concorrerá para a condensação de Quiron, mantendo-se o número de planetas materializados neste sistema solar em torno de 9. A conjuntura energética de 9 planetas manifestados em nível físico-concreto corresponde ao presente estágio evolutivo deste sistema solar, que se encontra em seu segundo grande ciclo de desenvolvimento.

                                                                            ***

Uma das linhas de manifestação dos Logos solares, na qual o nosso sistema está inserido, consta de três grandes ciclos sistêmicos:

- Primeiro grande ciclodesenvolvimento e realização do terceiro aspecto divino, o que compreende a expressão do Terceiro Raio logóico, e do seu complementar, o Décimo Raio. 

O sistema solar em que a Terra se encontra já cumpriu esse ciclo. Os reflexos dessa etapa fazem-se sentir hoje, inclusive pela encarnação compulsória de várias mônadas do reino humano, e pela presença, em grau tão elevado, de forças que foram adequadas para aquele ciclo, mas que são negativas para o ponto evolutivo atual.

- Segundo grande ciclo: desenvolvimento e realização do segundo aspecto divino, o que compreende a expressão do Segundo Raio logóico, e do seu complementar, o Décimo primeiro Raio.
Esse segundo ciclo está sendo vivido pelo sistema solar, que deverá manifestar plenamente a energia crística, expressão do Segundo Raio Cósmico.

- Terceiro grande ciclodesenvolvimento e realização do primeiro aspecto divino, o que compreende a expressão do Primeiro Raio logóico, e do seu complementar, o Décimo segundo Raio.

Esse grande ciclo futuro já está sendo preparado em níveis de consciência imateriais. A presença da energia do Poder cósmico, irradiada por uma Entidade-Avatar nos níveis sublimes deste sistema solar, é sinal dessa preparação.

Os outros Raios também se manifestam nesses ciclos, mas não são regentes. Existe a seguinte correlação entre os Raios, que se reflete nos ciclos logóicos, tanto planetários quanto solares:

                Raios            soma:
                1 ... 12           13
                2 ... 11           13
                3 ... 10           13
                4 ... 9             13
                5 ...8              13
                6 ... 7             13

                __  __
soma:        21 57

O 13 representa o ponto central, origem do círculo de existência. Num campo de manifestação logóico, a vida central do próprio Logos é a fonte de tudo o que há no seu universo, o Logos é o ‘’1’’ e o ‘’3’’, ao mesmo tempo.

Além disso, vê-se também que todos os Raios estão inseridos na progressão fundamental, trina, do cosmos:


21: 2+1 = 3
57: 5+7 = 12; 1+2=3

                                                                          ***

Os três aspectos fundamentais de um Logos estão ligados à Trindade Primeva, e portanto aos três Raios:

3° Aspecto                 2° Aspecto                 1° Aspecto
Atividade                     Sabedoria                    Vontade
(3° Raio)                       (2° Raio)                    (1° Raio)

O terceiro Aspecto é o idealizador da manifestação (Atividade; 3° Raio); o Segundo é o construtor (Sabedoria; 2° Raio); e o Primeiro é o Dissipador da manifestação (Vontade; 1° Raio).

Esses três aspectos atuam concomitante e sincronicamente, porém, cada fase da manifestação logóica expressa uma nota específica, pela qual um deles é responsável. Assim, temos:

Primeira fase – idealização da manifestação
(3 etapas, representadas pelo cateto menor do triângulo de Pitágoras)

Segunda fase – construção da manifestação
(4 etapas, representadas pelo cateto maior do triângulo de Pitágoras)

Terceira fase – dissolução da manifestação
(5 etapas, representadas pela hipotenusa do triângulo de Pitágoras)

                                                                        ***

Ao Logos deste sistema solar estão associados vinte e um Logoi planetários maiores, cada um deles encarregado de realizar o propósito solar num círculo de existência, e de reger esse círculo. Num círculo de existência pode haver simultaneamente até doze campos de expressão, onde os Logoi menores perfazem seu trajeto evolutivo, atuando como canalizadores das Vontade do Logos planetário maior.

O número de campos de expressão manifestados num círculo de existência depende do grau evolutivo do Logos planetário maior que o rege, ou seja, das Iniciações Cósmicas por ele já alcançadas. Todavia, em todos os campos de expressão a ele associados necessariamente se expressam em um mesmo sistema solar: pode haver intercâmbio na manifestação e regência desses campos, entre sistemas cujos sóis façam parte de um mesmo grupo. 

As fases da manifestação de um Logos planetário maior são etapas preparatórias paras as Iniciações que ele deve alcançar.Essas fases resumem-se no seguinte:

Primeira fase: até três campos de expressão manifestados.
Segunda fase: até sete campos de expressão manifestados.
Terceira fase: até doze campos de expressão manifestados.

Neste sistema solar, apenas na segunda fase alguns dos campos de expressão podem manifestar-se nos subníveis mais densos do nível físico cósmico; na primeira e na terceira fases eles se encontram em estados sutis ou em estados imateriais. Essas fases estão implícitas no triângulo de Pitágoras, cujas relações matemáticas correspondem ao processo evolutivo logóico.

As etapas de manifestaçãoLogoi manifestam-se apenas em estado sutil ou em estado imaterial.

                                                                           ***

O surgimento, a formação, o desenvolvimento, a síntese e a consumação de um campo de expressão logóico ocorrem por meio de ciclos e etapas definidas. Todo esse processo se dá em doze ciclos básicos, denominados ciclos de expressão. Portanto, doze ciclos de expressão constituem um ciclo de manifestação regido por Logoi planetários menores, surgimento e consumação de um campo de expressão.

Além disso, a manifestação de um campo de expressão transcorre em três fases, como vimos. Nas duas primeiras – a de idealização e a de construção - , há a predominância da energia das Raças-monádicas, as sete Raças humanas já mencionadas neste livro. Na terceira – a de dissolução da manifestação - , há a predominância energética do que é chamado de Raças princípios, as Raças Oitava e Décima segunda.

São muitos os modos de interação dos Logoi planetários menores com um campo de expressão manifestado; todavia de maneira geral, cada uma das três fases da manifestação é regida por um Logos planetário menor. Pode também ocorrer de um mesmo Logos menor reger mais de um campo de expressão.

No decorrer da segunda fase de um campo de expressão (fase de construção), a Obra do Grande Escultor atinge o grau máximo de condensação e começa a receber o impulso de retorno à Fonte. A tarefa a ser realizada na terceira fase (fase de dissolução, composta de cinco ciclos de expressão) não é esculpir na matéria a imagem do Criador, mas sim fundir, Criador e Obra, na Fonte que os emanou. É a consecução do ‘’destino’’ do Logos planetário menor no corpo do Logos maior do qual é parte, é a realização de uma das facetas de Obra ainda mais ampla.

Portanto, a terceira fase da manifestação de um campo de expressão (fase de dissolução) é caracterizada por direcionar-se ao mergulho na Inexistência. Essa fase não é ainda a da inexistência em si, mas está a caminho da transcendência.

                                                                        ***

No atual sistema solar, dos doze Logoi planetários menores que compõem cada Logos planetário maior, apenas sete lidam com a Criação em nível físico cósmico. Os outros cinco ‘’percebem’’ a Criação’’, mas não ‘’criam’’.

Na primeira fase da manifestação de um Logos planetário maior, portanto da manifestação de um círculo de existência, a evolução transcorre em até três campos de expressão; na segunda fase, em até sete campos; e na terceira fase, em até doze campos de expressão.

Esse processo é gradativo, do ponto de vista cronológico dos níveis mais densos, e cumpre ciclos e etapas. Mas também é um processo cujas fases transcorrem concomitantemente, se percebido dentro da totalidade da existência em planos superiores, na eternidade cósmica.

Enquanto sete Logoi planetários menores atuam como agentes criadores do universo=planetário, o campo de expressão, os outros cinco Logoi ativam no universo-planetário já manifestado o ‘’princípio de retorno’’, e encaminham-no para a sua Fonte, a fim de que seja absorvida por ela.

Assim, sete Logoi planetários menores esculpem a Vida; os outros cinco são Mensageiros do Incriado. Esses sete mergulham na existência, criando na forma o padrão guardado no Grande Espelho; os outros cinco levam a forma criada, já pronta, à dissolução e fusão na própria imagem que a projetou – percorrem o caminho da absorção na Fonte, do mergulho na inexistência. Enquanto esses sete Logoi escrevem o livro da existência, os outros cinco levam o livro escrito ao Rei, no sublime Palácio. Uns sem os outros não poderiam realizar toda a tarefa. Em realidade, são as doze cordas do instrumento sagrado que vibram ao serem tocadas; e é o som de uma ou de outra que predomina a cada fase de manifestação.Sete expressam a beleza e o ritmo, as outras cinco conduzem ao silêncio.

A vida manifestada nada mais é que a chama de um grande Fogo. Ora alta e brilhante, ora diminuta e fugaz. Mas a essência do Fogo não pode ser vista, nem tocada; expressa-se em luz, calor e movimento, mas é inalterável, ao mesmo tempo que evolui; é eterna, permanente e imutável, mas revela-se asi mesma em ciclos e etapas.

Extraído do livro Segredos Desvelados (Iberah, Anu Tea) de Trigueirinho

p. 151-155

Download deste livro:  http://www.4shared.com/office/6D4HxcPx/1992-Segredos_Desvelados__Iber.html?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares

Sites